1/31/2007

UNIÃO CIVIL, SIM! CASAMENTO, NÃO!

Olá!!!

Eu tive a idéia de dar esse título ao post de hoje por causa de um livro do Paulo Freire: Professora, Sim! Tia, Não!

Quem é ou já foi professor no Brasil no mínimo já ouviu falar nesse livro. Ele lembra que a função do professor é ser professor dos alunos dele, e não tio dos alunos dele (apesar de, aqui no Brasil, a gente ter adquirido o bizarro hábito de chamar o professor de “tio”). Vamos chamar as coisas pelos seus devidos nomes, de acordo com as suas devidas funções. E professor não é tio.
Agora, aproveitando o gancho pra entrar no tema de hoje, união civil também não é casamento.
Pra explicar melhor, eu posso começar fazendo uma pergunta a vocês: pra que foi inventado o casamento? A resposta é muito simples: pra fazer com que uma pessoa de uma família e outra pessoa de outra família gerassem um filho, que seria o herdeiro dos bens das 2 famílias. Pra gerar um filho, é preciso que haja 1 homem e 1 mulher. Por isso foi esse o padrão que todas as culturas do Mundo adotaram pro casamento. Mesmo na cultura grega antiga, que permitia e até cobrava a homossexualidade sem problema nenhum, o casamento era só entre pessoas de sexos diferentes, por causa da necessidade de gerar filhos que fossem herdeiros das 2 famílias.
Mas, no final do século XX, começou a se falar em “casamento gay”. Só que isso foi, e ainda é, meio mal visto pela maior parte do Mundo. Inclusive, até, por muitos homossexuais e bissexuais.Sabem qual é o problema ou, pelo menos, parece ser? É a palavra CASAMENTO. Quando a gente usa essa palavra, parece que o que a maioria dos héteros entendem é que alguém vai entrar numa igreja vestido de noiva e jogar um buquê. E não é isso que a gente quer, né?



É claro que, se o cara é transformista, travesti ou drag-queen e gosta de se vestir de noiva, aí ele se veste assim porque quer e porque gosta. E não pra casar numa igreja. Mas aí é outra história, né?
Mas enfim: o que os gays, lésbicas e bis querem não é um sacramento numa igreja; é simplesmente a legalização da parceria entre 2 pessoas do mesmo sexo.
Além do mais, 2 homens ou 2 mulheres podem até adotar filhos, mas apenas pela vontade de ter filhos. Eles não tão pensando em gerar um filho um com o outro pra ser o herdeiro dos bens das 2 famílias. Então, tecnicamente, não é um casamento.
Simplificando: casamento é uma coisa que faz parte do mundinho hétero, e não do nosso.
Por isso, acho que a nomenclatura que a gente deve usar é simplesmente UNIÃO CIVIL. Isso expressa bem melhor o que a gente quer e não cria interpretações equivocadas nos héteros.
Bom, é claro que isso é só uma opinião minha. Mas mesmo quem não concordar, minimamente, vai ver que ela tem uma certa lógica, né?
Mas eu sou completamente a favor da união civil. Afinal, a gente vê casais de gays e de lésbicas que moraram juntos durante anos, construíram uma vida inteira juntos e, quando um dos 2 morreu, a família biológica do morto reivindicou todos os bens pra ela. E o outro que ficou vivo ficou sem nada além do que tava especificamente no nome dele. Vocês sabem que a família pode não se dar nem um pouco bem com a pessoa, mas na hora de pegar os bens que essa pessoa deixou... Brigam até por algum par de chinelos de dedo que era da pessoa!
Mas vamos lembrar também que, quando a união civil for legalizada no Brasil, ninguém vai poder ser obrigado a realizar essa união. Assim como tem casais de héteros que preferem morar juntos sem se casar, também tem casais de gays e de lésbicas que vão preferir morar juntos sem realizar a união civil.
E quanto à religião, pra quem faz tanta questão assim de ter uma bênção religiosa pra união, quero lembrar que tem algumas religiões (as politeístas, geralmente) que aceitam abençoar uma união gay ou lésbica. A Wicca, por exemplo. Mas religiosidade cada um tem a sua e cada um segue (ou não) os rituais religiosos que quiser. Aí vai da cabeça de cada um.
Então, finalizando, eu faço aqui essa sugestão a vocês: vamos evitar a expressão “casamento gay” e passar a usar com mais freqüência a expressão “união civil de pessoas do mesmo sexo”; e vamos cobrar sempre, sempre e sempre a legalização dela o quanto antes possível.

Quando si parla del “matrimonio gay”, la parte più grande delle persone non è d’accordo. Incluso una grande parte degli omosessuali e bisessuali.
Ma il problema sembra essere la parola MATRIMONIO. E degli eterosessuali imbecilli, specificamente, sembrano capire che qualche gay sarà andato in chiesa come una sposa e lancierà un mazzo di fiori, se qualcuno dice “matrimonio gay”.
Chiaramente, quello che si vuole non è questo. Ma sì la legalizzazione della relazione di 2 persone dello stesso sesso.
Così, sarebbe meglio chiamare questa situazione di UNIONE CIVILE.

When you talk about “gay marriage”, most of the people don’t agree with that. And many homosexuals and bisexuals are among them.
But the main problem seems to be the word MARRIAGE. Basically because some stupid heterosexuals think some gay man’s going to a church wearing a bride white gown and holding a bunch of flowers, if you say “gay marriage”.
Of course, we don’t want that. We want the legalization of the relationship between 2 people of the same sex.
So, it’s better to be called CIVIL UNION.

Cuando se habla del “casamiento gay”, la mayor parte de las personas no concuerda. Incluso una gran parte de los homosexuales y bisexuales.
Pero el problema parece ser la palabra CASAMIENTO. Y algunos heterosexuales idiotas parecen entender que algun gay irá a alguna iglesia con un vestido de novia y lanzará un ramilliete de flores, se álguien dice “casamiento gay”.
Es claro que lo que se quiere no es eso. Pero sí la legalización de la relación entre 2 personas del mismo sexo.
Así, sería mejor llamar esa situación de UNION CIVIL.


Bom, é isso, gente. Eu volto na Sexta com a enquete nova e as datas comemorativas de Fevereiro.

See you guys again next Friday!

1/29/2007

O HOMEM-PÁSSARO

Olá!!!

Bom, em 1º lugar, queria pedir pra vocês não deixarem de ler o post abaixo desse↓, tá? Só pra esclarecer umas coisinhas.
Ah, rsrsrs E eu queria aproveitar pra dizer que eu não sou protestante, não sou evangélico e não sou praticante de NENHUMA outra religião atualmente. Só tô explicando isso porque teve gente me perguntando (por e-mail) se a igreja que eu freqüento distribui camisinha, porque eu mencionei as igrejas protestantes no texto anterior... rs
Olhem, já fui católico, já fui afro-espírita, mas nunca fui protestante. Aliás, o Protestantismo nem é a minha filosofia religiosa preferida, acho que é uma filosofia que tem vários equívocos e vários pontos a serem repensados... Mas, com certeza, o Protestantismo erra muito, muito, muito menos do que o Catolicismo.
Mas repito: no momento, eu não sou protestante nem evangélico nem budista nem espírita nem judeu nem praticante de nada! Eu acredito no Divino, mas não tô fixado em religião nenhuma. Ficou claro?
Bom, hoje vamos falar sobre alguém que entende bem de passarinho. Aliás, ele entende bem de cuco, ganso, periquito, peru, pinto, rola... Ei! Vamos com calma! Não é isso que vocês tão pensando, não! Vocês são maldosos!rsrsrs
Tô falando de um dos maiores conhecedores das aves do Brasil, o publicitário, ornitólogo e inventor Etson Bini.

Etson Bini de Sousa nasceu no interior de Santa Catarina, em 1964.
Ele teve o interesse pela Ornitologia despertado desde criança, já que o pai dele era um grande admirador das aves canoras.
O Etson sempre trabalhou com publicidade. E em 1988, ele fundou o Estúdio Fonográfico Sinai.
No início dos anos 90, ele começou a percorrer as florestas de Santa Catarina, observando o comportamento das aves. E ele mantém esse hábito até hoje, todos os verões.
No estudo das aves, o Etson foi muito ajudado pelos 2 irmãos, o Paulo e o Cláudio. E ele mesmo inventou e produziu novos tipos de microfone capazes de gravar os sons das aves a longas distancias e até embaixo da água dos rios e lagos!
Com toda essa dedicação e interesse pelos membros emplumados da Natureza, o Etson foi apelidado pelos amigos e colegas de trabalho de Homem-Pássaro e Passarinheiro. Acho que ele teria muito o que conversar com o Príncipe Akishino, do Japão, que é outro grande ornitólogo, né?
Em 2003, o Etson apresentou essa aparelhagem ao público numa entrevista na Globo News.Esse é um dos microfones criados por ele. E a ave que tá cantando e sendo gravada nessa foto é um gavião carijó.


Desde que começou com a pesquisa sobre as aves, o Etson distribuía esses microfones pelas florestas pra gravar os cantos delas. E ao longo dos primeiros 8 anos, ele conseguiu gravar até o canto de aves quase extintas, quase todas nas florestas de Santa Catarina e algumas nas florestas do Paraná também.
Com o material que gravou, o Etson lançou até agora 4 CDs: Cantos das Aves Brasileiras 1, Cantos das Aves Brasileiras 2, Cantos de Canários e Cantos de Sabiás. E vem mais por aí!
Hoje, o Etson mora em Lages, em Santa Catarina, com a esposa Maria Paula Tealdi e as duas filhas. Mas ele continua a pesquisa sobre as aves com o mesmo interesse que tinha no início.

Etson Bini nació en Santa Catarina, en 1964.
Su interés por la Ornitología comenzó cuando él era un niño, gracias a su padre, que era un gran admirador de las aves cantantes.
Etson siempre trabajó con publicidad. Y en 1988, él fundó el Estúdio Fonográfico Sinai.
Cuando comenzó la década de 90, Etson empiezó su observación del comportamiento de las aves en las florestas de Santa Catarina. Y todavía lo hace durante los veranos.

Mentre studiava il comportamento degli uccelli, Etson ha ricevuto un grande aiuto dei suoi fratelli, Paulo e Cláudio. E lui stesso ha creato dei microfoni per registrare la voce degli uccelli lontana o sotto l’acqua dei fiumi e lagune.
Questo grande studio degli uccelli l’ha fatto conosciuto per i suoi amici come Homem-Pássaro e Passarinheiro (PÁSSARO significa UCCELLO in Portoghese).
Nel 2003, Etson ha presentato pubblicamente i microfoni che lui ha creato in un’intervista in Globo News. Possiamo vederlo nella foto tenendo uno dei microfoni insieme ad un falco carijó.

Since he’d started his ornithological research, Etson put his microphones around the forests to record the birds’ voice. And along the first 8 years, he could record some almost extinct birds in the forests of Santa Catarina and Paraná. And he’s made 4 CDs to now with this collection:
Cantos das Aves Brasileiras 1, Cantos das Aves Brasileiras 2, Cantos de Canários and Cantos de Sabiás.
Nowadays, Etson lives in Santa Catarina with his wife Maria Paula Tealdi and their 2 daughters. But he continues his ornithological research, as interested in birds as he was when he started it.

Bom, como eu comentei no início desse mês, quando eu fiz a enquete mais recente aqui, no final de todo mês eu vou deixar aqui o link de alguma instituição de utilidade pública. E o desse mês tem a ver com o tema desse post. É que, como vocês sabem, o tráfico de animais silvestres do Brasil (principalmente de aves) tem se tornado um problema. Até porque, às vezes, as pessoas até sabem de algum caso de tráfico ou de maus tratos a animais, mas não sabem como fazer uma denúncia; às vezes, não querem se identificar...
Então, vou deixar aqui o link pro site da Renctas (Rede Nacional de Combate ao Tráfico de Animais Silvestres). A Renctas indica, em cada Estado do Brasil, onde você pode denunciar o tráfico ou os maus tratos a animais.
Tá aí:

http://www.renctas.org.br/pt/home/

Pra quem não sabe, o Disque-Denúncia também recebe denúncias de tráfico e maus tratos a animais.
O telefone do Disque-Denúncia aqui no Rio tá fixado nas janelas de todos os ônibus municipais: (0XX21) 2253-1177. E em São Paulo tem 2 números: 0800-156315 e (0XX11) 6224-3040.
Tanto o do Rio quanto o de São Paulo atendem 24 horas por dia.
Bom, é isso. Até a próxima!

See you guys again next Wednesday!

EXPLICAÇÃO

Antes de encerrar, quero só esclarecer uma coisinha aqui... Eu recebi, nos últimos tempos, uns e-mails de umas pessoas perguntando por que é que eu deixei de ir ao Complexo de Anjo e se eu briguei com o Marcelo. Então, pra não ficar respondendo a 1 por 1, como tem acontecido, me deixem dar uma resposta geral aqui: eu não deixei de ir ao Complexo de Anjo e também não briguei com o Marcelo. Eu continuo passando por lá de vez em quando, só que não comento mais lá, a não ser em situações em que eu não precise dar a minha opinião. No Ano Novo eu desejei Feliz Ano Novo a ele (e só) e no outro dia perguntei se ele tinha recebido um e-mail que eu tinha mandado (e só). Mas dizer o que eu penso ou o que eu sinto, não mais!
É que as opiniões que o Marcelo aceita receber lá são de pessoas que tão descontentes com a própria sexualidade, que gostariam de deixar de ser gays a qualquer preço e tal. Tudo bem! Eu entendo! Eu sei que ser gay, pra muitas pessoas, é muito difícil, vai contra vários sonhos que elas mantinham desde crianças, não é o que a família delas queria, dificulta muito a convivência com algumas outras pessoas... Tudo isso eu sei. E como eu já disse, eu entendo perfeitamente esse lado da história. Sem dúvida. Até porque todo gay, inclusive eu, já passou por situações no mínimo parecidas com essas.
Só que não precisa ser assim pra sempre: lamento muito pelos conservadores de plantão, mas tem gente que consegue aprender a ser feliz sendo gay. Eu, por exemplo.
Sabem aquela história de que, “se você ganhou um limão azedo, faça uma limonada doce com ele”? Pois é. Eu aprendi a enxergar o lado bom da vida gay, aprendi a tirar os proveitos que dá pra tirar das situações que acontecem comigo por ser gay, aprendi a observar mais as intenções das pessoas antes de deixar que elas se aproximem... Como tudo que existe, SEM EXCEÇÃO, a vida gay tem vantagens e desvantagens. E eu aprendi a enxergar as vantagens, e não só as desvantagens. A homossexualidade não é uma maravilha absoluta, mas também não é uma desgraça. Se pra algumas pessoas ela é vista como uma maldição, eu aprendi a transformar ela numa vantagem, num caminho que me permite aprender, numa dádiva... E isso só se aprende mesmo com o tempo e com as experiências pelas quais a gente passa sendo gay.
Mas vai tentar explicar isso pro Marcelo! Ele tem um ataque quando ouve alguma coisa parecida com isso!
Então, eu não vou chegar lá no blog dele pra comentar coisas que eu não penso e coisas que eu não sinto. Assim, prefiro não dar a minha opinião pra mais nada lá. E provavelmente não vou fazer falta.
Mas briga, da minha parte, pelo menos, não houve.
Espero que não tenha ficado nenhuma dúvida. Mas se ficou, quem quiser, pode falar. Tô às ordens pra responder.

1/26/2007

CAMISINHA JÁ!

Olá!!!

Isso já tá virando hábito, né? Eu anuncio o post seguinte prum dia e mando no dia anterior.rs É que eu tenho aproveitado o tempo livre. É uma das vantagens de tá de férias, que aliás, já tão pra acabar...
Bom, como eu disse no post precedente, ele tem a ver com esse aqui. Como a gente viu, nos anos 70, o sexo era feito de uma forma muito livre, mas também muito sem segurança. E como era exatamente nessa época que a AIDS tava se desenvolvendo, deu no que deu: a grande maioria das vítimas foram contaminadas no final dos anos 70 e início dos 80.
Mas isso é só a ponta do iceberg. A AIDS é só o problema principal, mas tá longe de ser o único problema: tem várias outras DSTs (doenças sexualmente transmissíveis) que também podem matar, como a hepatite, a sífilis e tal. E tem as DSTs que não matam, mas é claro que também se deve evitar, como a gonorréia, a herpes e tal... Só tô lembrando porque, do jeito que algumas pessoas falam, parece que elas esquecem que essas outras doenças também tão por aí, né?
Mas enfim: por que é que, naquela época, as coisas chegaram ao ponto que chegaram? Porque a camisinha era algo praticamente desconhecido. E mesmo quem conhecia nunca usava.
Só depois que apareceram todas aquelas campanhas a favor do sexo seguro é que, ao longo do tempo, a maior parte da população foi vendo do que se tratava. E até aqueles desenhos que davam instruções sobre como botar a camisinha ajudaram.

Bom, o caso mais indiscutível de quando se deve usar camisinha é mesmo o sexo anal, né? Aí, até por questões higiênicas, deve se usar sempre. Porque o ânus, por mais limpo que seja, sempre fica, no mínimo, com micropartículas de fezes, não tem jeito. E junto com essas mircopartículas, ficam sempre alguns vírus, algumas bactérias e outros bichos, não é verdade?
Então, mesmo que o parceiro passivo seja 100% saudável, não tenha doença nenhuma, ele pode causar uma inflamação ou infecção no parceiro ativo, se as micropartículas de fezes dele entrarem pela uretra do outro.
Agora, se um dos 2 tiver qualquer DST, aí nem precisa falar, né? O sexo anal é, sem dúvida, a prática mais perigosa porque sempre acontece um sangramento. Por mínimo que seja e por menos que dê pra ver, mas sempre acontece. E misturar o esperma de um parceiro com o sangue do outro parceiro, a gente sabe que sempre dá merda. Tanto pro ativo quanto pro passivo.
E o sexo oral? Bom, no sexo oral fica meio difícil definir quem é o ativo e quem é o passivo, né? Mas pra não complicar, vamos dizer que o ativo é o que é chupado e o passivo é o que chupa. Pronto!rs
Bom, o sexo oral, como a gente sabe, é até muito mais comum do que o anal. Porque é mais fácil de fazer, dá menos trabalho e tal. E mesmo que a intenção seja, depois, chegar ao anal, as preliminares, geralmente, começam com o oral, não é isso? Então, também é muito importante de se falar aqui, porque, de acordo com todos os sexólogos, também é recomendável que o sexo oral seja feito com camisinha. Principalmente quando é feito no improviso, numa hora que não tava planejado. Porque aí, geralmente, o cacete do ativo não tá 100% limpo, a boca do passivo também não tá 100% limpa ou até as duas coisas! Conclusão: mesmo que nenhum dos 2 tenha nenhuma DST, um pode passar alguma doença pro outro relacionada simplesmente à falta de higiene.
Quanto às DSTs, se o passivo tiver uma feridinha pequenininha e insignificante na boca, essa feridinha pequenininha e insignificante vai ter um sangramento (mínimo que seja) na hora do sexo oral por causa do atrito. Se o passivo tem uma DST e esse sangramento entra pela uretra do ativo, já era! Se o ativo tem uma DST e goza em cima da feridinha na boca do passivo, já era também!
Aí, tem gente que fala: “Ah, mas eu odeio chupar com gosto de borracha!”. Tudo bem. Então, você procura ter certeza de que não tem nenhuma DST, procura ter certeza de que o seu parceiro também não tem, examina bem a sua boca antes, limpa bem a sua boca antes e observa se o cacete do cara tá limpo antes. Aí, até 2ª ordem, tá tudo bem. Até porque tem gente que faz questão de provar o esperma do parceiro, faz questão de engolir e tal, porque acha que isso é uma parte integrante do sexo oral e não pode faltar. Bom, tomando os devidos cuidados, não tem problema. Mas de outro modo, a camisinha é sempre recomendável na hora de chupar também.
E no caso da masturbação a 2? Por incrível que pareça, também é recomendável! O problema básico é o de sempre: a feridinha pequenininha e insignificante. Essa é quase sempre a vilã, porque você não presta muita atenção nela, né? E se você tiver uma ferida assim na mão, ou perto da mão, o que é que acontece na masturbação a 2? Você tá lá masturbando o seu parceiro, ele ejacula e alguma gota do esperma dele pula exatamente em cima da sua ferida! Se ele tiver uma DST, já era!
Olhem quando eu digo ‘já era’, é simplesmente pra ficar em alerta, tá? Você corre pro urologista o mais depressa possível e vê o que aconteceu! Aliás, ir ao urologista, no mínimo, 1 vez por ano, fazer um check-up geral e fazer todos os exames de DSTs é uma boa. Pra dizer a verdade, é uma ótima! Eu vou todo ano!
E é claro que, como sexualidade é um assunto meio infinito, mesmo que você já tenha 150 anos tem coisas que você ainda não sabe, é sempre válido assistir os filmes sobre educação sexual.Nessa cena do filme sueco Karlekens Sprak 2000, o ator Martin Hedman mostra como botar uma camisinha.



Mas olhem só: por falar em filmes sobre educação sexual, se hoje existe já tanta informação sobre camisinha, porque será que algumas pessoas relutam tanto em usar? Bom, por incrível que pareça, um dos motivos básicos é a pressão de alguns grupos religiosos contra a camisinha. Nem sempre, é claro. A maior parte das igrejas protestantes aceitam numa boa e até aconselham o uso da camisinha. Mas e a Igreja Católica?
A gente sabe que o Vaticano mantém intransigentemente a idéia de que o sexo só pode ser usado com 2 únicos propósitos: pra consumar o casamento e pra ter filhos. E é por isso que a Igreja Católica se mantém contra tão a ferro e fogo, já que a camisinha é destinada a uma prática sexual que não é pra ter filhos.
Então, qual é a mensagem que o Vaticano sempre transmite?

NÃO USEM CAMISINHA!!! PODEM PEGAR HEPATITE, PODEM PEGAR SÍFILIS, PODEM PEGAR AIDS, MAS NÃO USEM CAMISINHA!!!

O Vaticano pode até não falar com essas palavras, pode até não falar tão abertamente assim, mas a mensagem transmitida na prática é sempre essa. É ou não é?
Agora vejam... O Catolicismo se preocupa realmente com o bem-estar dos fiéis em 1º lugar? Ou se preocupa em manter a soberania infalível e inquestionável do Vaticano em 1º lugar?
Eu já sei que vai ter gente que vai dizer: “Ah, mas tem grupos dentro da Igreja Católica que tem uma visão mais light da camisinha”.
Tudo bem. Eu sei disso. Mas são esses pequenos grupos progressistas de um lado e o Vaticano do outro. E aí? Quem vocês acham que ganha?
Até porque esses pequenos grupos progressistas são católicos. Sendo católicos, eles são súditos do papa e ficam submetidos ao absolutismo do Vaticano. Então, eles podem até fazer movimentos e campanhas a favor da camisinha e coisas desse tipo. Mas se vier uma ordem papal exigindo que esse movimento ou campanha pare, eles são obrigados a calar a boca.
E a mesmíssima coisa em relação aos padres: tem padres que têm uma visão mais light do uso da camisinha; mas se o Vaticano mandar eles calarem a boca, eles são obrigados a calar a boca.
A liberdade que esses grupos (ou padres) demonstram dentro da Igreja Católica, na verdade é uma liberdade superficial. Ou, eu diria até, uma liberdade ilusória. Porque de um jeito ou de outro tem lá o Vaticano, ditando as regras que esses grupos podem ou não seguir.
Bom, além da pressão religiosa, é claro que também tem outros motivos, como as pessoas que não usam porque não gostam do contato sexual com camisinha. Mas isso vem diminuindo nas últimas décadas. Acho que aí é um problema mais comum com as pessoas com mais de 40 anos, que iniciaram a sexualidade delas sem muito acesso à camisinha. Porque quem tem de 35 anos pra baixo cresceu ouvindo falar em camisinha, com certeza.
Mas pensem no seguinte: contato sexual com camisinha não é questão de gostar ou não gostar; é questão de sobrevivência.

Take care of your cock. And don’t forget the condom!

Cuida de tu polla. Y no te olvides del condón.

Ti occupa del tuo cazzo. E non dimenticare il profilattico!


É isso, gente. Bom fim de semana e divirtam-se... Mas com o cacete emborrachado!

See you guys again next Monday!

1/24/2007

QUANDO NÃO SE FALAVA EM “SEXO SEGURO”...

Olá!!!

Olha eu chagando de novo mais cedo do que eu imaginava!rs
Bom, em 1º lugar, quero dizer que o post de hoje não tá aqui à toa. Ele tem a ver com o próximo post que eu vou mandar no Sábado.
Vamos dar uma olhada hoje num ator, diretor e produtor pornô estadunidense que já morreu há 15 anos, devido a complicações causadas pela AIDS. Ele teve a fase sexual mais alta dele nos anos 70, época em que o sexo era tão fácil quanto hoje, mas infinitamente menos seguro. Enfim, vamos dar uma olhada no Al Parker.

Andrew Okun nasceu em Massachusetts, em 25 de Junho de 1952.
Se mudando pra Califórnia, ele conseguiu trabalhar como mordomo do Hugh Hefner, que apresentou ele a algumas das figuras principais da indústria pornô.
O Andrew namorava o Richard Cole, com quem acabou indo morar numa casa de praia, na Califórnia. E apesar de nem pensarem em se separar e, aparentemente, se amarem muito, eles tinham uma relação aberta e extremamente promíscua: toda semana eles participavam de várias surubas. E é bom lembrar que nessa época (tamos falando de anos 70) nem se usava a expressão “sexo seguro”. Ninguém nunca usava camisinha e nem sequer se dava muita importância à mistura do esperma de um parceiro com o sangue do outro.
O Andrew e o Richard fundaram os Surge Studios, uma indústria pornô, sendo o Andrew o diretor geral e produtor. Além de trabalhar pessoalmente nos filmes como ator, adotando o nome artístico de Al Parker.
Ele usava o look gay da época: magro e bigodudo (esse visual era chamado de Castro Street Clone). Mas a característica principal dele era o cacete grande e grosso. Como diz um amigo meu, “é daqueles que chegam a dar medo na gente”!rsrsrs


Conta a lenda que, às vezes, ele enfiava até os testículos na bunda do parceiro passivo (eu acho isso meio impossível, mas...). E isso teria provocado umas escoriações que deixaram ele fora de combate por um tempo.
O Al também trabalhou pros Brentwood Studios, que produziam filmes pornô de curta metragem gravados em rolos de 8 milímetros. Eram chamados de loops, que eram gravados no improviso e sem cortes e duravam, no máximo, 15 minutos (sem contar, é claro, que eram bem econômicos e lucrativos). Mas o problema era exatamente esse: os filmes eram feitos de uma forma extremamente primitiva, sem nenhum tipo de controle nem segurança e exatamente na época em que a AIDS tava se espalhando...
Trabalhando em filmes pornô nessas condições e levando a vida de sacanagem da grossa que ele levava tanto quanto o namorado, e tudo isso sem usar nenhum tipo de proteção, vocês já imaginam o que aconteceu, né? No início dos anos 80, o Al e o Richard descobriram que tavam contaminados pelo HIV.
Depois disso, lá pelo meio dos anos 80, os Surge Studios produziam tanto loops quanto filmes pornô de longa-metragem. E nessa época, curiosamente, foi uma das primeiras companhias pornô a botar os atores sempre usando camisinha, contrastando com a ausência total de camisinha em todos os filmes pornô de menos de 10 anos antes.
Mas pouco depois disso, em 1986, o Richard morreu.
Apesar de ficar muito abalado nesse ano, o Al continuou vivendo na mais absoluta trepação sem compromisso. E não muito tempo depois, ele começou a namorar o ator pornô canadense Justin Cade, que era um adepto radical do sexo seguro tanto nos filmes quanto na vida pessoal. Só que eles terminaram em pouco tempo, porque o Al, ainda assim, continuava trepando sem regra com todo mundo. E isso o Justin não fazia nem aceitava.
Eles continuaram amigos depois disso. Mas o Justin achava que o Al tinha entrado num processo de autodestruição. Só isso parecia explicar essa compulsão dele por sexo.
Alguns amigos dele, por outro lado, diziam que ele ficou com essa sexualidade... ‘fora de controle’, vamos chamar assim, devido a um trauma sexual, porque ele teria sido estuprado por um desconhecido quando tinha 15 anos. Mas isso nunca ficou provado e, sejamos francos, mesmo que isso fosse verdade, não explicaria nada, né? Claro que cada caso é um caso, mas quem passou por essa experiência geralmente fica com a sexualidade travada, e não acelerada e descontrolada.
O Al morreu no dia 17 de Agosto de 1992, com 40 anos, em conseqüência de complicações causadas pela AIDS.
Ele foi cremado e as cinzas foram espalhadas no Mar, no litoral da Califórnia.

Andrew Okun è nato in Massachusetts, nel 25 di Giugno del 1952.
Lui è andato a vivere in California, dove è diventato il cameriere di Hugh Hefner. Ed ha conosciuto delle persone famose del mondo porno.
Andrew ed il suo ragazzo Richard Cole avevano una relazione senza nessuna fedeltà sessuale: ognuno fotteva con molti altri uomini ogni settimana.
C’è bisogno di ricordare che in quell’epoca (anni 70) anche l’espressione ‘safe sex’ non era utilizzata. Nessuno utilizzava nessun profilattico e nemmeno si dava nessuna importanza alla mescola dello sperma d’una persona col sangue di un’altra.
Andrew e Richard hanno creato gli Surge Studios, di cui Richard era il direttore generale ed il produttore.
Lui è anche stato in alcuni film, col nome artistico di Al Parker.

Al had the 70-gay look: thin and mustached (a Castro Street Clone). But he was famous basically because of his big and fat cock! You guys can see above what I mean...
Some people say he sometimes put his dick & his balls in his partner asshole! But... is it possible? Anyway, he hurt himself one of this times.
Al also worked at Brentwood Studios. At it produced many loops, the 15-minute and 8mm porn movies. But these movies were made without any kind of control or safety. And exactly at the time when AIDS was developing...
As Al worked in such porn movies and had sex with so many different men every week (without any kinf of protection) in his private life, he was a HIV-person in the early 80s. And also his boyfriend Richard, who had the same lifestyle.

En los años 80, los Surge Studios producían loops y películas porno de largometraje. Y fue una de las primeras compañías porno a tener actores usando condones, como lo opuesto de todas las películas porno de menos de 10 años antes.
Richard, el novio de Al, se murió de SIDA en 1986. Y él se quedo muy triste, pero mantenía todavía su vida sexual promiscua.
Al comenzó a tener una relación con el actor porno Justin Cade, pero ese no pudo aceptar la vida que Al tenía (él hacía solamente sexo seguro) y la relación se acabó poco después.
Justin, que continuó como amigo de Al, pensaba que esa era una manera de él autodestruirse. Pero otros decían que Al tenía esa sexualidad compulsiva porqué había sido estuprado quando tenía 15 años.
Al se murió en 17 de Agosto de 1992, con sus 40 años, por complicaciones causadas por SIDA.
Su cuerpo fue cremado y los restos mortales fueron lanzados en el Mar de California.


Bom, então, não percam o post de Sábado, tá? Com certeza, é um assunto do interesse de todos aqui, mas que tem ficado muito esquecido ultimamente.

See you guys again next Saturday!

1/23/2007

DESTRUÍDO PELA BEBIDA E PELAS DROGAS EM 10 ANOS

Olá!!!

Bom, no post sobre o Tom Cruise, acabou entrando em discussão que a gente sempre acaba sabendo quando algum ator famoso é gay... Mas geralmente é só depois que ele já tá velho ou mesmo já morreu, né? Nesse 2º caso, como vocês sabem, eu já falei de vários aqui. E hoje, vou falar de mais um. Ele foi um ator e roteirista estadunidense muito famoso nos anos 50 e, ao contrário de muitos colegas dele, não teve uma infância pobre, não passou por dificuldades terríveis no início da carreira, mas os últimos 10 anos da vida dele foram uma das histórias mais dramáticas de Hollywood. E quem é fã de filmes do final da década de 40 e início da de 50 conhece bem o Montgomery Clift.

Edward Montgomery Clift nasceu no dia 17 de Outubro de 1920, em Nebraska, junto com a irmã gêmea dele.
Eles tinham também um irmão mais velho.
O pai deles era um banqueiro rico, proporcionando aos filhos uma infância bem confortável. Mas não tinha boas relações pessoais com eles, já que vivia bêbado.
De qualquer forma, a família sofreu um baque com a Crise de 1929, indo morar em New York.
No início da adolescência, o Edward começou a trabalhar como ator, assumindo o nome artístico de Montgomery Clift. E com 13 anos, ele tava no palco da Broadway.
A estréia na televisão foi em Hay Fever, de 1939.
Por essa época, ele teve um romance com a atriz Libby Holman, a única paixão hétero da vida dele... Aliás, ao que parece, ele nunca teve outra mulher depois dela.
Considerado um dos melhores atores do Teatro Estadunidense do final da década de 30 e início da de 40, o Montgomery se mudou pra Califórnia em 1943, disposto a investir na carreira cinematográfica.
Em 1948, ele teve nos filmes Perdidos Na Tormenta e Rio Vermelho, caindo nas graças do público e de Hollywood mesmo.
Ao contrário do James Dean, que passava pro público a imagem do garotão rebelde, o Monty, como era chamado pelos amigos, passava a imagem do bom menino que precisava de proteção. Aquele que tem gente que quer pegar no colo e fazer cafuné.rsrs
Ele chegou a ser considerado, nessa época, o homem mais bonito do Mundo!


É claro que isso, somado ao fato do Montgomery cumprir todo o padrão de beleza masculina da época, com o corpão de 1, 78 m, fez dele um símbolo sexual.
É claro que ele teve todos os homens que quis. E logo chamou a atenção do Marlon Brando, que, além de fazer umas brincadeirinhas com o Montgomery de vez em quando, também se tornou um grande amigo dele.
Aliás, os 2 foram vistos como os astros masculinos principais de Hollywood no início da década de 50.
O Montgomery também ficou muito amigo da Elizabeth Taylor. A amizade deles foi uma das mais fortes e consistentes da História de Hollywood.


E em Maio de 1956 (época em que ele tava gravando Raintree County), saindo de uma festa na casa dela, o Montgomery meteu o carro num poste, ficando inconsciente e engasgado com 2 dentes que soltaram com o impacto.
Foi a Elizabeth quem correu até o carro e conseguiu puxar os dentes lá de dentro e desafogar ele.
Com o rosto extremamente ferido do lado esquerdo (todos os ossos sofreram fraturas), o Montgomery foi levado pro hospital e, mais tarde, teve que passar por várias cirurgias plásticas pra reconstruir o rosto.
Ele voltou às gravações do filme com o rosto ainda bastante inchado... Eu não vi o filme, mas dizem que dá pra ver claramente quais foram as cenas que foram gravadas antes e depois do acidente, por causa da diferença do rosto dele.
Mesmo depois de desinchar, o rosto do Montgomery ficou insensível e imóvel pra sempre do lado esquerdo.
Os olhos e o nariz acabaram assumindo uma forma ligeiramente diferente do que eram antes, devido às cirurgias plásticas. Coisa de detalhes mesmo, nada demais. Mas foi a partir daí que a vida do Montgomery começou a descer a ladeira: traumatizado pelo acidente e pela paralisia do rosto, ele começou a beber até cair quase todo dia. Depois, começou a usar drogas em grande quantidade também.
Ele foi ficando cada vez mais deprimido e se afastando cada vez mais das pessoas. Só a amiga Elizabeth continuava incansavelmente ao lado dele, ajudando sempre que podia.
Consequentemente, o Montgomery começou a faltar às gravações dos filmes e perder um pouco a capacidade de concentração. E como ele ainda tinha uma figura bastante respeitada em Hollywood, mas viu que já tava pra deixar de ser assim em pouco tempo, ele resolveu sair de cena ainda sob aplausos, voltando pra New York, em 1961. Mas ele continuou abusando do álcool e das drogas cada vez mais. E em conseqüência disso a saúde dele foi piorando cada vez mais...
Ele só fez mais 2 filmes de destaque depois disso: Freud, de 1962, quando interpretou o personagem-título; e The Defector, em 1966.
Esse último foi graças à Elizabeth, que intercedeu por ele junto aos poderosos de Hollywood.
Ainda em 1966 (10 anos depois do acidente), morando só com um secretário particular, com quem ele raramente falava, o Montgomery foi encontrado morto na própria cama, na manhã de 23 de Julho, faltando 3 meses pra fazer 46 anos, mas com uma aparência de uns 60.
A causa da morte foi uma oclusão coronária provocada pela piora cada vez maior da saúde dele.
O Montgomery foi enterrado no Quaker Cemetery, em New York.
Ele teve ao todo 18 trabalhos como ator no cinema e televisão e 2 como roteirista.

Edward Montgomery Clift nació en 17 de Octubre de 1920, en Nebraska.
El tenía una hermana gemela y un hermano más viejo.
Su padre era un hombre rico que les dio una vida rica. Pero tenía problemas con bebida.
La familia tuvo unos problemas con la Crisis de 1929, y se fue para New York.
En su puberdad, Edward empiezó a trabajar como actor teatral, con el nombre artístico de Montgomery Clift. Y en 1939, él estaba en la TV, con
Hay Fever.
Montgomery tuvo un romance con la actriz Libby Holman, su única pasión heterosexual.
El era uno de los mejores actores teatrales de los años 30 y 40 en los Estados Unidos. Y se fue para California en 1943, para trabajar en el Cine.
Su estreno fue con 2 películas de 1948.
Montgomery era visto por el público como el muchacho frágil, el opuesto de James Dean. Y era visto como el hombre más bello del Mundo, de acuerdo con los moldes de la época.

Montgomery ha avuto gli uomini che voleva tutti quanti. E Marlon Brando (anche uno dei suoi amici) è stato uno di questi.
Montgomery e Marlon sono stati i 2 grandi attori umoni di Hollywood, nella decada dei 50.
Elizabeth Taylor è stata la migliore amica di Monty, come lui era chiamato per i suoi amici.
Nel Maggio del 1956, mentre filmava
Raintree County, Montgomery ha avuto un incidente colla sua macchina, dopo lasciare la casa di Elizabeth. E lei l’ha salvato!
Il viso di Montgomery è stato troppo ferito. E lui ha avuto molte e molte chirurgie prima di tornare allo studio, ancora col viso molto gonfio. Ed anche dei mesi dopo questo, il suo lato sinistro è diventato immobile ed insensibile per sempre, siccome i suoi occhi ed il suo naso sono diventati un po’ diversi.
Montgomery è diventato traumatizzato per l’incidente e per la nuova forma del suo viso. Ed ha cominciato ad usare degli alcolici delle droghe ogni volta di più.

Montgomery became a kind of a depressed hermit after his car accident in 1956. And Elizabeth was basically his only and best friend.
His absences in the studio became a serious problem. And Montgomery wanted to leave a respectable presence to be reminded in Hollywood. So, he moved to New York in 1961. But the drugs and alcoholics got his health in worse and worse conditions.
Montgomery was only in 2 other movies after that:
Freud (1962) and The Defector (1966).
He died on July 23rd, in 1966 (10 years after his accident), because of a coronary occlusion. He’d have been only 46 y old 3 months later, but he looked like a very older man.
His body went to Quaker Cemetery, in New York.
At that time, Montgomery’d lived alone with a private secretary who’d rarely talked to him. And Elizabeth was still his best friend. Perhaps the best one of all his life...
Montgomery worked as a TV and Cinema actor 18 times and as a scriptwriter twice.

See you guys again next Thursday.

1/20/2007

O QUE VOCÊS ACHAM?

Olá!!!

Hoje também terminei o post antes do que tava previsto. Então, vamos lá...
No post precedente, sobre o Oscar Wilde, eu recebi um comentário anônimo dizendo que eu já tinha esquecido o Frank ou que não fiz nada pra localizar o Frank depois que ele sumiu. Bom, quem disse isso, com certeza, não acompanha o blog, né? Teria visto os posts que eu fiz falando sobre esse assunto. Mas, já que parece (pelo menos pros desinformados) que eu não fiz nada pra encontrar o Frank, eu postei uma foto dele lá no Gringo-lindo, na 6ª feira. Aí, se alguém tiver visto ele em alguma parte do Brasil, pode entrar em contato comigo ou com os vários amigos virtuais dele, que procuraram por ele tanto quanto eu. A maioria tem blogs, portanto são bem fáceis de se entrar em contato.
Agora, vamos ao tema de hoje: vamos dar uma olhada no ator, produtor e diretor estadunidense Tom Cruise.

Thomas Cruise Mapother IV nasceu em 03 de Julho de 1962, em New York.
Ele era o único menino de 4 irmãos, numa família de antepassados alemães, galeses e irlandeses.
O Thomas morou em várias cidades do Canadá e Estados Unidos, já que a profissão do pai obrigava ele a se mudar constantemente.
O pai era muito violento, e espancava os filhos com muita freqüência. Principalmente o Thomas, que, dizem alguns, chegou até a ser estuprado por ele!
Não se sabe até que ponto isso é verdade ou não. Mas a violência em si era bem real na família. E a mãe, em 1974, decidiu se divorciar e levou os 4 filhos com ela.
O Thomas passou por várias escolas, mas sempre tinha problemas de adaptação, porque ele era cheio de traumas psicológicos (mais tarde, descobririam que ele tinha dislexia).
Nessa época, ele começou a pensar em ser padre. E até entrou prum seminário num monastério franciscano.
Em 1980, o Thomas terminou o ensino básico em New Jersey, pela Glen Ridge High School. E abandonou os estudos pra sempre.
Nas atividades mais intelectuais, a incapacidade de concentração dele era terrível. Mas nas atividades físicas (com a altura de 1, 70 m), ele até que se dava bem. Assim, o Thomas tentou se profissionalizar em luta livre. Mas como uma vez ele feriu gravemente o joelho, não pôde mais lutar. Ao mesmo tempo, ele começou a se interessar por interpretação. E em 1981, ele tava no 1º filme, Amor Sem Fim, quando adotou o nome artístico de Tom Cruise. E de lá pra cá ele já teve 31 trabalhos como ator no cinema e televisão, 15 como produtor, 1 como diretor e 1 como roteirista.
Em 1983, no filme A Chance, ele teve essa rápida cena de nu frontal:


Não aparece nada com muitos detalhes, mas dá pra ver que é do bom, né?rsrsrs
Em Maio de 1987, ele se casou com a atriz Mimi Rogers, que era membro da Cientologia, aquela seita que tem lá nos Estados Unidos que mistura dogmas cristãos com aparições de discos voadores e tal. E o Tom deixou o Catolicismo e entrou pra essa seita também, a partir daí.
Eles se divorciaram em Fevereiro de 1990. E aí começaram algumas fofocas sobre relacionamentos gays do Tom.
No mesmo ano, em Dezembro, ele se casou com a atriz Nicole Kidman. Mas, dizem algumas fofocas hollywoodianas que eles nunca tocaram um no outro.
Em 1998, um tablóide inglês alegou que o casamento era uma farsa pra encobrir as ‘escapadinhas’ gays dele. E ele, puto da vida, caiu em cima processando.
Pra dizer a verdade, as fofocas nos Estados Unidos falavam que o Tom era visto saindo com homens e com mulheres.
De qualquer forma, ele e a Nicole adotaram 2 filhos.
Eles se divorciaram em Agosto de 2001, quando ela tava grávida de 3 meses (mais tarde, ela perdeu o filho). E claro que muita gente dizia que o filho não era do Tom.
Nesse mesmo ano, o ator pornô Chad Slater, também conhecido como Kyle Bradford, contou numa entrevista que tinha tido um romance com o Tom. Mas como ele multou o Chad em U$ 10.000.000.00 por difamação, ele não falou mais nada.
A forma agressiva como ele reage a esse tipo de comentário parece mostrar que eles não são tão infundados assim. Se perturbam ele tanto, né? E por que mais ele entraria em pânico sempre que é chamado de “homossexual”?
O fato dele já ter pensado em ser padre também dá o que pensar. Afinal, sejamos francos, eu nunca vi nem 1 único padre ou aspirante a padre que não tivesse algum problema mal resolvido em relação a sexo. Não tô dizendo que todos os padres (ou aspirantes) são gays. Mas que todos eles são problemáticos em relação a sexo, acho que disso ninguém duvida, né?
Bom, depois das declarações do Chad, o Tom começou a aparecer em público com a atriz Penélope Cruz. Mas os fofoqueiros de plantão garantem que esse “namoro” foi só pra dar fim aos boatos sobre ele ser gay. Aliás, dizem que ela fez o mesmo ‘favor’ ao Matthew McConaughey, né?
Gente, olha só: pra quem não se lembra, no dia 06 de Setembro do ano passado, num aeroporto de Ontário, no Canadá, o John Travolta foi flagrado dando um beijo na boca de um desconhecido (que aliás, até hoje, não ficou claro quem era). Eu fiz um post sobre isso em Setembro, no Gringo-lindo. Tá lá pra quem quiser ver.
Depois disso, o ator pornô Paul Barresi, que antes já tinha dito em público que tinha tido uma relação com o John, resolveu aproveitar o gancho pra reafirmar o que tinha acontecido. E aí decidiu lançar a autobiografia dele (Pellicano’s Enforcer), contando sobre todos os homens famosos com quem ele já transou. E o Tom tá entre eles. Também fiz um post sobre isso no Gringo-lindo em Outubro.
Em Novembro do ano passado, o Tom se casou com a atriz Katie Holmes... E agora? Será que esse casamento é pra valer? Será que é só pra encobrir mais alguma coisa? Apesar da gente não poder afirmar nada com certeza, o que é que vocês acham?

Thomas Cruise Mapother IV was born on July 3rd, in 1962, in New York.
He was the only male among 4 siblings, in a German, Irish, and Welsh family. And they lived in different towns of the States and Canada, because their father had to travel so much on business.
By the way, this one was very violent to his children. And some people say even Thomas was raped by his father!
Nobody knows if it’s the true story or only a gossip. But the father’s violence all and all was too real. So, the mother divorced from him in 1974, and went away with her 4 children.
Thomas was a very traumatized boy. And he couldn’t stay at any school for a long time (later, he’d know he had dyslexia).
At this time, he started thinking about living as a catholic priest.
When Thomas finished Glen Ridge High School, he’s stopped studying.
He thought about becoming a wrestling professional. But he couldn’t go ahead because of a knee injury. And at the same time, he started thinking about an acting career.
In 1981, he was in his 1st movie,
Endless Love, as Tom Cruise. And from this time he’s been on Cinema and TV as an actor for 31 times. He’s also been a productor for 15 times, a director for once, and a script writer for once.

En 1983, Tom estuvo en la película
All The Right Moves, donde se puede ver esa rápida escena de su polla. Y es una bella polla, ¿verdad?
En Mayo de 1987, él se casó con la actriz Mimi Rogers, que lo llebó para la Cienciología. Pero ellos se divorciaron en 1990, el mismo año en que comenzaron algunos chismes hablando de relaciones homosexuales de Tom.
En Diciembre, él se casó con la actriz Nicole Kidman. Pero hay quién dice que fue un casamiento solo de apariencia.
En 1998, Tom se quedó furioso cuando un tabloid inglés dijo que el casamiento era solo una pantalla para sus relaciones con hombres.
En los Estados Unidos, los chismes decían que él era visto con hombres y con mujeres.
Enfín, Tom y Nicole adoptaron 2 hijos. Y se divorciaron en Agosto de 2001 (ella estaba embarazada, y los chismes decían que el hijo no era de Tom).
En es mismo año, el actor pornográfico Chad Slater, también conocido como Kyle Bradford, dijo que él y Tom tuvieron una relación gay. Pero Tom lo multó en U$ 10.000.000.00. Y él no dijo nada más.
Un otro actor pornográfico, Paul Barresi, dice que también tuvo relaciones con Tom... Sí. Paul es aquello que dijo que tuvo relaciones con John Travolta también. Para quién no lo sabe, puede ver mejor la historia
aquí y
aquí

Sempre che qualcuno lo chiama omosessuale, Tom diventa una belva furiosa. E questo ci fa pensare che c’è qualcosa vera (o quasi vera) in questo tema. Se questo l’arrabia così... Perché lui avrebbe questa paura gigante di essere chiamato gay?
C’è bisogno di ricordare che Tom ha già pensato di essere un sacerdote catolico. Ed io non ho mai visto 1 solo sacerdote catolico che non abbia qualche tipo di problema col sesso.
Chiaramente, io non sto dicendo qui che i sacerdoti tutti quanti sono gay. Non è questo. Ma tutti quanti hanno visibilemente dei problemi quando si parla di sessualità. Qualcuno non è d’accordo?
C’è stato un tempo quando Tom era visto sempre e sempre insieme all’attrice Penélope Cruz. Ma c’è chi dice che questo era solo per dare la fine ai pettegolezzi che parlavano della sua omosessualità. E si dice che lei ha fatto lo stesso favore a Matthew McConaughey, vero?
Nell’ultimo Novembre, Tom ha sposato l’attrice Katie Holmes. Così... Che voi ne pensate? Sarebbe questo matrimonio solo per dare la fine a degli altri pettegolezzi? O sarebbe questo matrimonio un vero matrimonio? Che ne dite?


É isso aí. Até a próxima!

See you guys again next Tuesday!

1/19/2007

“SOMDOMITE”?! WHAT IS IT?

Olá!!!

Bom, o post de hoje vai ser histórico. Vamos falar sobre alguém que, apesar de ter morrido quase completamente abandonado e só com 46 anos, foi um dos maiores nomes da Literatura do século XIX. Com vocês, o escritor e autor teatral irlandês Oscar Wilde.

Oscar Fingal O’Flahertie Wills Wilde nasceu em Dublin, em 16 de Outubro de 1854. Ele era filho dos escritores William Wilde e Jane Francesca Elgee.
O Oscar estudou em casa, com professores particulares, até os 9 anos. Depois, com 10, ele foi pro Internato Portora Royal, em Fermanagh, na atual Irlanda do Norte, terminando os estudos lá com 17 anos.
Ele só era liberado no Verão, pra passar as férias com a família.
Bom, deixando esse colégio, o Oscar foi pra Trinity College, em Dublin. E lá ele se formou em Cultura Clássica, em 1874.
Aluno prodígio, o Oscar ganhou a Medalha de Ouro de Berkeley, o prêmio mais alto prum estudante de Cultura Clássica. E ele ganhou uma bolsa de estudo prum curso de pós-graduação na Magdalen College, em Oxford.
Aí, o Oscar começou a se interessar pelo Estetismo (uma corrente literária que defendia a prática da “arte pela arte”).
Ele tinha um comportamento bem diferente de quase todos os homens daquela sociedade, tendo um jeito meio debochado (que manteria pra sempre), deixando os cabelos crescerem, decorando o quarto dele com penas de pavão e se declarando um homem capaz de amar como os antigos gregos, deixando os conservadores bem assustados!rsrsrs
Alguns historiadores contam que o Oscar também pagava a alguns rapazes pra... fazer umas brincadeirinhas com ele. E ele manteve esse hábito por algum tempo. E ainda tem gente que pensa que prostituição masculina é coisa moderna!rs
Em 1976, o Oscar conheceu o artista plástico Frank Miles. E, de acordo com alguns historiadores, foi com ele que o Oscar teve a 1ª relação a 2 fixa da vida dele. Verdade ou não, eles ficaram amigos inseparáveis, passando a andar juntos o dia inteiro.
O Oscar terminou o curso na Magdalen College em 1878. E nesse mesmo ano ele recebeu lá o Prêmio Newdigate, pelo poema Ravenna.
Logo depois disso, ele voltou pra Dublin. E aí parece que teve um namoro rápido (aparentemente só uma espécie de paquera) com a Florence Balcombe. Mas ela se casou com o Bram Stoker.
O Oscar ficou meio puto com isso... E, talvez por isso, ele decidiu se dedicar bem mais ao trabalho do que à vida pessoal. Conclusão: daí até 1884, ele viajou pela Inglaterra, França e Estados Unidos, fazendo várias palestras seguidas sobre Literatura.
Quando teve nos Estados Unidos, ele conheceu o poeta Walt Whitman, com quem ele mesmo contaria numa carta que teve uma das experiências mais inesquecíveis da vida dele. E também foi aí, em 1882, que o Oscar encenou a 1ª peça dele, em New York: Vera ou Os Niilistas.
Em Maio de 1884, ele se casou com a Constance Lloyd, que ele tinha conhecido na Inglaterra. E eles tiveram 2 filhos: o Cyril (em 1885) e o Vyvyan (em 1886).
Por essa época, o Oscar começou a ter um caso com o Robert Baldwin Ross. Mas parece que foi meio passageiro, mas que resultou numa grande amizade.
Em 1891, o Oscar publicou, talvez, a obra principal dele: O Retrato de Dorian Gray.
E nesse mesmo ano ele conheceu o Alfred Douglas, um garotão de 21 anos, o que foi, sem dúvida, o romance mais conhecido dele.


Só que o Alfred era filho do Marquês de Queensberry, que teve um troço quando soube do relacionamento dele com o Oscar. E em 1895, o marquês fez chegar até o Oscar um bilhete, chamando ele de “somdomite”. O Oscar ridicularizou o bilhete e o próprio marquês, que nem sabia escrever sodomite (“homossexual”, em Inglês Arcaico). Mas denunciou o marquês por difamação. Só que isso provocou um escândalo que trouxe à tona vários relacionamentos do Oscar com homens, o que era proibido juridicamente, naquela época, na Inglaterra. É bom lembrar que quem tava no trono nessa época era a Vitória I, a Rainha mais conservadora da História da Inglaterra. Pra vocês terem uma idéia, ela era assim... 10 vezes mais conservadora do que a Elizabeth II. Então, vocês imaginam como eram tratadas as situações ligadas a sexo, naquela época, na Inglaterra, né?
Bom, em meio a um verdadeiro escândalo social, o Oscar foi condenado a 2 anos de prisão e trabalhos forçados. Alguns amigos tentaram arranjar pra que a pena dele fosse mudada de encarceramento pra exílio. Mas ele mesmo quis ficar, como forma de desafio aos que prenderam ele.
Depois disso, começaram a ser criadas muitas lendas populares sobre a sexualidade do Oscar. E ainda hoje fica meio difícil saber com 100% de certeza quem foi ou não amante dele.
Na prisão, o Oscar continuou a escrever, usando a Literatura como terapia. E produziu A Alma do Homem Sob O Socialismo e Balada do Cárcere de Reading.
Em Maio de 1897, cumprida a pena, ele foi libertado. E entre os poucos amigos que se mantinham fiéis a ele, tava lá o Robert Baldwin Ross, esperando na saída da prisão. Mas quem saiu de lá foi um Oscar com uma aparência mais velha e bem menos saudável do que o que tinha entrado 2 anos antes.
Com a fama arruinada na Inglaterra, por causa dos escândalos e da prisão, ele foi pra França, adotando o nome artístico de Sebastian Melmoth (ele pensava numa continuação, de outra forma, da carreira de escritor).
Ainda assim, ele não tinha desistido de provocar polêmica. E anunciou que tinha virado católico. E, por incrível que pareça, teve gente que levou a sério!rs
Em Paris, sem dinheiro nem pro básico, o Sebastian conseguiu alugar uma cabeça de porco de 2 cômodos, num bairro pobre, onde se alojaria daí pra frente.
Ele realmente ainda escreveu mais um pouco. Mas já não tinha mais a mesma inspiração nem disposição de antes. E passava a maior parte do tempo enchendo a cara e trepando com quem dava bola pra ele, o que acabou contaminando ele com sífilis.
Apesar disso, em 1899, o Sebastian ainda conseguiu publicar A Importância de Ser Prudente e Um Marido Ideal.
Com a saúde mais debilitada ainda do que já tava quando saiu da prisão, ele foi morto por um ataque de meningite, em 30 de Novembro de 1900.
Passados 9 anos da morte do Sebastian, que voltou a ser conhecido como Oscar, em 1909, foi publicada uma obra dele que tinha ficado na gaveta por uns 30 anos: The Rise of Historical Criticism.
E atualmente, o escritor Merlin Holland, neto do Oscar (filho do Vyvyan), é a maior autoridade na obra do avô. E ele tá escrevendo agora, aos 62 anos, a biografia mais completa dele. E um dos temas principais vai ser a forma como a homossexualidade era tratada naquela época.

Oscar Fingal O’Flahertie Wills Wilde è nato a Dublin, nel 16 d’Ottobre del 1854. Lui era il figlio degli scrittori William Wilde e Jane Francesca Elgee.
Ai 10 anni, dopo aver studiato a casa, lui è andato all’Internato Portora Royal, dove è stato fino ai suoi 17 anni, senza uscirci eccetto per le vacazione d’estate.
Dopo questo, Oscar è andato alla Trinity College. Ed è stato laureato per Cultura Classica nel 1874.
Lui era uno dei migliori alluni. Ed ha ricevuto la Berkeley Gold Medal.
Finito questo, Oscar è andato alla Magdalen College, dov’è stato interessato nell’Estetismo.
Diverso degli altri uomini della sua società, Oscar aveva i capelli lunghi e si diceva qualcuno che amava come i greci antichi. La sua stanza aveva delle penne di pavone decorative.
C’è chi dice che, alle volte, lui faceva il sesso con dei prostituti in quest’epoca.
Nel 1976, Oscar ha conosciuto Frank Miles, che è stato (si dice) il suo primo amante sincero. Veramente, Oscar e Frank sono diventati grandi amici.
Oscar ha finito la Magdalen College nel 1878, lo stesso anno quando ha ricevuto il Premio Newdigate, per
Ravenna.

In 1878, Oscar left Oxford and went back to Dublin.
He dated Florence Balcombe. But she married Bram Stoker.
After that, Oscar became a workaholic. And to 1884, he’d traveled to England, France and the United States on business.
In North Americ, he met Walt Whitman, one of his lovers (presumably).
And in 1882, his theater play
Vera; or The Niilists was on stage in New York.
In 1884, Oscar married Constance Lloyd, the mother of his 2 sons: Cyril and Vyvyan.
At this time, Oscar seemed having had an affair with Robert Baldwin Ross, one of his best friends.
In 1891, Oscar published The Picture of Dorian Gray. And in this same year he met the 21-y-old Alfred Douglas, his most famous lover.
Alfred was the son of the Marquess of Queensberry. And this one didn’t accept their relationship.
In 1895, the marquess left a card to Oscar calling him “somdomite”. And Oscar made fun of this, because the man couldn’t even write SODOMITE. But he decided to charge the marquess with criminal libel.
Anyway, because of that, Oscar’s sexual contact to all his male lovers became public. And it was illegal at this time. So, he was sentenced to 2 years’ hard labour, besides a terrible social scandal.

Cuando estaba preso por haber tenido relaciones sexuales con hombres (lo que era ilícito en Inglaterra cuando Victoria I reinaba), Oscar continuó a escribir.
En Mayo de 1897, él fue suelto. Y entre los pocos amigos que todavía tenía, Robert Baldwin Ross lo esperaba. Pero Oscar estaba más viejo y enfermo después de 2 años preso.
Su renombre estaba acabado en Inglaterra. Así, él se fue para Francia, con el nombre artístico de Sebastian Melmoth.
El dijo en esa época que había se tornado católico. Pero eso era solo un chiste.
En Paris, Sebastian tuvo una vida muy pobre, viviendo en un pequeño apartamento de 2 cómodos. Y continuó su carrera de escritor. Per no era más la misma cosa que antes.
El bebía mucho y tenía relaciones sexuales de manera promiscua, lo que le causó sífilis.
En 1899, Sebastian pudo publicar más 2 libros. Pero se murió de meningitis en 30 de Noviembre de 1900.
Después de 9 años de su muerte, cuando ya era llamado Oscar de nuevo, fue publicado
The Rise of Historical Criticism, que él había escrito 30 años antes.
Actualmente, el único nieto de Oscar, Merlin Holland (hijo de su hijo Vyvyan) es el principal conocedor de su vida. Y está escribiendo su biografía más completa, que hablará de la manera como la homosexualidad era vista en aquella época.


Bom, o próximo post vai ser meio polêmico. Nenhum assunto de que ninguém tenha ouvido falar antes, mas vocês vão gostar.rs
Bom fim de semana.

See you guys again next Sunday!

1/16/2007

O PRÓXIMO REI DOS PAÍSES BAIXOS

Olá!!!

Bom, eu ia fazer esse post amanhã. Mas, como hoje eu tive um tempinho a mais e ele ficou pronto agora, lá vai ele...
No outro dia eu tava conversando com o meu amigo Ric, quando ele mencionou no blog dele a cidade de Amsterdã. E eu disse que, por coincidência, eu tava pra fazer um post aqui sobre uma pessoa lá dos Países Baixos. É. Aquele reino que, popularmente, a gente chama de Holanda. Mas o nome oficial do país é Reino dos Países Baixos. E a língua que se fala lá, que, popularmente, a gente chama de Holandês, na verdade se chama Neerlandês.
A capital oficial dos Países Baixos é mesmo Amsterdã. Mas a cidade de Den Haag, muitas vezes, acaba aparecendo mais politicamente. Inclusive, é em Den Haag que a Família Real Neerlandesa mora. E o post de hoje é exatamente sobre um dos membros principais da família real. Com vocês, o Príncipe Willem, o próximo Rei dos Países Baixos.

Willem-Alexander Claus George Ferdinand van Oranje-Nassau nasceu em Utrecht, em 27 de Abril de 1967.
Ele é o 1º filho da Rainha Beatrix I van Oranje-Nassau e do Jonkheer Claus Geert (jonkheer é um título de nobreza da monarquia neerlandesa).
Sendo o mais velho, o Willem recebeu o título de Príncipe de Oranje, ou seja, de herdeiro do Trono dos Países Baixos.
Aliás, curiosamente, ele vai ser o 1º homem a ocupar esse trono desde 1890. Em Novembro desse ano, morreu o Rei Willem III, passando a filha dele a ser a nova rainha, Wilhelmina I. Ela ficou no trono até Setembro de 1948, quando abdicou, passando a filha dela a ser a nova rainha, Juliana I. Essa ficou no trono até Abril de 1980, quando abdicou, passando a filha dela a ser a nova rainha, Beatrix I. E quando ela morrer ou abdicar, o Willem vai passar a ser o novo Rei dos Países Baixos.
Bom, ele estudou numa escola protestante em Den Haag (ele foi criado como membro da Igreja Protestante Reformada Neerlandesa), onde teve contato com crianças de todas as classes sociais.
O Willen se formou em História pela United World College of The Atlantic, em Gales, e pela Universität Leiden, nos Países Baixos.
Tendo se alistado na Força Aérea, ele se tornou um grande piloto de aeronaves e um grande interessado em esportes (principalmente corrida, esqueitismo e futebol, que deixaram ele bem em forma até hoje). E por falar em Força Aérea, sendo o futuro rei, o Willem tem a obrigação de tá sempre presente nas comissões do Exército, Força Aérea e Marinha dos Países Baixos.
Em 1991, ele foi pro Quênia, participando como voluntário do AMREF. E chegou a pilotar alguns aviões, transportando mantimentos. Isso aumentou bastante a popularidade dele entre os súditos.


Aliás, o Willem sempre procurou passar uma imagem popular. Ele já correu na Maratona de New York e já participou da Corrida de Skate de Friesland... Enfim, ele costuma tá presente em eventos esportivos populares (dá pra ver que ele é bem animado, né?). E em 1998, ele foi eleito membro do Comitê Olímpico Internacional.
Em Fevereiro de 2002, o Willem se casou com a administradora financeira argentina Máxima Zorreguieta Cerruti, que recebeu o título de Princesa de Oranje. Apesar de ele ser protestante e ela ser católica, isso não chegou a ser um problema. Até porque o Willem nunca chegou a ser praticante fervoroso.
O único ‘problema’ causado por esse casamento é que ele é descendente do Rei George II, da Inglaterra, o que faria dele um herdeiro virtual (super virtual, né?) do Trono da Inglaterra. Mas, pela Lei de Sucessão Inglesa, o Willem e todos os descendentes dele perderam o direito a esse trono quando ele se casou com uma católica... Mas, sinceramente, qual é a merda de diferença que isso faz???rsrsrs
Bom, nesse mesmo ano, com a morte do pai, em Outubro, o Willem herdou o título dele de Jonkheer de Amsberg.
Em Dezembro de 2003, nasceu a 1ª filha dele e, consequentemente, a herdeira do trono depois dele: a Princesa Catharina-Amalia.
Em Junho de 2005, nasceu a 2ª filha do Willem, a Princesa Alexia. E atualmente a Máxima tá grávida de novo! O bebê deve nascer em Abril (parece que sexualmente ele também é bem animado, né?rsrsrs).

El Príncipe Guillermo Alejandro Claus Jorge Fernando de Oranje-Nassau nació en Utrecht, en 27 de Abril de 1967.
Su madre es la Reina Beatriz I de Oranje-Nassau y su padre era el Jonkheer Claus Geert.
Guillermo será el próximo Rey de los Países Bajos. Y será el primer hombre a serlo desde 1890, cuando el Rey Guillermo III se murió. Después de eso, el trono se fue para su hija (la Reina Guillermina I), después para la hija de esa (la Reina Juliana I) y después para la hija de esa (la Reina Beatriz I).
Guillermo estudió en una escuela protestante en La Haya, porqué es miembro de la Iglesia Protestante Reformada de los Países Bajos.
El tuvo contacto con niños de todos los tipos.

Il Principe Guglielmo è laureato in Storia per l’United World College of The Atlantic e per l’Universität Leiden.
Lui è stato nell’Aeronautica dei Paesi Bassi, dove è diventato un buon pilota di aereoplani.
Guglielmo ha cominciato a interesarsi per gli sporti, che anche oggigiorno gli hanno dato un bel corpo (lui è stato nella Maratona di New York e nell’Elfstedentocht).
Come prossimo Re dei Paesi Bassi, lui deve essere presente nelle comissioni dell’Aeronautica, dell’Esercito e della Marina.
Nel 1991, Guglielmo è andato in Kenya, dove ha lavorato come volontario nell’AMREF. E nel 1998, lui è diventato membro del Comitato Olimpico Internazionale.

In 2002, Prince Willem married the investment banker Máxima Zorreguieta Cerruti. He’s protestant and she’s catholic. But it wasn’t a problem to them.
Anyway, he was excluded as an heir to the English Throne because of this marriage (he’s a descendant of King George II of England). But what fucking importance does it have to him?rs
Anyway, Willem’s father, Jonkheer Claus Geert, died in the same year. So, Willem became the new Jonkheer of Amsberg.
In December of 2003, he had his 1st daughter, Princess Catharina-Amalia (she’ll be the new Queen of Netherlands after his death or abdication).
In June of 2005, Willem’s 2nd daughter was born, Princess Alexia. And at moment Máxima’s pregnant again! Their new child’ll be born next April.
You guys can see Willem’s a very agitated man (even sexually!).


Daqui a pouco eu passo nos blogs de todo mundo pra dar um ‘alô’. Até mais. Abraço pra todos!

Hasta Viernes.

1/15/2007

CUIDADO COM O ´BOA NOITE CINDERELA`!

Olá!!!

Bom, vou antecipar que o tema de hoje tá relacionado a um assunto que não é muito agradável: o ‘boa noite cinderela’.
É preciso lembrar que isso não é um sonífero, como muita gente pensa. Pelo contrário: a pessoa fica bem acordada. O ‘boa boite cinderela’ é um conjunto de drogas que produz uma semi-inconsciência na pessoa, deixando ela num estado meio bestializado, respondendo sem mentir a tudo que perguntam, concordando sem resistência em fazer com tudo o que mandam ela fazer...
A grande maioria... Na verdade, a quase totalidade das vítimas desse golpe não registram queixa. Até por vergonha de terem caído num truque tão simples e barato.
O fato da maioria dos golpistas agirem frequentemente no mesmo lugar e no mesmo horário parece confirmar isso: eles sabem que ninguém (ou quase ninguém) vai abrir a boca, por pura vergonha de ter caído no truque.
Acho que todo mundo sabe o que é que tem que fazer pra evitar situações assim, né? Não aceitar nenhuma bebida que já venha servida num copo (a não ser que você tenha visto de onde ela saiu e como foi servida); e não deixar o copo com bebida na mesa, sair e depois voltar e beber no mesmo copo. Por isso que a pessoa acaba ficando com vergonha. Ela não tomou nem esses cuidados mais básicos.
Apesar da maioria dessas situações terem acontecido em bares e boates, também já foram registrados casos em praias e até em parques, onde se vende alguma coisa pra beber.
Geralmente, o cara não chega já oferecendo alguma coisa pra pessoa beber. Primeiro ele se aproxima e conversa bastante, demonstrando interesse sexual na pessoa e tal. Depois de mais ou menos 1 hora, ele sugere que a pessoa vá beber alguma coisa com ele, num lugar mais reservado ou ali mesmo onde eles tão. E num mínimo momento de distração da vítima, ele joga um ‘boa noite cinderela’ dentro do copo dela. E daí pra frente ele vai perguntando e a pessoa vai respondendo sem resistência o número do cartão do banco, o número da conta corrente, o número da caderneta de poupança, o número das senhas... E isso além de roubar tudo o que puder carregar da casa da pessoa, enquanto ela tiver sob o efeito da droga.Bom, tô dizendo tudo isso porque a pessoa de quem eu vou falar hoje já caiu nesse truque. Se trata do ator, apresentador e garoto-propaganda Carlos Takeshi.

Carlos Takeshi Saito nasceu em São Paulo, em 16 de Junho de 1960, numa família 100% japonesa.
Ele entrou pra Universidade de São Paulo (USP) pra fazer o Curso de Agronomia. Mas depois mudou pra Arte Dramática, se formando aí.
A 1ª novela dele foi Os Adolescentes, de 1981, quando ele adotou Carlos Takeshi como nome artístico simplificado.
Depois disso, ele começou a trabalhar como dublador. E os 2 trabalhos mais marcantes do Carlos nessa área foram nos 2 tokusatsus (seriados japoneses) que fizeram mais sucesso no Brasil no final da década de 80... Já sabem quais foram, né? Changeman e Jaspion.
Em Changeman, o Carlos dublou o Change Griphon. E em Jaspion, ele dublou o personagem título.
Em 1987, foi a estréia do Carlos no cinema, em A Dama do Cine Shanghai.
Mas a carreira de ator de teatro parece que sempre foi o mais importante pra ele. Na peça M. Butterfly, de 1990, ele recebeu as críticas mais positivas. Aliás, eu vi!rs
Ele também já trabalhou como diretor de teatro.
O Carlos se tornou mais conhecido do grande público no início dos anos 90, quando começou a trabalhar como garoto-propaganda, gravando vários comerciais pra televisão (principalmente de eletro domésticos). E depois, na Globo, quando ele participou das novelas A Viagem (1994), O Rei do Gado (1996) e O Amor Está No Ar (1997).
Em 2001, o Carlos foi pros Estados Unidos, fazer uma turnê com a peça Coração Na Boca.
Em 2002, ele se mudou de vez pro Rio. E em Maio desse mesmo ano, a homossexualidade dele veio a público talvez da pior forma que pode vir...
A história foi a seguinte: o Carlos foi a uma boate gay na Barra da Tijuca. E lá ele conheceu um cara que seguiu exatamente o procedimento que eu descrevi aí em cima. O cara convenceu o Carlos a levar ele pra casa e, num determinado momento (provavelmente depois da transa), o Carlos foi tomar banho. E quando ele saiu, o cara tinha preparado uma bebida que ofereceu a ele...
Enquanto o Carlos tava semi-inconsciente, o cara foi pegando os cartões de crédito e talões de cheque dele, botou tudo no carro dele e se mandou, deixando o Carlos lá no estado em que tava!
Mas o azar do bandido foi exatamente a pressa em fugir: ele saiu em alta velocidade e bateu num carro que tava parado no sinal de transito seguinte, matando a motorista do outro carro na hora, com a batida!
Puta que pariu! Que merda, hein! Mas, pelo menos, a policia pegou ele.
Bom, depois dessa, claro que o Carlos nem teve como negar mais nada sobre a sexualidade dele, né?
Em 2006, ele teve o trabalho até agora de maior destaque na televisão, em Belíssima, quando ele interpretou o Takae, o 5º marido da personagem da Claudia Raia.
Atualmente, o Carlos trabalha como apresentador na emissora de vendas Shoptime, da TV a cabo.
Ele teve até hoje, sem contar os vários e vários trabalhos no teatro, 13 trabalhos como ator no cinema e televisão.

Carlos Takeshi Saito was born in São Paulo, on June 16th, in 1960, in a Japanese family.
He went to USP to graduate as an agronomist. But he changed his university course and graduated as an actor.
His 1st soap was
Os Adolescentes, in 1981. Then, he got Carlos Takeshi as his stage name.
After that, he started working as a voice actor. And his 2 main pieces of work in this job were the Brazilian versions of Japanese TV series
Kyoju Tokuso Jaspion and Dengeki Sentai Changeman. Carlos voiced Jaspion himself in the 1st one and Change Griphon in the 2nd one.
In 1987, he had his 1st movie as an actor:
A Dama do Cine Shanghai.
But he’s always been a theater actor before being a TV or a cinema actor. One of his best times in theater was in 1990, at M. Butterfly.

Carlos ya trabajó como actor y director de teatro.
En la década de 90, él trabajó en anuncios publicitarios para TV. Y después trabajó en las telenovelas
A Viagem (1994), O Rei do Gado (1996) y O Amor Está No Ar (1997).
En 2001, él estuvo en los Estados Unidos con la pieza teatral
Coração Na Boca.
En 2002, él cambió su residencia para Rio de Janeiro. Pero, en Mayo de ese mismo año, él fue a un bar nocturno gay, donde fue engañado por un tipo que lo cortejaba: Carlos lo llevó a su casa y el hombre lo drogó con ‘boa noite cinderela’. Después, él robó tarjetas de crédito y talonarios de cheque de Carlos, escapandose también con su coche. Pero enfió el coche en otro coche en el semáforo siguiente, matando la motorista.
Después de eso, Carlos no tuvo nada más para esconder de su sexualidad.

Nel 2006, Carlos ha avuto il suo lavoro più conosciuto alla TV fino adesso. Lui è stato al teleromanzo
Belíssima, col personaggio Takae, che era il quinto marito del personaggio dell’attrice Claudia Raia.
Oggigiorno, Carlos lavora alla stazione TV Shoptime, come qualche tipo d’attore e showman allo stesso tempo.
Carlos è già stato in molti e molti show teatrali come attore e direttore. Ed al Cinema ed alla TV lui ha avuto fino adesso 13 lavori come attore.


Bom, não posso encerrar esse post sem dizer pra quem caiu no truque do ‘boa noite cinderela’ que você não pode ficar calado. Você marcou bobeira? Marcou, com certeza. Mas aí vai fingir que não aconteceu nada? Não pode! Denuncie!!!
Hasta Miércoles.

1/13/2007

O POWER RANGER QUE SE DEMITIU

Olá!!!

Gente, finalmente Quinta e Sexta foram dias ensolarados aqui no Rio! Tava chovendo quase sem parar desde o final de Dezembro! E pior que o Sol veio com tudo: agora tá fazendo um CALOR de rachar!!!rsrsrs
Bom, vamos ao tema de hoje: com vocês o ex-ator e atual produtor estadunidense David Yost.

David Harold Yost nasceu em Yowa, em 07 de Janeiro de 1969... Curiosamente, algumas documentações mostram a mesma data, só que em 1971.
Ele é o 2º filho (e o único menino) de uma família judaica. Mas o David, pessoalmente, não seguiria nenhuma religião.
Ele sempre foi ligado em exercícios físicos, desde criança. E participou de vários concursos de ginástica em Yowa e Montana, com o corpão de 1, 73cm.
O David se formou em Comunicação e Arte Dramática pela Graceland College, em Montana. E depois disso, em 1993, ele se mudou pra Califórnia, disposto a investir na carreira de ator.
Passados 2 meses, ele conseguiu ser escalado pra 1ª temporada de Power Rangers: ele foi o 1º Ranger Azul.


O David interpretou esse personagem nas 3 primeiras temporadas, ou seja, de 1993 a 1995.
Também foi em 1995 que ele apareceu no 1º filme sobre o seriado: Mighty Morphing Power Rangers: The Movie.
Saindo desse filme, o David já emendou em outro, Ladykiller. Mas interpretando um personagem secundário.
Em 1996, quando começou a 4ª temporada de Power Rangers, quase todos os atores do elenco original já tinham deixado o seriado. Mas ele ainda tava lá. Aliás, ele era um dos únicos atores que tavam lá desde o 1º capítulo do seriado.
Só que a história tava passando por algumas mudanças nesse período... Devido a uma certa queda na audiência na 3ª temporada, a 4ª foi reescrita, com novos visuais e novas funções pros personagens. E o personagem do David perdeu os poderes e deixou de ser um ranger, passando a ser uma espécie de ajudante dos rangers... Até aí, tudo bem. Só que o salário dele foi reduzido, já que ele tinha deixado de interpretar um dos heróis principais da história.
Algumas fofocas diziam que ele voltaria a ser um ranger no final dessa temporada. Se é verdade ou não, a gente nunca vai saber, porque o David não chegou ao final da temporada: puto da vida com a redução do salário, ele pediu as contas de um dia pro outro e nunca mais apareceu no estúdio!
Inclusive, no capítulo seguinte, feito às pressas, tiveram que inventar que o personagem foi atingido por uma energia extraterrestre e começou a envelhecer. Aí botaram um ator com o mesmo tipo físico do David, só que uns 20 ou 30 anos mais velho, interpretando o personagem. E no final do capítulo inventaram que ele foi pra outro planeta pra se tratar e, de lá, ele mandou uma mensagem pros amigos dizendo que não ia mais voltar pra Terra.
Pra criar a mensagem, botaram uma imagem de footage de outro capítulo em que ele tinha aparecido. E um dublador, com a voz distorcida por efeitos sonoros, falou o texto.
Daí pra frente, nem se tocou mais na existência desse personagem no seriado. Também, o que dizer depois disso, né?rsrsrs
No ano 2000, o David teve o 3º e último filme dele (pelo menos até agora). Foi o telefilme Diff’rent Strokes: When The Laughter Stopped. E depois disso ele virou diretor de produção da Sci-Fi Lab.
Em 2002, o David participou da peça teatral Fallen Guardian Angels, que tinha como objetivo doar todo o dinheiro arrecadado pro Children’s Hospitals AIDS Center. O tema da peça é o encontro de 6 pessoas que foram contaminadas pelo HIV, cada uma de uma forma diferente.
A peça conseguiu arrecadar U$ 25.000,00. E o David fez uma doação pessoal de mais U$ 5.000,00.
De lá pra cá, ele tem trabalhado basicamente como produtor de televisão. E acha que vai se dedicar mesmo a isso daqui pra frente, que tem trazido um retorno bem satisfatório pra ele.
Quanto à carreira de ator, o David diz que se aparecer algum convite interessante no futuro, pode até ser que ele retome. Mas não é uma coisa que teja realmente nos planos dele.

David Harold Yost nació en Yowa, en 07 de Enero de 1969. Mas hay quien diga que fue en 1971.
El no tenería una religión en el futuro, pero nació en una familia judía. Y tiene una hermana más vieja.
David estaría en concursos de gimnasia en Yowa y Montana, con su cuerpo de 1, 73cm.
El estudió en la Graceland College, en Montana. Y en 1993, se fue para California, pensando en trabajar como actor.
Después de 2 meses, David estaría en la primera temporada de
Power Rangers, como el primer Ranger Azul, aquello que sería hasta 1995.
En es mismo año, él estuvo en la película
Mighty Morphing Power Rangers: The Movie, también como el Ranger Azul.
Después, en 1996, David estuvo en la película
Ladykiller.

Nel 1996, è cominciato il quarto abbonamento di
Power Rangers. E David era uno dei unici attori che ci restavano dal primo episodio.
La storia cambierebbe un po’ in quest’abbonamento, perché l’altro, prima di questo, non è molto piaciuto al pubblico. Ed il personaggio di David, che prima era uno dei ranger, è diventado il loro aiutante. La parte mala è che l’attore guadagnerebbe di meno per questo.
C’è chi dice che David tornerebbe ad essere un ranger alla fine di questo abbonamento. Ma anche così, lui ha lasciato lo show e non è mai tornato nello studio.
Nel prossimo episodio, loro hanno creato la spiegazione di che il personaggio di David ha cominciato ad invecchiare dovuto ad un’energia dello Spazio. Ed è andato in altro pianeta per guarirsi.
Dopo questo, il personaggio è diventato scordato nello show.

In 2000, David was in
Diff’rent Strokes: When The Laughter Stopped, his last movie as an actor to now.
After that, he became a director of production for Sci-Fi Lab.
In 2002, David was in the theater play
Fallen Guardian Angels. It was intended to benefit the Children’s Hospitals AIDS Center. The story was about 6 HIV-people. And the show raised U$ 25,000,00. And David raised U$ 5,000,00 by himself.
From that time, he’s worked basically as a TV productor. And he intends to continue in this job, because it’s been very satisfactory to him.
At moment, David doesn’t intend to continue his acting career. But he doesn’t say anything about future.

ALAN PIERRE PELADO!

Gente, o único post de hoje ia ser o do David. Mas só vou dizer mais uma coisinha: como muitos de vocês devem saber, o Alan Pierre, do BBB, foi o 1º homem a aparecer 100% ao natural (frente e verso) ao longo das 7 edições do programa! Foi quando ele tava tomando banho, na 5ª feira. E como situações assim nunca escapam da rede, já tem vários sites por aí com as imagens. Vou deixar o link de um deles aqui pra vocês:

http://uploaded.to/?id=7a3g89

Batta sul link per vederlo faccendo la doccia.

Click on the link to see him taking a shower.

Toca el link para verlo duchandose.


Quero agradecer ao Famosos Nus, que foi responsável por essas imagens.
Bom fim de semana, gente!

Hasta Lunes.

1/11/2007

HE’S HUMONGOUS

Olá!!!

Gente, vocês lembram em Setembro do ano passado, quando eu fiz aquele post sobre o Gheorghe Muresan, o Ghitza? Bom, eu fiz aquele post porque a enquete do mês tinha sido sobre a altura dos homens, né? E ele foi o homem mais alto de quem eu já falei, com os seus 2, 31m de altura.
Bom, eu lembro que pelos comentários de vocês, todo mundo achou o tamanho dele meio exagerado, né?rs
Bom, então, hoje eu vou falar sobre outro ator mais baixo do que ele... Ou seria menos alto? Bom, esse tem 2, 16m. Então, é menos alto mesmo, né?rs Tô falando do Garry Robbins.

Ele nasceu em Ontário, no Canadá. E recebeu esse nome porque todos os irmãos dele têm nomes com o mesmo som: Barry, Larry, Shary e Terry. Mas, apesar dos nomes parecidos, o Garry foi o único dos 5 irmãos que cresceu... um pouco mais do que o comum.
É claro que, devido à altura, ele recebeu apelidos específicos: Paul Bunyon e Canadian Giant.
No início dos anos 80, o Garry foi descoberto por um caça-talentos quando trabalhava como segurança num bar. E aí ele decidiu fazer o curso de dublê e ator.
Pouco depois, em 1982, ele já tava no 1º filme dele: Humongous (“Gigante”), que até inspiraria a música The Island of Humongous.
Esse filme foi lançado aqui no Brasil com o título de O Monstro da Ilha. Mas depois, quando saiu o VHS, o título brasileiro foi mudado pra A Ilha dos Cães.
Aliás, eu queria aproveitar aqui pra ‘redimir’ esse filme das várias críticas negativas que ele recebeu ao longo dos anos... É que, vendo as críticas, me deu a impressão de que as pessoas não entenderam direito o que seria o filme. Ele é, quase sempre, classificado como TERROR, mas não é!
Em 1º lugar, porque ele não tem nenhuma cena aterrorizante. Existe uma única cena de violência explícita logo no início, mas depois tudo acontece em off, sem ninguém ver.
Em 2º lugar, nesse filme não existe nenhum ser sobrenatural, nenhuma criatura extraterrestre e nenhum mutante criado em laboratório.
A única... ‘coisa fora do comum’, vamos chamar assim, que tem no filme é um louco deformado e enorme que foi deixado sozinho numa ilha. E sem saber como sair da ilha, pra sobreviver, ele teve que matar e comer toda a criação de cães que tinha lá, até ficar sem alimento nenhum... É claro, até que um bando de náufragos chegam lá e ele começa a caçar eles pela floresta da ilha, com as intenções mais canibalescas possíveis.
Mas durante o filme todo, a criatura é retratada como um animal selvagem que mata pra comer, e não como um vilão perverso que mata por sadismo. E ele nem aparece com clareza em cena nenhuma. Essa cena, que dura 1 ou 2 segundos (só dá pra ver alguma coisa se pausar a imagem), é a que ele aparece melhor:


Então, esse é um filme de SUSPENSE, e não de TERROR. Até porque cenas de suspense e de tensão, sim, essas têm do início até o final.
Ah! E quem interpreta a criatura é o Garry, é claro!
Mas o trabalho mais conhecido dele no Brasil talvez seja no filme (esse, sim, de terror) Pânico na Floresta, de 2003. O Garry interpretava aí um dos 3 canibais deformados que viviam nas florestas canadenses preparando armadilhas pras vítimas desavisadas que passavam pelo “retorno errado”.
Além de ator, dublê e segurança, o Garry também já trabalhou como dublador, garoto-propaganda, guarda-costas e lutador de luta livre.
Aliás, além do Canadá, ele também já lutou nos Estados Unidos e Japão.
Apesar do tamanho e de já ter trabalhado em profissões realmente meio brutais, o Garry é bem conhecido pela forma gentil e educada como trata todo mundo. E ele costuma dizer que isso é o principal. É comum ver ele cumprimentando algum fã.


Muito ligado à mãe, até hoje ele ainda mora na cidade de Ontário onde nasceu: Catharines. E no tempo livre ele adora passear pela cidade de moto.
O Garry costuma tá presente em várias instituições de caridade, principalmente nas que localizam crianças desaparecidas e fazem distribuição de alimento aos pobres.
Ele já teve até hoje 20 trabalhos como ator.

Guys, if you haven’t seen yet, last September, I published a post about Gheorghe Ghitza Muresan in my other blog (Gringo-lindo). Well, he’s 231 cm tall. And he’s the tallest man who I’ve mentioned to now in my blogs.
So, today let’s talk about somebody shorter than him... Or less tall than him. I’m talking about the 216-cm-tall Canadian Garry Robbins.
He was born in Ontario. And he has this name because all his siblings have names with the same song: Barry, Larry, Shary and Terry.
Garry’s called Paul Bunyon and Canadian Giant.
In the 80s, he worked as a security guard in a bar. And then, he was invited to the movie
Humongous (the lyrics The Island of Humongous comes from that).
It was the beginning of his career as an actor and as a stuntman.


Humongous (1982) es una película de suspense, y no de horror.
No hay ninguna escena de verdadero horror. La única escena de violencia explicita es una del comienzo de la película. Las otras, en general, son de violencia implícita.
No hay en esa película seres fantásticos venidos de otro planeta, de otro mundo o de un laboratorio científico. Pero hay un hombre muy grande, loco y desfigurado que fue dejado solo en una isla.
Sin alimentación, él fue obligado a matar y comer toda la crianza de perros de la isla... Hasta la llegada de un grupo de náufragos, que serían sus nuevas víctimas. Pero no hay maldad envolvida en sus actitudes, solo instinto selvaje.
Es claro que el actor del monstruo es Garry.


Il lavoro più conosciuto di Garry qui in Brasile è stato Wrong Turn (2003).
Lui era uno dei 3 maniaci cannibali deformati delle foreste di Canada che volevano uccidere le persone che ci andavano, senza sapere della loro esistenza.
Garry ha già lavorato come attore, attore vocale, attore di pubblicità, stuntman, guardia giurata e wrestling fighter. E lui ha già lottato in Canada, negli Stati Uniti e nel Giappone.
Nonostante sia un uomo tanto grande che ha già lavorato in delle professioni violente, Garry è visto come una persona gentile. E lui dice che questo è il più importante.
Sua madre gli è molto importante. Così, lui abita ancora alla città di Ontario dove è nato, Catharines. E quando non ha niente da fare, Garry fa un giro perla città sulla moto.
Di solito, lui fa dei lavori di carità.
Garry ha avuto fino adesso 20 lavori come attore.

CAPITAIS DO BRASIL 5

Campo Grande (Mato Grosso do Sul).

Cuiabá (Mato Grosso).

Goiânia (Goiás).

Palmas (Tocantins).

Porto Alegre (Rio Grande do Sul).

Porto Velho (Rondônia).

Rio Branco (Acre).

Bom, termina aqui o desfile das capitais brasileiras. Essas 7 eram as que tavam faltando.
Eu aposto que muitos visitantes do blog que não são do Brasil (e principalmente os que são dos Estados Unidos) ficaram meio surpresos com algumas dessas cidades, né? Deviam ter uma imagem meio diferente do Brasil.
De qualquer forma, espero que todos tenham gostado, e parece que gostaram! Então, valeu.

Hasta Sábado.

1/09/2007

ELE SEMPRE NEGOU... MAS ADIANTOU?

Olá!!!

Vamos falar hoje sobre alguém que foi um dos atores de maior destaque na História do Cinema dos Estados Unidos, apesar de ser inglês, e não estadunidense... Muita gente ainda torce o nariz pra essa palavra, né?rs Mas é a palavra certa pra definir quem nasceu nos Estados Unidos.
É que a América é um continente só, do Norte da Groenlândia até o Sul do Chile. E americanos são todos os povos que nasceram na América (da Groenlândia ao Chile), e não só quem nasceu nos Estados Unidos. Quem nasceu lá é tão americano quanto quem nasceu no Brasil.
Mas vamos logo ao tema de hoje: com vocês, o ator Cary Grant.

Archibald Alexander Leach nasceu em Bristol em 18 de Janeiro de 1904. E, pra dizer a verdade, nasceu numa família meio problemática...
É que o Archibald nasceu depois que os pais dele tinham perdido outro filho. E como não veio mais nenhum depois, ele foi criado como filho único super protegido.
Quando ele tinha 9 anos, a mãe dele começou a ter uns problemas psicológicos e foi internada num hospício. E o pai disse a ele que ela tinha morrido.
Na infância e na adolescência, o Archibald foi muito tímido e introspectivo.
Ele estudou no Fairfield Grammar School. Mas com 14 anos ele adquiriu o habito de se masturbar no banheiro das meninas. Quando foi descoberto, ele foi expulso do colégio. Mas, logo depois disso, o Archibald entrou pra Troupe Teatral de Bob Pender, adotando o nome artístico de Archy Leach.
Em 1920, a troupe foi fazer uma turnê de 2 anos pelos Estados Unidos. E isso foi tempo suficiente pro Archy ver que era ali que ele queria viver, levando adiante a carreira de ator. Então, foi só o tempo de voltar a pisar no chão da Inglaterra, em 1922, e voltar pros Estados Unidos.
Em 1931, com 27 anos, ele já era um dos atores teatrais mais famosos do Missouri, ao mesmo tempo em que trabalhava como vendedor pra se sustentar.
De qualquer forma, foi nesse mesmo ano que o Archy foi pra Hollywood, mudando de nome artístico pra Cary Grant. E no ano seguinte, veio o 1º filme dele: um musical não muito conhecido chamado This Is The Night. E o Cary teve em nada menos do que 7 filmes nesse mesmo ano! Entre eles, o 1º em que ele se destacou foi Vênus Loira.
Também foi nesse mesmo ano que ele foi morar com o ator Randolph Scott numa casa de praia. Parece que os 2 mantinham um romance mais ou menos público.


Apesar disso, o Cary sempre negou solenemente qualquer contato sexual com qualquer homem, ao contrário do Randolph, que, ao que parece, falava com todas as pessoas mais próximas sobre a relação deles.
Aparentemente pra disfarçar a situação, o Cary se casou com a atriz Virginia Cherrill em Fevereiro de 1934, se divorciando dela em Março de 1935. E foi nesse mesmo ano que ele descobriu que a mãe tava viva, num hospício, o que acabou dando outro nó na cabeça dele.
De qualquer forma, ele já era reconhecido como um dos atores principais de Hollywood na época. E em 1942, o Cary conseguiu a cidadania estadunidense.
Em 1944, já com 40 anos, ele se separou do Randolph. E parece que aí o Cary andou fazendo umas brincadeirinhas com o Marlon Brando. Pra variar, né?rs
Em Julho, o Cary teve outro casamento, agora com a Barbara Hutton, de quem se divorciaria em Agosto de 1945, sem ter filhos. Em compensação, ela bancava tudo pra ele. Mas, curiosamente, ele não quis nem um centavo dela depois do divórcio.
No Natal de 1949, ele se casou com a atriz Betsy Drake. Esse foi o casamento mais duradouro dele (quase 13 anos). Mas também não produziu filhos.
A Betsy disse que no fundo ela sabia que ele já tinha tido experiências com homens, mas evitava pensar no assunto. Até porque ele era um maníaco sexual com ela na cama! Então, ela não tinha do que reclamar.
Eles se divorciaram em Agosto de 1962.
Isso nunca foi 100% comprovado, mas algumas testemunhas disseram ter visto, nessa época, o Cary e o Randolph dando o maior beijo de língua num estacionamento, na frente de todo mundo. Mas isso parece ser mais uma fofoca, né? Porque o Cary não era de se expor tanto assim.
Em Julho de 1965, ele se casou com a atriz Dyan Cannon, que tava grávida dele! E em Fevereiro do ano seguinte, nasceu uma menina, a futura atriz Jennifer Grant.
Nesse mesmo ano, o Cary encerrou a carreira no cinema com o filme Devagar: Não Corra! E depois disso ele só faria participações ocasionais na televisão.
O Cary e a Dyan se divorciaram em Março de 1968. Mas aí parece que o casamento não deu certo por causa da diferença de idade: ele era 33 anos mais velho do que ela. E acabou com uma briga judicial deles pela guarda da filha.
Depois disso, o Cary só voltou a se casar em Abril de 1981, com a Barbara Harris, que era 47 anos mais nova do que ele! E olhem que esse casamento deu mais certo do que o outro. Eles ficaram juntos até o dia 29 de Novembro de 1986, quando o Cary foi morto por um derrame cerebral, faltando pouco mais de 1 mês pra fazer 83 anos.
Ele teve ao todo 73 trabalhos como ator de cinema. E até hoje nos Estados Unidos ele é considerado um dos principais nomes masculinos da História do Cinema.

Archibald Alexander Leach (il futuro Cary Grant) è nato in Bristol nel 18 di Gennaio del 1904.
La sua famiglia aveva dei problemi, perché suo fratello più vecchio è morto prima della sua nascita. E sua madre è stata mandata (senza lui saperlo) ad un manicomio, quando lui aveva 9 anni.
Archibald è stato molto timido quando era bambino ed adolescente. Ed he studiato nel Fairfield Grammar School. Ma loro hanno finito per spellerlo perché lui si masturbava nel bagno delle ragazze.
Col nome artistico di Archy Leach, lui è diventato membro del gruppo teatrale di Bob Pender. Ed è stato negli Stati Uniti per 2 anni con loro, dal 1920 al 1922.
Archy ci è tornato, diventando uno dei attori teatrali più conosciuti di Missouri.
E lui anche lavorava vendendo delle cose.

In 1931, Archy Leach went to Hollywood. And he got Cary Grant as his new stage name.
His 1st movie was
This Is The Night. But he got really famous in Blonde Venus, in the same year.
And also in this same year Cary started living with actor Randolph Scott.
To the end of his life, Cary would deny having had any kind of sexual contact to any man. But Randolph apparently talked about their affair to their closest friends.
In 1934, Cary married actress Virginia Cherrill (presumably a beard). But they divorced in 1935.
In this same year he discovered his mother was in a lunatic asylum (many years ago, his father had told him she was dead).
In 1942, Cary became an American Citizen.
In 1944, he and Randolph finished their affair (apparently). And it’s said he and Marlon Brando went out for some times.
In July of this year, he married Barbara Hutton. And she maintained him to August of 1945, when they divorced.

En la Navidad de 1949, Cary se casó con la actriz Betsy Drake.
Ella sabía que él ya había tenido relaciones con otros hombres. Pero hacía lo posible para no pensar en eso. Hasta porqué Cary le parecía un especialista en sexo.
Ellos no tuvieron hijos y se divorciaron después de 13 años de casados, en 1962.
Hubo quien dijo que Cary y Randolph Scott fueron vistos besandose en un aparcamiento en esa misma época. Pero eso asemeja más a un chisme, ¿verdad? Cary no se exponía así.
En 1965, él se casaría con Dyan Cannon, que le daría su única hija, Jennifer Grant, en 1966.
En ese mismo año, él tuvo su última película:
Walk, Don’t Run. Después, él tenería solo participaciones en la TV.
En 1968, Cary y Dyan se divorciaron.
Solo en 1981 él se casó de nuevo, con Barbara Harris (47 años más joven que él). Y los dos se quedaron juntos hasta 1981, cuando Cary se morió, devido a un derrame cerebral, faltandole poco para cumplir 83 años.
El tuvo 73 trabajos como actor de cine.

Hasta Jueves.