10/30/2007

EGOÍSMO e INGRATIDÃO

Oi!!!

Gente... rsrsrs Não deixem de ler no post precedente o comentário que um católico fanático fez sobre a Umbanda!rs É da gente se mijar de rir! Espero que ele volte e faça mais comentários assim. Afinal, toda corte precisa de um bobo, né?rsrs
Bom, pra fechar o mês, achei que seria interessante falar aqui sobre 2 características humanas que, numa análise superficial, são vistas como negativas: o egoísmo e a ingratidão.
São características que não dá pra ver como positivas, sem dúvida. Mas por que eu mencionei que se trata de uma análise superficial? Porque depende do que você tá chamando de “egoísmo” e do que você tá chamando de “ingratidão”. Caso você nunca tenha percebido, o que as pessoas racionais chamam de “egoísmo” e “ingratidão” não são as mesmas coisas que as pessoas sentimentais chamam de “egoísmo” e “ingratidão”.Na verdade, só dá pra estabelecer uma definição dessas 2 características se a gente analisar a situação racionalmente: de um ponto de vista racional, uma pessoa egoísta é uma pessoa que só pensa nela mesma, não se importa com nada que aconteça com outra pessoa e que quer ter tudo, ou pelo menos a melhor parte das coisas, só pra ela; e uma pessoa ingrata é uma pessoa que não dá nenhum valor a alguém que tenha feito alguma coisa por ela, a alguém que tenha feito alguma coisa por alguém que é importante pra ela e nem mesmo a alguém que tenha feito os maiores sacrifícios por ela.

Mas e uma pessoa sentimental? É assim que ela pensa?rsrs
Bom, a pessoa sentimental, que, como a gente sabe, costuma ser grudenta e pegajosa, geralmente não consegue apenas conviver com outra pessoa. Muitas vezes ela quer viver em função da outra pessoa e acha que a outra pessoa também tem a obrigação de viver em função dela. E aí ela começa a deturpar as definições de ingratidão e egoísmo...
Aos olhos de uma pessoa sentimental, por mais que você se sacrifique por ela pra pagar pelo que ela já fez de bom por você um dia, por mais que você deixe de cuidar de você mesmo pra cuidar dela pra retribuir o que ela já fez por você um dia, por mais que você reconheça a importância dela e do que ela já fez por você, sempre vai parecer pouco. Pra ela, você é um ingrato.Da mesma forma, por mais que você deixe de cuidar da sua vida pra ficar junto dela quando ela precisa, por mais que você deixe de resolver os seus problemas pra resolver os problemas dela, por mais que você se anule em função dela, também sempre vai parecer pouco. Pra ela, você é um egoísta.


Foi por isso que eu disse que só dá pra estabelecer uma definição de ingratidão e egoísmo analisando a situação racionalmente. Porque aí a gente usa parâmetros de lógica. Se você deixar uma pessoa sentimental analisar isso, os parâmetros que ela vai usar vão ser as idealizações e os sonhos dela. E a gente sabe que não é possível satisfazer as idealizações e os sonhos de uma pessoa sentimental, porque ela sempre vai querer mais e mais e mais... Até que o sininho do raciocínio toque na cabeça dela, e ela veja que não dá pra ir além daquilo. Mas o problema é que, pra algumas pessoas, esse sininho demora anos pra tocar, né? E quem convive com essa pessoa vai tendo a própria vida arruinada por ela enquanto esse sininho não toca. Mesmo sendo xingado por ela de “egoísta” e “ingrato” todo dia!
Bom, eu posso dizer uma coisa a vocês: eu não sou tão masoquista a ponto de jogar a minha vida no lixo dessa forma. Eu procuro tomar o máximo possível de cuidado pra não ser um ingrato ou um egoísta numa avaliação racional desses valores. Mas numa avaliação sentimental, aí eu não me importo em ser um Egoísta com E maiúsculo ou um Ingrato em I maiúsculo. Melhor isso do que chegar lá no futuro e concluir que eu desperdicei a minha vida com uma merda de pessoa que não merecia isso.

What’s selfishness? What’s ungratefulness?
Actually, we have to be rational to answer these questions...
A selfish person is somebody who thinks only in himself, doesn’t care about anything which could happen to anyone, and wants everything (or, at least, the best part of everything) only to himself.
An ungrateful person is somebody who doesn’t care about the people who did him something positive, even if these people sacrificed the best of their lives for him.
But that’s the rational explanation! Does an emotional person think like that? Of course not. This creature usually wants to belong to the other person 24 hours a day and wants the other person to belong to him 24 hours a day too! So, what does he think about selfishness and ungratefulness?
For an emotional person, you can sacrifice everything for him, you can forget yourself to take care of him, you can admit he’s very, very important in your life... But it won’t be so much for him: he’ll call you “ungrateful”!
In the same way, you can stop taking care of your life to be with him when he needs you, you can forget your problems to solve his problems... But it won’t be so much for him: he’ll call you “selfish”!
A person who uses his mind’s rational side to call you “selfish” or “ungrateful” is probably right. But the one who uses his emotional side to judge you will do that using his dreams and fantasies, which don’t have anything rational. So, he’ll want more and more and more from you forever. Or for many years, until he starts thinking rationally.


¿Que es egoísmo? ¿Que es ingratitud?
Tenemos que ser racionales para contestar a esas preguntas...
Una persona egoísta es aquella que piensa solamente en ella propia, nada que pase a otra persona le hace daño y quiere todo, o por lo menos la mejor parte de todo, solamente para ella propia.
Una persona ingrata es aquella que no da importancia a otra persona que haya hecho ya alguna cosa buena por ella (o por alguien próximo a ella) ní a las personas que hayan hecho los mayores sacrificios de sus vidas por ella.
¿Una persona sentimental también piensa así?
Bueno, sabemos que una persona sentimental quiere vivir 24 horas por día para otra persona y quiere esa otra persona para vivir así también para ella. Entonces, lo que ella llama “egoísmo” y “ingratitud” no es eso.
Para una persona sentimental, tú puedes sacrificarte siempre por ella, tú puedes dejar de asistirte para asistirla siempre, tú puedes reconocer su gran importancia en tu vida y para ella todo eso todavía será poco. Para ella tú serás todavía un ingrato.
También para esa persona tú puedes olvidarte de tu vida para quedarte junto a ella cuando te necesita y puedes olvidarte de tus problemas para solucionar los suyos y para ella todo eso todavia también será poco. Para ella tú serás todavía un egoísta.
Fue por eso que yo dice que tenemos que ser racionales para saber lo que es egoísmo e ingratitud. Porque entonces se utiliza la lógica. Pero una persona sentimental utilizará sus fantasías y sueños, sin lógica ninguna, para llamar a alguien “egoísta” o “ingrato”, porque siempre querrá más y más y más de la otra persona. Y será así por siempre o, por lo menos, por muchos años, hasta el depertar de su lado racional.


Cos’è egoismo? Cos’è ingratitudine?
C’è bisogno di essere razionale per rispondere queste domande...
Una persona egoista è quella che pensa solamente a sé stessa, non si importa dei problemi degli altri e vuole tutto, o almeno la parte migliore di tutto, solamente per sé.
Una persona ingrata è quella che non si importa di quei che hanno fatto qualcosa buona per lui (o per una persona prossima a lui) o di quei che hanno fatto i sacrifici più grandi della loro vita per lui.
Anche una persona sentimentale pensa così?
Bene, sapiamo che una persona sentimentale vuole vivere le 24 ore del suo giorno per un’altra persona e vuole che questa persona gli faccia lo stesso. Così, quello che questa persona chiama “egoismo” e “ingratitudine” sono altre cose.
Per una persona sentimentale, tu puoi sacrificarti sempre per lui, tu puoi lasciare di occuparti di te per occuparsi solo di lui, tu puoi riconoscere la sua grande importanza nella tua vita e anche così, per lui, tutto questo sarà molto poco. Per lui tu sarai un ingrato.
Anche per questa persona tu puoi scordarti della tua vita per restare insieme a lui quando ha bisogno di te, tu puoi scordarti dei tuoi problemi per risolvere i suoi e anche così, per lui, anche tutto questo sarà molto poco. Per lui tu sarai un egoista.
Per questo io ho detto che abbiamo bisogno di essere razionali per sapere cos’è egoismo e cos’è ingratitudine. Perché così si usa la ragione. Ma una persona sentimentale userà le sue fantasie ed i suoi sogni, senza nessuna ragione, per chiamare qualcuno “egoista” o “ingrato”, perché vorrà sempre più, più e ancora di più dell’altra persona. E sarà così per sempre o, almeno, per molti e molti anni, prima dello sveglio del suo lato razionale.


Bom, eu volto ainda essa semana com a enquete nova e as datas comemorativas de Novembro. Até lá!

10/27/2007

UMBANDA

Oi!!!

Hoje a gente vai dar uma olhada num grupo religioso tipicamente brasileiro, do qual eu achei importante falar aqui até por questões culturais: a Umbanda. E já que a Umbanda é muito confundida com o Candomblé, vamos esclarecer logo de início que são expressões religiosas que, apesar de terem alguns (poucos) pontos em comum, não são a mesma coisa: tem diferenças muito perceptíveis entre uma coisa e outra. E qual seria a diferença entre a Umbanda e o Candomblé?
Eu já falei sobre o Candomblé aqui no blog em Dezembro, quando eu fiz o post sobre o Pierre Verger. Então, agora, vamos falar sobre a Umbanda.
Bom, enquanto o Candomblé é um Calundu com uma certa influência do Catolicismo Romano, a Umbanda pode ser vista, mais ou menos, como uma mistura de Kardecismo com Catolicismo Romano, com uma pequena influência de Candomblé.Simplificando: existe muito pouca diferença entre a religiosidade da Umbanda e a religiosidade do Catolicismo Romano. E fazendo uma comparação, a Umbanda parece muito mais com o Catolicismo Romano do que com o Candomblé. Até um altar umbandista dá pra ver que é quase uma cópia de um altar católico.

Já sei que alguém vai dizer:

“Pelo contrário! É muito diferente! Porque os sacerdotes e as sacerdotisas da Umbanda fazem simpatias, fazem encantos, fazem feitiços, oferecem culto a orixás...”

É verdade. Só que todos esses encantos, simpatias e feitiços são feitos invocando Jesus, envolvendo divindades católicas e repetindo sempre a fórmula “Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém!”. Então, é inegável que tá diretamente ligado ao Catolicismo Romano. Assim, pode se dizer que as práticas religiosas da Umbanda são basicamente as mesmas do Catolicismo Romano, com uma influência relativa das práticas do Kardecismo e uma influência meio distante das práticas do Candomblé.
É por isso que os terreiros de Candomblé que se aproximam muito do Catolicismo Romano em termos de rituais e celebrações são chamados de terreiros de Umbandomblé, numa referência à catolicização da Umbanda.
E os nomes dos orixás são usados como uma espécie de apelido das divindades católicas: quando um umbandista se refere a Jesus, chama ele de Oxalá; quando se refere a Maria, chama ela de Iemanjá; quando se refere a Santa Bárbara, chama ela de Iansã; e por aí vai. E geralmente fica nisso. Então, quando esse mesmo umbandista oferece culto a quem ele chama de Oxalá, quem ele tá louvando ali e quem ele tá imaginando ali é Jesus (com outro nome).
Bom, se a gente pode dizer que houve um fundador da Umbanda, esse foi um religioso chamado Zélio Fernandino de Moraes (1891-1975), membro de um grupo kardecista, que viveu aqui no Rio.
Em 1908, ele passou a entrar em contato telepático com um espírito que ele chamava de Caboclo das Sete Encruzilhadas. E em 1913, ele passou a louvar uma divindade que ele chamava de Orixá Malé. E apesar de não existir nenhum deus chamado Malé que receba culto no Candomblé, aparentemente foi por causa disso que as 2 religiões começaram a se confundir e, até um certo ponto, se misturar. Afinal, um orixá, fosse qual fosse o nome dele, era visto como um deus do Candomblé.
Só que a maioria esmagadora da sociedade brasileira dessa época tinha recebido uma formação religiosa de que tipo? Católica romana, é claro. E consequentemente, o culto de divindades católicas também foi penetrando na Umbanda.
Bom, vários seguidores do Zélio foram fundando novos grupos umbandistas, seguindo interpretações próprias das idéias do Zélio. E alguns desses grupos foram adotando, por conta própria e muito discretamente, o culto de alguns deuses do Candomblé. Só que o culto desses deuses é extremamente superficial na Umbanda. Muito mais do que eles, quem recebe culto ali são os próprios santos católicos e espíritos de pessoas mortas. Mas aí entra uma característica bem marcante dessa filosofia religiosa...
Até algumas décadas atrás, a sociedade brasileira era (e alguns grupos sociais ainda são) dominada pelo conservadorismo. E num grupo conservador, quem é que tem valor? Em 1º lugar, o pai de família que sustenta a casa; em 2º lugar, abaixo dele, a mãe de família que se resume à função de dona-de-casa. E só esses 2 tipos de pessoa! Aos olhos dos conservadores, todos os outros tipos de pessoa não passam muito de merda seca. É ou não é?
A Umbanda sempre foi um grupo religioso formado por uma maioria esmagadora de pessoas de classe pobre, ou seja, tinha como membros exatamente as pessoas que eram excluídas pelos conservadores ricos. Consequentemente, os umbandistas passaram a louvar os espíritos dos mortos que eram excluídos, ou seja, espíritos de crianças, escravos, índios, marinheiros, prostitutas e outros. Afinal, em vida, essas pessoas eram vistas pelos grupos conservadores como maus exemplos ou, no mínimo, como pessoas que mereciam pouca ou nenhuma atenção.
Então, podemos dizer que a diferença principal entre a Umbanda e o Catolicismo Romano é que na Umbanda não existe conservadorismo neurótico. Já no Vaticano... Fazer o quê, né?
E vocês devem tá querendo saber sobre a visão que a Umbanda tem dos gays, né?
Bom, como a gente já viu, a tendência dessa filosofia religiosa sempre foi acolher todas as vítimas de discriminação (então, até um certo ponto, ela tá entre as religiões que acolhem os homossexuais). Mas como a gente também já viu, ela é diretamente ligada ao Catolicismo Romano, no qual a homofobia reina. Então, por influência católica, é claro que existem grupos de umbandistas homofóbicos, apesar da maioria ser de não-homofóbicos, pelo que dá pra observar. E como são grupos pouco divulgados, fica muito difícil dizer de uma forma pré-determinada qual grupo umbandista vai agir de qual forma em relação aos gays. Mas geralmente não tem grandes problemas, não.
Por falar nessa questão da Umbanda ser pouco divulgada, eu acho que outro fator que acaba fazendo com que muitas pessoas confundam a Umbanda com o Candomblé é exatamente o desconhecimento que ainda existe sobre esse assunto. Mas é bom diferenciar desconhecimento de ignorância, né? Uma pessoa que recebeu pouca ou nenhuma informação sobre esse assunto, apenas desconhece o assunto, e ninguém pode exigir que ela saiba a diferença entre as duas expressões religiosas; mas uma pessoa que diz que conhece o assunto, diz que já fez pesquisas sobre esse assunto e até já publicou livros falando sobre esse assunto e aí chega em público e diz que Umbanda é a mesma coisa que Candomblé... Aí, sendo gentil com essa pessoa, é um IGNORANTE no pior sentido possível da palavra, né? Qualquer um pode limpar o rabo com os livros que ele escreveu falando sobre isso, porque esses livros não servem pra muita coisa além disso.Por exemplo, aquele tal de Oscar González Quevedo, que se apresenta na mídia como “Padre Quevedo” (é um daqueles que os católicos romanos chamam de “ministros de Deus”, “voz de Deus”, “imagens de Jesus na Terra” e tal). Ele já disse em público que Candomblé é a mesma coisa que Umbanda, quando foi entrevistado pela Marília Gabriela. Mas, levando-se em conta que, antes, ele ia aos programas de auditório pra falar contra as igrejas evangélicas modernas (dizia que eram falsas igrejas, que lá não se fazia milagre nenhum e tal) e, hoje, ele vai ao programa da Luciana Gimenez pra lamber o rabo dessas mesmas igrejas... O que é que vocês acham? A palavra de uma pessoa que muda de opinião dessa forma é confiável?


Oggi parleremo un po’ del gruppo religioso che è forse il più brasiliano: l’Umbanda. E ci sono molti che pensano che questo è la stessa cosa del Candomblé. Ma veramente hanno solo alcune cose simili: ci sono molte diversità fra questi 2 gruppi.
Ho parlato qui dei dogmi del Candomblé in Dicembre del 2006. Così, oggi parlerò un po’ dei dogmi dell’Umbanda.
Mentre il Candomblé è un tipo di Calundu cattolico, l’Umbanda è una mescola di Kardecismo e Cattolicesimo Romano, con una piccola influenza del Candomblé.
Così, se c’è una comparazione fra l’Umbanda e le altre religioni, essa è molto più simile al Cattolicesimo Romano che al Candomblé. Voi potete vedere sopra un santuario umbandista, che è quasi una ripproduzione di un santuario cattolico, vero?
I sacerdoti e le sacerdotesse dell’Umbanda fanno degli incantesimi. Ma mentre li fanno, invocano Gesù, i santi cattolici e dicono la formula “Nel nome del Padre e del Figlio e dello Spirito Santo”. Non si può dire che questo non è Cattolicesimo. E quello che si fa nell’Umbanda è basicamente lo stesso che si fa nel Cattolicesimo.
Per questo, i terreiros di Candomblé che hanno un’influenza molto cattolica sono chiamati “terreiros di Umbandomblé”, ricordando la forte influenza cattolica dell’Umbanda.
Nei rituali dell’Umbanda, i nomi degli orixa (gli dei del Candomblé) sono usati come soprannomi delle divinità cattoliche: Gesù è chiamato Oxalá, Maria è chiamata Iemanjá, Santa Bárbara è chiamata Iansã... E di solito è solo questo. Così, se un umbandista dice che fa l’adorazione a Oxalá, questo Oxalá e lo stesso Gesù del Cattolicesimo.


Si hay un fundador de la Umbanda, ese fue Zélio Fernandino de Moraes, miembro de un grupo kardecista de Rio de Janeiro.
En 1908, él empezó a tener contacto telepático con un espíritu llamado Caboclo das Sete Encruzilhadas. Y en 1913, tuvo contacto con un otro espíritu llamado Orixá Malé. Bueno, un orixá es siempre visto como un dios del Candomblé, aúnque no se conosca ningun orixá en el Candomblé llamado Malé. Y se piensa que fue después de eso que las 2 religiones empezaron a mezclarse.
En aquella época, el Catolicismo Romano era el grupo que dominaba Brasil. Así, el culto de divinidades católicas también empezó a llegar para la Umbanda.
Muchos seguidores de Zélio fundaron nuevos grupos umbandistas, seguiendo los proyectos de Zélio, pero utilizando sus propias interpretaciones. Y por eso, algunos de esos grupos empezaron a tener el culto de los dioses del Candomblé, pero muy poco. El culto de los santos católicos y de personas muertas, en general, es muy más común en la Umbanda.
Hace solo algunas décadas que la sociedad brasileña era casi toda dominada por el conservadorismo. ¿Y quien son las personas que tienen importancia en una sociedad conservadora? Solamente el padre de familia y la madre de familia. Otros tipos de persona, para ese tipo de sociedad, son solo mierda, ¿verdad?
La Umbanda siempre fue un grupo religioso en que la mayoría de la gente es pobre, o sea, los que eran despreciados por los conservadores ricos. Y los umbandistas, por eso, tienen el culto de los espíritus de los despreciados ya muertos: niños, esclavos, indígenas, marineros, prostitutas... Todas las víctimas de prejuicio.
Entonces, podemos decir que la mayor diferencia entre la Umbanda y el Catolicismo Romano es que en la Umbanda no hay un conservadorismo extremista. Pero en el Vaticano...


I think you guys would like to know what Umbanda says about gays, don’t you?
Well, Umbanda has the tendency to take in people who are rejected by society. So, in some way, it’s one of the religions which don’t speak against gays. But I have to remind you: the biggest part of Umbanda comes from the Roman Catholicism. And it’s not necessary to say the Roman Catholicism is extremely homophobic, really? So, of course there are also some homophobic umbandist groups. But most of them don’t have this kind of bias.
Anyway, many people think Umbanda and Candomblé are the same. Even because they have little (or no) information about both these religions. But if we are talking about a person who doesn’t know anything about them, that’s something. If we are talking about a person who says himself as a expert in religions, who’s already published books about religions, and says Candomblé and Umbanda are the same... We can say his knowledge are at most shit.
You see, there’s a guy called Oscar González Quevedo who is a catholic priest (what could you hope?) who’s already said Umbanda and Candomblé are the same. But he also used to say the protestant churches were false churches and weren’t able to have miracles inside. And nowadays he is a kind of an asskisser of these same churches. Do you really think you can trust somebody like that?


Bom, até a próxima! Bom fim de semana!

10/25/2007

UM FUTURO REI CERCADO DE PRÍNCIPES

Oi!!!
Bom, como vocês sabem, quase todo mês eu falo aqui sobre algum príncipe. Então, esse mês vamos dar uma olhada no próximo Rei da Dinamarca: o Príncipe Frederik Glücksburgske.

O Príncipe Frederik André Henrik Christian Glücksburgske nasceu em 26 de Maio de 1968, em Copenhague.
Os pais dele eram a então Princesa Margrethe Glücksburgske (herdeira do Trono da Dinamarca) e o então Príncipe Henrik Laborde de Monpezat.
Quem tava no Trono da Dinamarca naquela época era o Rei Frederik IX Glücksburgske, pai da Margrethe.
Pouco depois que o Frederik nasceu, a mãe dele ficou grávida de novo. E em Junho de 1969, nasceu o único irmão dele, o Príncipe Joachim.
Em Janeiro de 1972, morreu o Rei Frederik IX... A Lei de Sucessão da Dinamarca determina que os herdeiros do trono são os filhos do rei, 1º por ordem de sexo (os homens antes das mulheres) e 2º por ordem de idade (os mais velhos antes dos mais novos). E como o Frederik IX nunca teve filhos homens e a Margrethe era a filha mais velha dele, ela passou a ocupar o trono, com o título de “Sua Majestade, a Rainha Margrethe II, da Dinamarca”. E da mesma forma, ficou claro que, quando ela morresse ou abdicasse, o Frederik se tornaria o novo ocupante do Trono da Dinamarca, com o título de “Sua Majestade, o Rei Frederik X, da Dinamarca”.
Curiosamente, quem não recebeu título nenhum na época foi o Príncipe Henrik. Ele já era príncipe antes, por ter se casado com a princesa herdeira. Mas quando ela se tornou rainha, ele ficou só como “marido de rainha”. Só em 2005 é que o título dele foi mudado pra “Príncipe-consorte da Dinamarca”. Rei-consorte ele nunca foi.
Bom, de 1974 a 1976, o Frederik estudou como aluno particular no Palácio de Amalienborg. Depois, ele foi pra Krebs Skole, onde estudou até 1981.
Em 1982 e 1983, o Frederik ficou internado na École des Roches, na França.
Depois ele foi pro Oregaard Gymnasium, terminando os estudos em 1986.
Tendo se mudado pros Estados Unidos, o Frederik se formou em Ciência Política pela Harvard University, em 1993.
No ano seguinte, ele passou 3 meses em New York, trabalhando no departamento dinamarquês da ONU.
Em Outubro de 1998, o Frederik assumiu o posto de Primeiro Secretário da Embaixada Dinamarquesa da França, ocupando esse cargo por 1 ano.
No ano 2000, ele foi assistir as Olimpíadas de Sidney. E lá conheceu a consultora de marketing Mary Elizabeth Donaldson. E aí começaram a namorar e começaram a pensar em se casar.
Pro herdeiro do Trono da Dinamarca poder se casar, isso só é permitido com a autorização do rei ou rainha que ocupe o trono na época. Se ele se casar sem essa autorização, ele perde os direitos sobre o trono. Então, a Margrethe II teve que dar autorização oficialmente pro casamento de Frederik e da Mary, que aconteceu em Outubro de 2003, na Vor Frue Kirke (a Catedral de Copenhague).
Pra muitos dinamarqueses, esse casamento trouxe uma imagem menos distante e mais humana à Família Real da Dinamarca, já que a Mary é de origem plebéia.
Em Outubro de 2005, nasceu o 1º filho deles, o Príncipe Christian, que, por ser o filho homem mais velho do Frederik, é o herdeiro do trono depois dele.
E agora em Abril de 2007, nasceu a 2ª filha deles, a Princesa Isabella.
Ela foi a 1ª mulher a nascer na Família Real da Dinamarca nos últimos 61 anos (a última tinha sido a Princesa Anne-Marie, a irmã mais nova da Margrethe II, em 1946). De lá pra cá, só tinham nascido homens. E, talvez por isso, ninguém se preocupou ainda em atualizar a Lei de Sucessão, sendo mantida ainda a tradição de que o herdeiro do Trono da Dinamarca é o filho homem mais velho do rei. Mas isso já tá pra mudar.
Atualmente, o Frederik e a Mary moram com os filhos no Palácio de Fredensborg.Ele é chamado pelos amigos de Príncipe Pingo.


Como uds saben, casi todos los meses tenemos aquí un post hablando de un príncipe. Y este mes hablaremos un poco del Príncipe Federico Glücksburgske, el próximo Rey de Dinamarca.
El nació en Copenhague, el 26 de Mayo de 1968, como Federico André Enrique Cristián Glücksburgske.
Sus padres eran la Princesa Margarita Glücksburgske y el Príncipe Enrique de Laborde de Monpezat.
El Rey de Dinamarca entonces era Federico IX, el padre de Margarita.
El Príncipe Joaquín, único hermano de Federico, nació en 1969.
El Rey Federico IX se murió en Enero de 1972. Y la Ley decía que el heredero del Trono de Dinamarca era un hijo del rey, que debía ser seleccionado primero por su sexo (los hombres antes de las mujeres) y después por su edad (los más viejos antes de los más jóvenes). Así, como el rey era muerto sin hijos hombres y Margarita era su primera hija, ella fue, y todavía lo es, la nueva reina, como Margarita II de Dinamarca. Y por eso, después de su muerte o abdicación, el próximo rey será Federico, como Federico X de Dinamarca.
El Príncipe Enrique no fue nunca Rey Consorte de Dinamarca. Solamente en 2005 el tuvo el título de Príncipe Consorte de Dinamarca.


From 1974 to 1976, Frederik was a private student at Amalienborg Palace. And after that, he would study at Krebs Skole to 1981.
In 1982 and 1983, the young prince studied at École des Roches, in France.
Frederik also would be at Oregaard Gymnasium to 1986.
He also moved to the United States and studied Political Science at Harvard University.
In 1994, Frederik was at the Danish UN mission.
In 1998, he was the First Secretary to the Danish Embassy in France. And he would be there for 1 year.
In 2000, he attended the Sydney Olympics. And then he met Mary Elizabeth Donaldson, who would become his girlfriend. And they soon started talking about a marriage (it would happen a little later).


L’erede del Trono della Danimarca non può sposarsi se il re o la regina che c’è allora non è d’accordo. Se lui lo fa, non è più l’erede di questo trono. Per questo, Margherita II ha dato l’autorizzazione pubblicamente a Federico per sposare la sua ragazza Mary. E questo è sucesso nel 2003, nella Vor Frue Kirke.
Per molti, questo matrimonio ha diventato la Familgia Reale più umana, perché Mary non era nobile.
Loro primo filgio, il Principe Cristiano, è nato nel 2005. Ed è l’erede del trono dopo Federico, essendo suo primo figlio uomo.
Loro seconda figlia, la Principessa Isabella, è nata nel 2007.
Lei è la prima donna nata nella Famiglia Reale dal 1946. Solo uomini ci sono nati per tutti questi anni. E forse per questo c’è ancora la legge dando la preferenza al primo figlio maschio del re come l’erede del trono.
Federico, Mary ed i suoi 2 figli vivono insieme nel Palazzo di Fredensborg.
Lui è chiamato Principe Pingo per i suoi amici.


Até mais!

10/23/2007

CARLOS AUGUSTO STRAZZER 1946-1993

Oi!!!
Hoje a gente vai dar uma olhada num personagem bissexual da História do Brasil que travou uma verdadeira guerra pessoal contra a AIDS. E no início do ano que vem, vão completar 15 anos que ele nos deixou. Tô falando do ator e diretor brasileiro Carlos Augusto Strazzer.

Ele nasceu em São Paulo, em 04 de Agosto de 1946, numa família de antepassados italianos.
O final da adolescência e início da juventude do Carlos pegaram em cheio os anos 60 e a Revolução Sexual. Assim, como ele mesmo reconheceria mais tarde, essa era a geração do sexo livre e sem segurança nenhuma. E ele viveu seguindo essa mentalidade.
Em 1968, ele estreou no teatro, com a peça As Artimanhas de Escopino.
O 1º trabalho do Carlos na televisão foi na 1ª versão da novela As Pupilas do Senhor Reitor, exibida pela Record em 1977.
O 1º filme dele foi Gaijin, Os Caminhos da Liberdade (1980). Mas a carreira dele como ator de cinema não chegou a se desenvolver muito.
A maioria dos personagens que o Carlos interpretou ao longo da carreira dele eram vilões de ar misterioso e místico.
Ele sempre assumiu que era bissexual pras pessoas que faziam parte da vida pessoal dele. E ao longo da vida toda, ele se relacionou com homens e com mulheres. Mas ele também chegou a se casar e teve 3 filhos.
Em 1989, enquanto gravava a novela Que Rei Sou Eu, o Carlos teve uma crise estranha e foi internado. No início, nenhum médico conseguiu entender do que se tratava, até que, depois de alguns exames, ele descobriu que tava contaminado pelo HIV.
De acordo com ele mesmo, pelos cálculos dele, foi no início dos anos 80 que ele foi contaminado (época em que ele levava uma vida sexual mais ativa e nem pensava em usar camisinha, pois ainda não se falava nesse assunto). Mas não dava pra saber quem foi o homem ou a mulher que passou o vírus pra ele.
E o Carlos pegou uma das épocas mais brabas da doença, quando havia uma ignorância quase total sobre a AIDS. E quando ele contou pras pessoas mais próximas que tava contaminado, muitos supostos amigos deles se afastaram dele no mesmo dia em que souberam, outros passaram a ser descriminados por terem se mantido ao lado dele...
Os tratamentos que existiam na época também tavam muito no início. E as condições físicas pelas quais ele passou aí foram as mais dolorosas. Isso sem falar em várias outras doenças que foram se manifestando devido ao enfraquecimento do organismo.
O lado psicológico do Carlos também ficou profundamente afetado pelo tratamento causticante e, principalmente, por toda a rejeição que ele sofreu na época das pessoas em quem ele confiava. E até ele conseguir recolocar a cabeça no lugar, levou um tempo.
O que pareceu melhor foi esconder da maioria das pessoas que tava contaminado.
O último trabalho do Carlos na televisão foi uma participação na série O Sorriso do Lagarto (1991).
Ao todo, ele teve 23 trabalhos na televisão e no cinema.
Algumas vezes, o nome dele foi creditado como Carlos Augusto Strasser.
Finalmente, em 1992, ele decidiu assumir publicamente a condição de saúde em que se encontrava. E dentro do possível, ele continuou trabalhando no teatro, como diretor.
A Globo manteve o Carlos contratado até o fim, apesar de ele não trabalhar mais lá na prática, pagando todo o tratamento dele.
Ele deixou claro que morreria sem guardar ressentimento de certos ‘traidores’ e que, depois de todos os problemas que tinha passado, aprendeu um novo posicionamento: “Amar, apesar de”.
Numa auto-avaliação, o Carlos dizia que não tinha sido um grande ator nem um grande nome da História, mas que tinha sido um cara legal e que foi feliz.
Ele morreu aqui no Rio, em 19 de Fevereiro de 1993, 3 meses depois de completar 46 anos.Os amigos que tinham se mantido ao lado do Carlos antes, permaneceram ao lado dele até o fim. Um desses amigos foi a atriz Maitê Proença.


Today, let’s talk a little about a bisexual Brazilian character who had very serious problems about AIDS: actor and director Carlos Augusto Strazzer.
He was born in an Italian family on August 4th, in 1946.
Carlos’ adolescence was in the 60s. And he would say later that had been the time of free and not safe sex. And he lived then in this way.
His 1st theater play was
As Artimanhas de Escopino (1968).
Carlos was a TV actor for the 1st time in
As Pupilas do Senhor Reitor, a 1977 telenovela.
His 1st movie was Gaijin,
Os Caminhos da Liberdade (1980). But he wouldn’t go much longer as a movie actor.
Carlos’ characters were usually magic villains.
His closest friends and relatives always knew he was a bisexual. And he had sexual contact to men and women for all his life. But he also got married and had 3 children.


Nel 1989, quando era alla telenovela Que Rei Sou Eu, Carlos ha avuto dei problemi di salute molto forti e molto strani. E i medici non sapevano dire cos’era. Ma dopo qualche tempo, si è scoperto il virus HIV nel suo corpo.
Lui aveva una vita sessuale molto attiva e senza usare il profilattico negli anni 80. E per questo pensava che allora aveva ricevuto il virus. Ma non sapeva chi era l’uomo o la donna di cui l’aveva ricevuto.
Carlos ha avuto l’AIDS nell’epoca più difficile, perché nessuno sapeva chiaramente cos’era l’AIDS. E quando lui a detto a alcune persone “amiche” quello che aveva, molte sono andate via, altre hanno ricevuto pregiudizio perché sono rimaste insieme a lui...
Anche la medicina di quell’epoca non sapeva chiaramente cosa fare con chi aveva il virus HIV. E lui ha avuto anche molte altre malattie dovuto alla fragilità del suo corpo.
Carlos è diventato troppo stanco fisicamente e psicologicamente.
Lui ha pensato che il migliore sarebbe non dire a nessuno più che aveva il virus. Solo 1 anno prima della sua morte lui lo direbbe in pubblico.


El último trabajo de Carlos en la televisión fue en
O Sorriso do Lagarto (1991).
El tuvo 23 trabajos como actor en la televisión y en el cine.
Algunas veces, su nombre fue creditado como Carlos Augusto Strasser.
En 1992, el dijo en público que estaba con SIDA, que algun hombre o mujer le había pasado en los años 80. Pero, dentro de su posible, continuó a trabajar como director teatral.
Carlos fue mantenido por la TV Globo hasta su muerte, aunque no trabajase más allá.
El dijo que se morería sin resentimientos contra algunas personas que lo dejaron cuando él las necesitaba. Y que sabía amar los que le habían hecho mal.
En su autoevaluación, Carlos dijo que no había sido nunca un gran actor o una persona importante, pero había sido una persona feliz.
El se murió en Rio de Janeiro, el 19 de Febrero de 1993, 3 meses después de cumplir 46 años.
Todos los amigos que se quedaron a su lado estaban allá hasta su muerte. Entre esos, la actriz Maitê Proença.


Até mais!

10/21/2007

O SUCESSOR DO CLODOALDO

Oi!!!

Bom início de semana!Já que no mês passado eu fiz um post aqui sobre o Clodoaldo Silva, que é considerado o maior atleta paraolímpico brasileiro, hoje vou falar aqui sobre o nadador que é considerado o sucessor dele (além de ser um dos maiores fãs dele): o André Brasil.

André Brasil Esteves nasceu aqui no Rio, em 23 de Maio de 1984.
Com 3 meses de idade, foi diagnosticada paralisia infantil nele. E aí ele começou a fazer hidroterapia.
Em 1989, o André começou a participar de competições, no Colégio Nosso Lar, onde estudava.
Em 1994, foi ele quem obteve mais destaques no Torneio Sudeste de Natação da Academia Rômulo Arantes Nadadores. E a partir daí ele foi participando de vários campeonatos estaduais, sempre se saindo muito bem.
Em 1999, o André tava no Clube de Regatas Vasco da Gama, onde ganhou o XXXI Troféu Chico Piscina, passando a ser campeão nacional.
Depois disso, ele pensou em deixar a natação e se formar em Fisioterapia.
Até aí, o André sempre tinha competido com outros nadadores sem nenhuma necessidade física especial. Até porque a seqüela física que ficou nele é muito pequena e quase nem se percebe.
Em 2004, ele decidiu se dedicar ao Desporto Paraolímpico, influenciado pelas Paraolimpídas de Atenas.
Em Junho de 2005, o André tava em Minas Gerais, onde participou pela 1ª vez de uma competição paraolímpica, na 1ª etapa do Circuito Loterias Caixa Brasil Paraolímpico de Atletismo e Natação. E aí ele bateu o 1º recorde mundial dele: 50 metros em 24”53 em nado livre.
Em Abril de 2006, ele foi pra África do Sul, onde participou de 5 provas, vencendo todas. E no mesmo ano, ele participou do 1º Campeonato Universitário Paraolímpico, participando de novo de 5 provas e ganhando todas.
Agora, no meio de 2007, o André foi uma das presenças mais marcantes no Parapan. E a última apresentação dele lá foi em 18 de Agosto, quando ele se despediu ganhando uma nova medalha de ouro. Ao todo ele ganhou lá 5 medalhas de ouro e 1 de prata.
Ele é também um dos atletas paraolímpicos mais altos do Brasil, com 1, 83m.
Os pais do André sempre apoiaram ele em seguir em frente.
Ele diz que o único medo que tem é que as competições paraolímpicas caiam no esquecimento, já que recebem muito menos destaque que as competições feitas por atletas sem necessidades.
Essa preocupação do André é bastante justificável, já que o preconceito contra pessoas com necessidades físicas especiais ainda é muito forte... É uma questão cultural mesmo, já que se trata de uma descriminação que foi fomentada durante séculos. Basta lembrar dos milhares de pessoas que foram queimadas nas fogueiras da Inquisição, consideradas “monstros” pelos padres inquisidores só por terem um mínimo problema físico que fosse.
O que a Igreja Católica ensinava é que o diabo podia tirar o feto do útero da mãe e colocar ali um monstro.
Essa igreja afirmava que quem nascia cego tinha nascido assim porque, antes de nascer, tinha passado pelo Inferno, onde o diabo teria queimado os olhos dele com o fogo satânico; quem nascia corcunda trazia nas costas um altar do diabo, na forma de uma coluna vertebral deformada; quem nascia manco tinha nascido assim como uma marca do desequilíbrio da própria alma, já que essa alma pertencia ao diabo; quem nascia mudo não falava porque, antes de nascer, tinha passado pelo Inferno, onde o diabo teria arrancado a língua da alma dele; quem nascia surdo tinha nascido assim pra não ouvir as palavras do Catolicismo Romano... E por aí vai.
No século XV, todas essas idéias foram confirmadas oficialmente pelo papa Inocêncio VIII. E em conseqüência disso, algumas centenas de crianças que nasciam até com a necessidade física mais superficial e quase imperceptível eram frequentemente queimadas em fogueiras. Muitas vezes, junto com as mães.
Aliás, mesmo que uma mulher não tivesse nenhuma característica física fora do comum no corpo, se ela tivesse um filho que nascesse até com uma mancha na pele que fosse, ela era suspeita de ter tido relações com o diabo, gerando um filho dele. Então, ela era levada a um tribunal da Inquisição e torturada pelos “santos homens” da Igreja Católica até confessar que era amante do diabo. Se ela confessasse, era queimada até a morte numa fogueira; se não confessasse, continuava sendo torturada até a morte. Que pessoas santas esses católicos, né?rsrs
Outra justificativa que a Igreja Católica costumava dar é que Javé tinha feito o ser humano à sua imagem e semelhança. Assim, um “monstro” tava ofendendo Javé com a imagem imperfeita que ele tinha. E por isso, era um direito dos seguidores de Javé destruir esse “monstro”.
Um livro interessante que explica esse assunto é Esquecidos Por Deus, da Mary del Priore.Acho que o fato de hoje existirem grupos católicos que cuidam de pessoas com necessidades físicas especiais não redime a Igreja Católica das matanças cometidas por ela nem apaga o passado dela como assassina desse tipo de pessoa.


É claro que isso não quer dizer que o mesmo aconteça em outras religiões. No Candomblé, por exemplo, existem 2 deuses que costumam ser representados cada um com uma perna só: Ossãe e Aroni, os orixás curandeiros. E devido a aparência deles, costumam ser louvados como protetores das pessoas com necessidades físicas especiais.
Mas enfim: em grande parte é graças a essa cultura que o Catolicismo Romano fez tanta questão de ajudar a espalhar e manter durante tantos séculos que o preconceito se mantém ainda tão forte até hoje. E contra esse tipo de preconceito (e de todos os outros também, é claro) cada um de nós tem que lutar.
Aliás, acho muito importante que um grupo que sofre um tipo de preconceito se alie a outro grupo que sofre outro tipo de preconceito, né? Pensem nisso!

Buona settimana!
Nel mese scorso, ho parlato qui dell’atleta paralimpico brasiliano Clodoaldo Silva. Così, oggi parlerò un po’ di quello che è visto per alcuni come il suo successore: l’atleta paralimpico brasiliano André Brasil Esteves.
Lui è nato in Rio de Janeiro, nel 23 Maggio del 1984.
Quando André aveva 3 mesi di età, lui ha avuto poliomielite. E per questo, ha cominciato a avere idroterapia.
Nel 1989, lui ha cominciato a essere in delle competizione del Colégio Nosso Lar, dove studiava.
Nel 1994, André è stato uno dei campioni del Torneio Sudeste de Natação dell’Academia Rômulo Arantes Nadadores. E dopo questo, sarebbe il campione in molte altre competizioni di Rio de Janeiro.
Nel 1999, lui era nel Club Regatas Vasco da Gama, dove ha vinto il XXXI Trofeo Chico Piscina, essendo diventato il campione di Brasile.
Dopo questo, André ha pensato anche di lasciare il nuoto per cominciare l’università di Fisioterapia.
Fino allora, lui aveva sempre nuotato insieme agli atleti senza problemi fisici, perché la poliomielite non l’ha fatto basicamente male nessuno. E solo nel 2004, lui ha cominciato a nuotare negli sport paralimpici.
La prima competizione paralimpica di André è stata in Minas Gerais, nel 2005. E nel 2006, lui sarebbe nel Sudafrica.
Alcuni mesi fà, lui è stato nel Parapan di Rio de Janeiro come uno dei principali atleti: ha avuto 5 medaglie d’oro e 1 d’argento.


André is one of the tallest Brazilian paralympic swimmers (he’s 183 cm tall).
His parents were always on his side to go ahead with his career.
Anyway, André is afraid about the future of the paralympic athletes, because they don’t have the same attention which the other athletes have.
We can understand his worry. Because the prejudice against handicapped people is already very strong. And it has been strong for centuries. Just remember all the handicapped who were killed by the Catholic Church only because they had simple kinds of physical problems.
This church used to say the devil were able to put monsters inside women’s womb. And also used to say if somebody was born blind, it was because he had been in Hell before his birth and the devil had put fire in his eyes. If somebody was born as a hunchback, it was because he had a shrine to the devil on his back. If somebody was born as a lame, it was because his soul didn’t have balance, because it belonged to the devil. If somebody was born as a mute, it was because he had been in Hell before his birth and the devil had cut his tongue out. If somebody was born as a deaf, it was for not hearing the words of the Roman Catholicism. Et cetera.
In the 15th century, the Pope Innocent VIII confirmed all these ideas. And because of that, the Holy (?!) Catholic Church put fire in many hundreds of handicapped children. And sometimes in their mothers too.
By the way, even a not-handicapped woman who had given birth to a handicapped child was supposed to be a devil’s lover, giving birth to a monster who was a devil’s child. So, this woman was tortured by the “holy catholic men” to her confession. If she confessed she was a devil’s lover, they would put fire in her. If she wouldn’t, they would contiue the torture to her death.
That was the holy church of the catholics!


Por muchos siglos, la Iglesia Católica deseó la destrucción de todas las personas con discapacitad. Y una de las justificaciones que daba es que Yahveh había hecho los humanos a su imagen y semejanza. Así, un “monstruo” (era como esa iglesia llamaba las personas con discapacitad) estaba ofendiendo Yahveh con su imagen monstruosa. Y por eso era un derecho de los miembros de esa iglesia matarlo.
Un libro interesante que habla de eso es
Esquecidos Por Deus, de Mary del Priore.
Bueno, es claro que hoy hay muchos establecimientos católicos que cuidan de personas con discapacitad. Pero eso no redime esa iglesia de su pasado como asesina de ese tipo de persona.
Es verdad que, en otras religiones, eso nunca ocurrió así. En el Candomblé, por ejemplo, hay 2 dioses que, en general, pueden ser vistos con 1 pierna sola: Ossaín y Aroni, que son los orixás médicos. Y por cuenta de su única pierna, son vistos como protectores de las personas con discapacitad.
Mas es por cuenta de esa cultura llena de prejuicio que el Catolicismo Romano hizo todo lo posible para difundir y mantener por siglos y siglos que las personas con discapacitad son tan mal vistas hasta hoy.
Es necesario recordar que cada uno de nosotros tiene que luchar contra ese y todos los otros tipos de prejuicio. Y es importante que un grupo de personas que es víctima de un tipo de prejuicio sea siempre junto a otros grupo que es víctima de otro tipo de prejuicio, ¿verdad? Eso es bueno para cada persona pensar.


Bom, até mais!

10/20/2007

MUITAS SUPOSIÇÕES, POUCAS CERTEZAS

Oi!!!

Bom, o link de utilidade pública desse mês vai ser antecipado pra hoje, porque é pra ser usado hoje mesmo. É o link do Teleton. Pra quem puder dar uma passada lá, tá aí:

https://teleton.locaweb.com.br/doacoes/
Bom, hoje a gente vai falar de um personagem histórico que, acredito eu, não é 100% desconhecido por ninguém: o ator, autor teatral e poeta inglês William Shakespeare.

Ele nasceu em Abril de 1564 (não se sabe o dia), em Warwickshire. Mais especificamente na cidade de Stratford-upon-Avon, que hoje é conhecida como a cidade dele. E ele tinha 2 irmãs mais velhas (que aparentemente morreram logo depois de nascer) e 3 irmãos e 2 irmãs mais novos (todos mortos antes dele).
O William passou toda a infância e adolescência, e mesmo o início da vida adulta, em Stratford.
Bom, pra que se entenda o que vem depois, é preciso dar uma pincelada na História da Inglaterra daquele período: quem tava no trono naquela época era a Rainha Elizabeth I Tudor, que, fazia alguns anos, vinha batendo de frente contra uma prima dela, a Rainha Mary I Stuart, da Escócia. É que a Mary I era considerada por alguns grupos políticos de outros países como a “verdadeira Rainha da Inglaterra”, já que a Elizabeth I tinha sido deserdada e excluída da linha de sucessão quando ainda era criança, o que tornava ilegal a permanência dela no trono. Só que a Mary I era escocesa, o que cortava pela metade a aceitação dela pelos ingleses. Afinal, em condições normais, nenhum povo gosta de ser governado por uma autoridade estrangeira, né? E, por ser católica, a Mary I colocaria a Inglaterra nas mãos do papa assim que ela chegasse ao trono, o que nenhum inglês também queria.
Por outro lado, a Elizabeth I era inglesa e protestante, sendo muito mais bem aceita por ter nascido na Inglaterra e por garantir a independência do país em relação à Igreja Católica.
Então, com exceção de algumas centenas de católicos que apoiavam a Mary I, todo o resto da população inglesa aceitava a Elizabeth I como rainha.
Em 1567, devido a um golpe de Estado, a Mary I foi deposta do Trono da Escócia e exilada de lá, indo parar na Inglaterra. E aí teve à frente de algumas conspirações pra derrubar a Elizabeth I e pegar o trono pra ela. Mas acabou sendo presa e, anos mais tarde, condenada à morte por conspirar contra a rainha.
Logo depois da prisão da Mary I, o papa excomungou a Elizabeth I e declarou ela deposta... “Deposta”?!rsrs É. Ainda não tinha caído a ficha da Igreja Católica de que ela não mandava em mais nada na Inglaterra. Aliás, pra sorte dos ingleses, nunca mais mandou, né?
Mas enfim: foi nessa Inglaterra que o William nasceu e cresceu.
Com 18 anos, ele se casou com a Anne Hathaway.
Sobre como foi o casamento deles, existem várias teorias. Aliás, é bom lembrar que sobre a vida pessoal do William existem muito mais suposições do que certezas. Ao contrário do que algumas pessoas devem imaginar, ele não é um dos personagens históricos dos quais a gente tem mais informações confiáveis. Existem muitos estudiosos da vida pessoal dele e especialistas nas obras dele, mas não existem especialistas na vida pessoal dele.
Bom, é claro que tem aqueles que ‘se consideram’ isso, né? Aqui no Brasil, por exemplo, tem uma crítica de teatro chamada Bárbara Heliodora, famosa pelo mau-humor, que acha que SÓ ela no Mundo entende de William Shakespeare, qualquer outra pessoa que fale sobre esse assunto tá errada e tal. Mas isso se encontra no Mundo todo, né?
Bom, suposições à parte, o casamento do William e da Anne não parece ter sido dos mais felizes. E a conclusão à qual a maioria dos historiadores costumam chegar é que era uma relação de indiferença que existia entre eles. Eles não odiavam um ao outro; parecia mais que não importavam um pro outro.
Desse casamento nasceram 3 filhos: a Susanna, em 1582 (pelo ano, é quase certo que a Anne já tava grávida dela quando se casou com o William), e os gêmeos Hamnet e Judith, em 1585.
Em algum momento entre 1585 e 1594, o William deixou a família em Stratford e se mudou pra Londres, onde começou a carreira de ator e autor teatral.
Há uma suposição de que, a partir daí, ele adotou o nome artístico de William Shakspere, sem o 1º E e sem o 2º A, já que ele sempre assinava o nome assim.
Em 1594, foi fundada a companhia de teatro Lord Chamberlain’s Men, da qual ele fez parte. Mas sobre o tipo de participação que ele teve no grupo, também há muitas teorias e poucas certezas.Em 1599, foi construído o Globe Theatre, o principal teatro da Inglaterra na época, e onde foram encenadas as principais peças do William. Aliás, um dos donos desse teatro foi ele.


Em 1603, morreu a Elizabeth I, deixando como herança a Inglaterra mais evoluída do que nunca tinha sido antes: o país mais poderoso do Mundo, na época. Mas, apesar de ter governado o país por quase 45 anos, ela nunca se casou e nunca teve filhos, morrendo sem herdeiros. Conclusão: quem herdou o trono dela foi o Rei James VI Stuart, da Escócia, filho da odiada prima Mary I.
Com a subida ao trono do novo rei, que passou a patrocinar a companhia do William, essa mudou de nome pra King’s Men.
Em Junho de 1613, o Globe Theatre foi destruído por um incêndio. Mas foi reconstruído no ano seguinte.
Não se sabe exatamente a causa da morte do William. Pra variar, sobre esse assunto também tem muito “Eu acho isso”, “Eu acho aquilo” e tal. Mas ele morreu em 23 de Abril de 1616, com 52 anos.
Ele é considerado, sem dúvida, o maior escritor de Língua Inglesa que já existiu.
Atualmente, as peças dele já foram encenadas em praticamente todos os países do Mundo.Várias obras são atribuídas a ele, inclusive uma grande quantidade de poemas anônimos. Mas as obras que são consideradas oficialmente dele são 154 sonetos, 2 poemas narrativos e 38 peças de teatro. Mas, mesmo sobre essas peças, depois de já terem sido submetidas a uma releitura de alguns historiadores, existe uma certa dúvida em relação à autoria. É que alguns mantêm a idéia de que muita coisa ali foi apenas assinada por ele, mas escrita pelo Francis Bacon, o Visconde de St Alban.


A idéia é de que o William não tinha cultura geral o suficiente pra escrever sobre os temas que escreveu. E o Francis, apesar de ser um escritor amador, que escrevia por prazer pessoal, tinha vergonha de publicar os próprios textos. Assim, eles teriam combinado de fazer uma... ‘troca’, né? Um escrevia as histórias e o outro assinava. De qualquer forma, é só uma suposição entre tantas, né?
Em alguns sonetos do William, algumas pessoas enxergam mensagens implícitas de relações íntimas que ele viveu: uma com uma mulher casada e outra com um homem.

Oggi parleremo un po’ di un personaggio che, penso io, non è sconosciuto a nessuno: l’attor, autor teatrale e poeta inglese William Shakespeare.
Lui è nato nell’Aprile del 1564, a Stratford-upon-Avon, nel Warwickshire.
William è stato a Stratford quando era bambino e adolescente.
In quell’epoca, la Regina di Inghilterra era Elisabetta I Tudor, nemica della Regina di Scozia, Maria I Stuart. Questa era vista per alcuni come la “vera Regina di Inghilterra”, così come Elisabetta era vista come un’usurpatrice. Però Maria I era nata nella Scozia, quello che non la faceva benvenuta agli inglese. Comunque fosse, chi vorrebbe una regina straniera? E lei era anche cattolica: certamente pensava di fare dell’Inghilterra un territorio del papa.
Elisabetta I era inglese e protestante, essendo vista come l’opposto di Maria I per gli inglesi. Chiaramente, c’erano delle centinaia di inglese che volevono Maria I come regina. Ma gli altri inglesi, tutti quanti, volevono Elisabetta I.
Nel 1567, Maria I ha perduto il suo regno ed è arrivata nell’Inghilterra, dove ha fatto il possibile per usurpare il trono di Elisabetta I. E per questo, sarebbe stata in stato di arresto e, dopo alcuni anni, morta.
Un po’ prima di questo, Elisabetta ha avuto la scomunica del papa, che l’ha detta deposta.rsrsrs Sapiamo che questo è stato veramente stupido. Ma la Chiesa Cattolica stupidamente pensava che l’Inghilterra era ancora sua. Però, grazie a Dio, non lo sarebbe mai più.


Cuando William tenía 18 años, casó con Anne Hathaway.
Hay muchas suposiciones hablando del casamento de ellos. Y es necesario recordar que, sobre la vida personal de William, hay mucho más suposiciones que convicciones. El no es uno de los personajes históricos de quien tenemos más informaciones seguras.
Es claro que hay personas que piensan que saben de él más que cualquier otra persona, come la feroz crítica de teatro brasileña Bárbara Heliodora. Pero hay personas así en todas las partes, ¿verdad?
Bueno, lo más posible es que el casamento de William y Anne no fue muy feliz. Uno no era casi nada (o nada) importante para el otro.
Ellos tuvieron 3 hijos: Susanna, Hamnet y Judith.
Entre 1585 y 1594, William dejó su familia y se fue para Londres, empezando su carrera de actor y autor de teatro.
Hay quien dice que él tuvo entonces el nombre artístico de William Shakspere.
En 1594, empezó el Lord Chamberlain’s Men, un grupo teatral del cual él fue miembro.
El Globe Theatre, donde serían montadas las principales piezas de William, fue hecho en 1599.


Queen Elizabeth I died in 1603, leaving England as the most powerful country in the World, at that time. But during her almost 45-year-long reign, she never had gotten married or had children. So, there was basically nobody to be the next king/queen after her. And King James VI of Scotland (Queen Mary I Stuart’s son) had to be her successor.
This king was the patron of William’s company: King’s Men.
The Globe Theatre was destroyed by fire in 1613. But it would be rebuilt 1 year later.
William died at 52, on April 23rd, in 1616. But nobody knows clearly how or why.
He’s seen to now as the greatest English-languaged writer.
William’s plays are known in every country in the World.
There are many anonymous poems said to be written by him. But officially he wrote 154 sonnets, 2 long narrative poems, and 38 theater plays. But some historians say some of these plays weren’t written by him. Francis Bacon, Viscount of St Alban, is said to be the real author of many of his plays, basically because he had the necessary culture to write those plays, and William didn’t. And Francis used to write for himself sometimes, but he was too shy to publish his texts. So, he and William changed the places to make the plays. Anyway, it’s only a supposition.
Some people say they can see messages in William’s sonnets talking about his relationship with a married woman and with a man.


Até mais! Bom fim de semana!

10/17/2007

RECORDANDO OS ANOS 60

Oi!!!

Bom, provavelmente o post de hoje vai agradar mais ao pessoal que tem de 30 ou 35 anos pra cima. A gente vai lembrar aqui de um dos primeiros seriados de aventura do século XX voltados pro público adolescente, e que foi um sucesso aqui no Brasil no final dos anos 70 e início dos 80: Jonny Quest.
Esse foi o 1º desenho animado da Hanna-Barbera Productions voltado especialmente pra aventura.
Na verdade, a Hanna-Barbera queria fazer um desenho inspirado numa série chamada Jack Armstrong. Mas, por motivos autorais, acabou não saindo. Então, decidiram reformular a história... Mais ou menos, né?rs Foi mantida a idéia de fazer uma história de ação que fosse, ao mesmo tempo, fantasiosa e dramática. E que fosse mais voltada pro público adolescente do que pro público infantil (a mesma coisa que pretendiam que fosse Jack Armstrong). Inclusive, foi um dos primeiros desenhos animados a mostrar explicitamente a morte de alguns personagens.
Foi produzido em 1964 e 1965.O personagem-título é um pré-adolescente que acompanha o pai nas viagens dele pelo Mundo. E ao longo dessas viagens, é claro, eles vão passando pelas maiores aventuras e enfrentando os vilões que encontram pelo caminho. Vários desses vilões são monstros (é claro que alguns não passam de ladrões e contrabandistas disfarçados, mas outros são monstros de verdade!).

O pai do Jonny, o Dr. Benton Quest, é um cientista com um conhecimento quase absoluto sobre todas as áreas de Biologia, Química e Física.
Sobre a mãe do Jonny, só é mencionado, sem maiores explicações, que ela morreu. E por isso, o Jonny passaria o tempo todo com o pai, na Ilha de Palm Key.
Acompanhando os 2, vive o loirão fortão Roger Bannon, apelidado de Race, que serve de guarda-costas pra Família Quest.
A partir do episódio Calcutta Adventure, logo no início do seriado, eles passam a ser acompanhados por um garoto hindu chamado Hadji, que tem alguns conhecimentos sobrenaturais, como fazer as coisas flutuarem.
O mascote do grupo é o esquentado cachorrinho Bandit, que às vezes atrapalha e às vezes salva a situação.rs
Com exceção desses personagens, quase todos os outros aparecem em 1 capítulo só.
Apesar da super boa audiência, o seriado só teve 1 temporada de 26 capítulos, por motivos financeiros mesmo: pros padrões da época (1964), era muito caro produzir episódios novos.
Apesar disso, esses 26 capítulos foram constantemente reprisados nas emissoras de TV de vários países até os anos 80! E sempre com uma audiência boa!Apesar de ter sido, como dá pra ver, muito bem recebido pela maioria do público, o seriado foi acusado de ser machista, já que 99% dos personagens que apareciam eram homens. Uma das pouquíssimas exceções aí era uma agente secreta chamada Jade, que apareceu em 2 ou 3 capítulos. E que aparentemente tinha um caso com o Race... Devem ter criado essa personagem pra ninguém dizer que o Race tinha um caso com o Benton, né? Afinal, o cientista nunca aparecia com mulher nenhuma, passava o tempo todo andando junto com o Race... E o desenho chegou mesmo a receber várias críticas de grupos conservadores exatamente por causa disso. Muita gente via um relacionamento gay implícito entre o Benton e o Race... rs Quem sabe, já que eles moravam numa ilha, de noite, depois que os meninos iam dormir, o Benton e o Race iam pra praia, nadavam juntinhos, tomavam banho de lua juntinhos... KKKKKKKKK!!! Vai ser o tema da próxima enquete aqui: você acha que o Benton dava pro Race de vez em quando?rsrsrs Brincadeirinha.


Em 1986, tentaram dar uma continuidade ao seriado, criando 13 novos episódios, intitulados As Novas Aventuras de Jonny Quest.
Os temas das histórias, dessa vez, eram um pouquinho mais infantis do que os de 1964. Mas até que essa nova temporada deu pro gasto, apesar de não ter ido pra frente.
Também introduziram um novo personagem fixo no grupo: um guerreiro de pedra chamado Hardrock, que na tradução brasileira teve o nome mudado pra Petrônio.
Em 1996, foi feito um 3º seriado, de 52 episódios, com os mesmos personagens: As Verdadeiras Aventuras de Jonny Quest.
Dessa vez, criaram também uma nova personagem chamada Jessie, uma filha do Race. Mas o Hardrock não voltou a aparecer e nem sequer foi mencionado em episódio nenhum.
Foram feitos também 2 longametragens inspirados nesses personagens: Jonny’s Golden Quest (1993) e Jonny Quest Vs The Cyber Insects (1995).
Mas apesar de todas essas continuações que a história teve, nenhuma conseguiu repetir exatamente o mesmo sucesso da 1ª temporada. É muito difícil fazer a continuação de um clássico e se sair bem, né?
No post embaixo desse aqui, vou deixar um link pra um dos episódios preferidos da maioria dos fãs da 1ª temporada do seriado: O Monstro Invisível (tá em Inglês).

Oggi parleremo un po’ di uno dei primi cartoni di avventura per adolescenti del secolo XX: The Adventures of Jonny Quest.
Veramente, questo è stato il primo cartone di avventura della Hanna-Barbera Productions.
La Hanna-Barbera voleva un cartone ispirato a
Jack Armstrong. Ma non è stato possibile farlo. Così, hanno cambiato la storia, ma solo un po’: sarebbe ancora una storia di avventura, drammatica, fantasiosa e fatta più per adolescenti che per bambini. A proposito, The Adventures of Jonny Quest
è stato uno dei primi cartoni dove si vedeva la morte di dei personaggi.
È stato fatto nel 1964 e nel 1965.
Il personaggio principale è un ragazzino che va insieme a suo padre viaggiando per il Mondo. E mentre viaggia, lui ha le sue avventure così come trova dei cattivi. Alcuni di questi cattivi sono mostri (veri e falsi).


En
The Adventures of Jonny Quest, el padre de Jonny Quest es el Dr Benton Quest, un gran biólogo, físico y químico.
De su madre es dicho solamente que ya está muerta, y por eso Jonny se queda siempre junto al padre (ellos viven en la Palm Key).
Junto a ellos, vive el hunk Roger Race Bannon, su guardaespaldas.
Después del episodio
Calcutta Adventure,
un muchacho hindú llamado Hadji empieza también a ser un miembro del grupo.
La mascota del grupo es el perro Bandit, que a veces ayuda, a veces perturba.
Casi todos los otros personajes de ese dibujo pueden ser en 1 solo episodio.
The Adventures of Jonny Quest
tuvo solo 1 temporada de 26 episodios, acabando en 1964. Pero esos episodios estuvieron en la TV de muchos paises hasta los años 70 y 80. Y siempre con una buena receptividad del público.
Pero fue muy visto como una historia machista, por tener casi solo personajes hombres. Una de las pocas personajes mujeres, llamada Jade, es una supuesta novia de Race. Y está allá probablemente para decir que él es hetero. Es que algunos grupos conservadores decían que es posible ver una relación homosexual implícita entre Race y Benton.


The Adventures of Jonny Quest “continued” in 1986, as The New Adventures of Jonny Quest, a TV series with only 13 episodes.
This time, the episodes were much more made for children than for teens (the opposite of the 1964 Jonny Quest). But it was a good series.
They also introduced us a new character: Hardrock, a stone warrior.
In 1996, the series “continued” again, as
The Real Adventures of Jonny Quest, with its 52 episodes.
This time, they introduced us a new character too: Jessie (Race’s daughter). But Hardrock has just disappeared since 1986! No character says anything about him in the 1996 series!
These characters also can be seen in 2 movies:
Jonny’s Golden Quest (1993) and Jonny Quest Vs The Cyber Insects (1995).
But certainly all these “continuations” of the story haven’t been as good as the 1964 series (
The Adventures of Jonny Quest).
Under this post, I left the links for one of the best episodes of the 1st Jonny Quest:
The Invisible Monster.


Até mais! E bom desenho aí pra vocês!rs

INVISIBLE MONSTER

Parte 1:
http://www.youtube.com/watch?v=zzHtijK4A5o

Parte 2:
http://www.youtube.com/watch?v=OjWS2RDJJMc

Parte 3:
http://www.youtube.com/watch?v=OjWS2RDJJMc

PLOT→ Um amigo do Benton, o Dr. Isaiah Norman, tem um laboratório numa ilha, onde ele faz experiências com energia molecular. Certa noite, tendo sobrecarregado os aparelhos com que fazia as experiências, ele acaba explodindo o laboratório. Ainda caído entre os escombros, ele pode ver de relance uma criatura que parece feita de energia saindo do lugar onde ocorreu a explosão. Ao que parece, 1 segundo depois disso, a criatura fica invisível e sai andando na direção da floresta da ilha, explodindo todas as coisas em que vai encostando pelo caminho e deixando um rastro de marcas no chão (aparentemente, pegadas). Assustado, o cientista entra em contato com o Benton por rádio, pedindo a ajuda dele. Mas nem tem tempo de explicar direito o que aconteceu: segundos depois, a criatura volta e, avançando sobre o seu criador, destrói ele. Entendendo, minimamente, que alguma coisa séria aconteceu, o Benton diz ao Roger pra partirem pra tal ilha. E depois de chamar os meninos, eles pegam o jato particular deles e se põem a caminho. Enquanto isso, a criatura continua andando pela floresta, destruindo não só os animais e vegetais, mas também os nativos que vai encontrando pela frente... Quando o jato dos Quest aterrissa na ilha, eles encontram logo de cara o laboratório destruído e a estranha trilha de marcas no chão, saindo das ruínas e indo na direção da floresta. O Benton decide ficar no laboratório pra tentar entender o que aconteceu, enquanto o Roger e os meninos, depois de vestirem seus cinturões voadores, seguem a trilha de marcas, supondo que, o que quer que tenha deixado aquele rastro, é a mesma coisa que destruiu o laboratório. Eles encontram algumas aldeias destruídas e nem um sinal de pessoa nenhuma. Ao mesmo tempo, dá pra ouvir alguma coisa soltando gritos ultra-sônicos no meio da floresta. Pouco depois, eles vêem a tal trilha de marcas no chão saindo da floresta e se formando num campo aberto. E então entendem que a criatura é invisível. Eles voam até uma aldeia próxima pra avisar os nativos do que vem por aí, mas não encontram ninguém. Poucos segundos depois, a criatura chega lá e quase pega o Hadji. Mas os 3 conseguem fugir voando. Voltando ao laboratório, eles contam ao Benton o que aconteceu. E ele diz que, pelo que pôde entender do material que estudou, a energia molecular que explodiu o laboratório criou vida no momento da explosão, ou seja, virou um monstro feito de energia. E a partir daí, saiu loucamente em busca de mais e mais energia. Pra isso, a criatura simplesmente encosta em outras fontes de energia (inclusive seres vivos), absorvendo a energia delas ao mesmo tempo em que destrói elas. Mas o Benton acha que dá pra desmaterializar a criatura, se ela for presa dentro de um local fechado e atingida por energia molecular oposta à que criou ela. Só que, antes disso, é preciso tornar a criatura visível, pra que ela fique mais vulnerável. Pra isso, o Benton e o Roger, usando os cinturões, sobrevoam o lugar onde tão sendo feitas as marcas no chão e jogam sacos cheios de tinta ali, acertando a criatura e pintando ela. Só então, dá pra ver que a criatura é um bloco único com um olho e uma boca enormes. Depois disso, indo até uma caverna próxima do laboratório, os 4 preparam a armadilha e, logo depois, conseguem atrair a criatura até lá com uma lâmpada acesa pendurada na entrada da caverna. Com uma lanterna, o Benton atrai a criatura até a posição exata, entre os estabilizadores de energia, liga a energia e desmaterializa ela. Missão cumprida. Os heróis pegam o jato e voltam pra casa.

10/15/2007

MODELO, ENQUANTO DER; ATOR, PRA SEMPRE

Oi!!!

Bom, antes de entrar no tema de hoje, só uma explicaçãozinha, já que o Kaíke e o Pe-Jota comentaram sobre isso... Quando aparece por aqui a imagem de uma mulher pelada, eu geralmente cubro partes específicas dela com tarjas pretas. E por quê? Eu posso responder com outra pergunta: quando aparece uma imagem, geralmente voltada pros homens héteros, que tem homens e mulheres nus, por que é que cobrem o pênis e os testículos dos homens com tarjas ou com efeitos eletrônicos, ao mesmo tempo em que mostram as mulheres nuas com todos os detalhes e com todos os closes possíveis?
Eu já vi, por exemplo, 2 reportagens no SBT Repórter (e a gente sabe que a maior parte do público dos programas jornalísticos é masculina) que foram feitas em campos de nudismo. E quando apareciam os freqüentadores do campo, acontecia exatamente isso: as bucetas eram mostradas em todos os ângulos e com todos os detalhes, mas os pênis eram censurados com efeitos eletrônicos. Então, vamos dizer que, com as tarjas que eu boto nas mulheres peladas aqui no blog, eu tô apenas ‘dando o troco’ a certos tipos de censura heterossexualóide que eu já vi por aí. Quem com ferro fere...
Bom, a explicação é essa. Agora, vamos ao tema do post de hoje: o ator e modelo português Ricardo Pereira.

Ricardo da Silva Tavares Pereira nasceu em Lisboa, em 14 de Setembro de 1979.
Ele estudou no Liceu Camões e no Colégio Académico. E nesses 2 estabelecimentos ele fez parte de grupos de teatro, passando a se interessar intensamente por Arte Dramática.
Em 1995, com 16 anos, o Ricardo participou do curta-metragem Fulano.
Apesar do interesse em ser ator, ele se matriculou na Universidade Lusófona pra fazer o curso de Psicologia.O Ricardo também se inscreveu num concurso de fotos pra revista Ragazza, começando, a partir daí, a carreira de modelo fotográfico. E com 1, 80m de altura, cabelos castanhos e olhos verdes, ele logo chamou muito atenção.


Mas desde o ano 2000, quando estreou profissionalmente como ator, o Ricardo nunca deixou de seguir em frente com essa carreira também. Principalmente no teatro.
Também foi no ano 2000 que ele teve o 1º trabalho na televisão, com a novela Bairro da Fonte. E aí ele adotou o nome artístico simplificado de Ricardo Pereira.
Em 2004, ele veio pro Brasil, onde protagonizou a novela Como Uma Onda. E a partir daí vieram vários trabalhos dele do lado de cá do Atlântico.rs
Em 2006, foi a estréia do Ricardo no Cinema Brasileiro, com o filme Sonhos e Desejos.
Ele teve até agora 23 trabalhos como ator no cinema e televisão.
Atualmente, o Ricardo tá na novela Floribella. E ele também acabou de gravar o filme Nadine, uma co-produção da Bélgica e dos Países Baixos.
Ele tem consciência de que a carreira de modelo costuma ser bem mais curta que a de ator. Mas pretende continuar com as duas pelo máximo possível de tempo.Pra manter a forma, o Ricardo joga futebol e tênis e pratica natação.


No tempo livre, ele gosta de pintar.
O Ricardo nunca se casou e, que se saiba, nunca teve filhos.
Ele também fala Espanhol, Francês e Inglês.

Let me tell you something: as you guys know, if there’s any pic with a naked woman here I usually put a black rectangle on it, and some people have wanted to know why. Well, I can answer with another question: why do we see the opposite in some shows which have male heteros as their main public? In those cases, if there’s any scene with naked men and naked women together, they usually censure the men’s bodies and, at the same time, show the women’s bodies as much as possible.
Here in Brazil we have a news show called
SBT Repórter which had 2 days showing a nudist community. And all the times they showed the members of that community there was the same situation: they showed pussies, pussies and pussies all the time, but they censured the male bodies. So what I’m doing here is only doing justice. If heteros may censure pics in the hetero way, I may censure pics in the gay way too.


Oggi parleremo un po’ dell’attor ed indosstor portughese Ricardo Pereira.
Lui è nato a Lisbona, nel 14 Settembre del 1979, come Ricardo da Silva Tavares Pereira.
Lui ha studiato nel Liceu Camões e nel Colégio Académico, dove è stato in dei gruppi di teatro ed ha cominciato a pensare di essere attore.
Nel 1995, ai suoi 16 anni, Ricardo è stato nel cortametraggio
Fulano.
Anche così, lui ha cominciato il Corso di Psicologia dell’Universidade Lusófona.
Ricardo è anche stato nel concorso di foto della rivista
Ragazza,
cominciando allora la sua carriera di indossatore, col suo corpo di 1, 80 m, i suoi occhi verdi ed i suoi capelli marroni.
Dal 2000, lui ha lavorato prima di tutto come attore teatrale. Ma anche in quell’anno, lui ha avuto la sua prima telenovela,
Bairro da Fonte.
Ed allora, ha avuto il nome artistico di Ricardo Pereira.

En 2004, Ricardo estuvo en Brasil para, por la primera vez en su carrera, trabajar en una telenovela brasileña. Y como el protagonista!
Después de eso, él tuvo muchos otros trabajos como actor en Brasil.
El estreno de Ricardo en las películas brasileñas fue en
Sonhos e Desejos (2006).
El tuvo hasta hoy 23 trabajos como actor en el cine y en la televisión.
Ahora, Ricardo está en la telenovela
Floribella. Pero él también acabó de filmar la película Nadine.
El sabe que la carrera de modelo acabará muy antes de la carrera de actor. Mas piensa de continuar con las 2 carreras por lo máximo posible de tiempo.
Los deportes que Ricardo hace para cuidar de su cuerpo son fútbol, natación y tenis.
Cuando tiene tiempo, le gusta pintar.
Ricardo nunca fue casado y, se piensa, nunca tuvo hijos.
El habla Español, Francés, Inglés y Portugués.


Até a próxima!

10/14/2007

ELE SE CUIDA, MAS SEM NEUROSE

Oi!!!

Bom início de semana!
Muito interessantes os comentários de todos vocês no post precedente! Valeu mesmo por todas as opiniões dadas! Até porque, como eu respondi nos comentários, são vários motivos que podem levar um homem a ter esse tipo de relação sexual, né? Talvez o mais curioso aí, e o ponto mais comum entre a maioria deles, seja a dificuldade que essa maioria tem em ser chamada de “homossexual” ou de “bissexual”. Tem até alguns específicos que, quando apenas surgem essas palavras relacionadas a eles, partem pra homofobia aberta, dizendo que o amor homossexual é uma “projeção neurótico-narcisista”, que “é melhor ser pedófilo do que ser homossexual”, que “é melhor ser estuprador do que ser homossexual” e tal. Procurem essas definições aí pela rede que vocês sabem que acham. Então, acho que quem responde com tanta fúria a uma insinuação de homossexualidade tá revelando uma homossexualidade tão enrustida que não quer que ninguém nem sequer pense na possibilidade dele ser gay, né?
Mas é claro que aí já são casos específicos.Bom, vamos ao tema desse post: hoje a gente vai dar uma olhada num dos símbolos sexuais do Brasil, o ator Murilo Rosa.

Murilo Araújo Rosa nasceu em Brasília, em 21 de Agosto de 1970.
Durante a infância e a adolescência, ele sempre praticou esportes como futebol, tae-kwon-do e vôlei. Ele até pretendia se formar em Educação Física. Mas acabou indo pro lado da atuação: depois de já ter inclusive se matriculado num curso universitário de Educação Física, ele trancou a matrícula e foi fazer cursos de teatro.
Em 1993, pensando em investir na carreira de ator, o Murilo se mudou aqui pro Rio, onde mora até hoje.
Mesmo aproveitando as oportunidades que apareciam, no início ele era sustentado pelos pais.
A 1ª novela do Murilo foi 74.5 Uma Onda No Ar, uma produção independente do Cecil Thiré, exibida pela extinta Rede Manchete em 1994.
O salário era simplesmente R$ 1000,00! Mas, como era o início, o Murilo aceitou. Até pra ter uma renda, por mínima que fosse, independente dos pais. E também foi aí que ele adotou Murilo Rosa como nome artístico.
O 1º trabalho de mais destaque dele foi Xica da Silva, em 1997.
No mesmo ano, ele se casou com a atriz Vanessa Lóes.
No início da carreira, o Murilo não costumava usar perfume nenhum e geralmente era visto com uma certa freqüência usando camisetas de algodão, calças jeans e sandálias. Mas depois ele passaria a se vestir com um estilo um pouco mais formal.
Curiosamente, os 8 trabalhos que ele teve na televisão depois de Xica da Silva foram só com personagens que viveram em séculos passados ou no início do século XX. Mas ele diz que foi por puro acaso.
Em 2001, ele se divorciou da Vanessa. Dizem os fofoqueiros de plantão que a separação aconteceu devido a algumas escapadinhas freqüentes dele.
Apesar disso, o Murilo diz ser um admirador dos relacionamentos duradouros.
Por outro lado, dizem as fofocas que ele é (ou pelo menos já foi) meio galinhante. E algumas colegas de trabalho dele parecem confirmar essas fofocas...
Agora, em Julho, ele se casou com a atriz Fernanda Tavares, que tá grávida do 1º filho deles. Aliás, ela completou 9 meses na semana passada: pode ser que o bebê chegue até mesmo ainda hoje!
Com 1, 78m de altura, o Murilo diz que procura cuidar do corpo, mas sem neuroses. Ele não bebe, não fuma, faz ginástica aeróbica 3 vezes por semana e, quando o tempo permite, corre na praia (também, ele mora na Barra da Tijuca e tem a praia mais longa do Rio pra correr) e faz abdominais. Mas ele lembra que o principal é a pessoa gostar de se cuidar.
Quando tem tempo, ele também gosta de jogar tênis.
Na alimentação, o Murilo costuma evitar comer gordura e açúcar.De qualquer forma, dá pra ver que o resultado é bom, né?


Bem que eu queria ver o talo dessa rosa!rsrsrs
Mas por falar em comida, apesar de não saber cozinhar, o Murilo diz que a comida preferida dele é a caseira, sem ser muito estilizada.
De tudo, o que ele mais costuma reclamar é da falta de tempo e da agenda completamente flutuante dele durante a semana toda.
Além de várias peças de teatro, ele teve até agora 20 trabalhos no cinema e televisão. E o próximo trabalho dele já tá chegando aí: vai ser a próxima novela das 6 da Globo, Desejo Proibido, onde ele vai interpretar o herói principal.

Buona settimana!
Oggi parleremo un po’ dell’attor brasiliano Murilo Rosa.
Lui è nato a Brasília, nel 21 Agosto del 1970, come Murilo Araújo Rosa.
Da quando era bambino e adolescente, gli sport erano già presenti nella sua vita. E lui pensava anche di essere un professore di Educazione Fisica. Ma quando doveva già cominciare questa università, ha deciso di lasciarla per essere un attore. Ed ha cominciato i suoi corsi di teatro.
Nel 1993, Murilo ha lasciato Brasília per sviluppare la sua carriera di attore in Rio de Janeiro. E vive in Rio fino adesso.
Anche così, i suoi genitori lo tenevono.
La sua prima telenovela è stata
74.5 Uma Onda No Ar
(1994). Ed allora lui ha avuto il nome artistico di Murilo Rosa.
Lui guadagnava solo R$ 1000,00! Ma questo era importante almento per essere indipendente dai suoi genitori.


La primera telenovela más conocida de Murilo fue
Xica da Silva (1997). Y en la misma época de esa telenovela, él casó con la actriz Vanessa Lóes.
Cuando Murilo empezó su carrera, no le gustaba usar perfume y generalmente era visto con camisetas de algodón, jeans y sandalias. Pero después pasaría a vestirse de un modo un poco más clásico.
Los 8 trabajos que él tuvo en la televisión después de
Xica da Silva
fueron interpretando personajes de épocas pasadas. Pero él dice que eso fue por pura casualidad.
El casamento de Murilo y Vanessa acabó en 2001. Y se dice que fue por cuenta de otras relaciones que él tenía siempre mientras era casado, aunque él diga que las relaciones más serias le son importantes...
Pero hay chismes hablando de él siendo (o habiendo sido en el pasado) un hombre promiscuo. Y algunas actrices que ya trabajaron con él también lo dicen.
Ahora Murilo está casado con la actriz Fernanda Tavares, que parirá su primer hijo en los próximos días.


Murilo is 1, 78 m tall. And he says he takes care of his body without going crazy. He doesn’t drink or smoke. And he does aerobics 3 times a week. Sometimes he joggs on Barra da Tijuca Beach, crunches, and plays tennis. But he reminds everybody the most important is liking to take care of yourself.
Well, as you guys can see above, it’s working for him.
Also to take care of his body, Murilo eats sugar or fat very rarely.
By the way, he says his favorite kind of food is homemade food, without complications.
Murilo says the only big problem in his life is his crazy schedule: as a theater, movie and TV actor, every day he gets up, goes out, eats, comes home and sleeps in different times.
He’s been a TV and movie actor for 20 times to now. And next month he’ll be in another telenovela as the main hero. It’s called
Desejo Proibido.


Bom, até a próxima!

10/12/2007

UM SUBGÊNERO DE BISSEXUAIS?

Oi!!!
Hoje eu vou falar sobre um assunto que acho, no mínimo, passível de várias opiniões: existem vários homens, que se dizem heterossexuais, mas que fazem questão de transar com uma mulher com outro homem junto. E esse tipo de homem, na maioria das vezes, não toca no outro cara, mas faz questão de ver o outro cara pelado, excitado e transando com a mulher na frente dele.

Bom, vou dar a minha opinião pessoal e bem objetiva sobre esse assunto: a meu ver, esse cara não é hétero. Se fosse, por que ele faria questão de ter outro homem pelado e excitado junto com ele ali na hora? Pode ser até que ele realmente nunca tenha tido contato sexual com outro homem, mas se ele se excita vendo um corpo masculino nu e em atitude sexual, acho que não dá pra chamar esse cara de “hétero”. Minimamente, eu diria que ele é bissexual.
Entretanto, se ele nunca tocou sexualmente em outro homem, aí eu tenho que reconhecer que ele não é um bissexual... ‘na prática’, vamos dizer assim. Então, acho que dá pra dizer que esse é um subgênero de bissexuais.
Agora, eu queria saber a opinião de vocês sobre esse assunto.


Today I’ll talk about something you can see, at least, in different ways: many men call themselves heterosexual, but they love having sex with a woman and with another man together. This kind of man usually doesn’t touch the other guy, but he loves watching the other guy naked, sexually excited and having sex near him.
Let me say what I think about that: this man isn’t a hetero. If he were, why would he want to have a man naked and excited with him? OK. Let’s say he’s never had sex with another man. But if he gets sexually excited when he sees a male body naked and in a sexual situation, we can’t say he’s a hetero guy. At least, he’s a bisexual.
Anyway, if he’s never touched another man, we have to say he isn’t a “real” bisexual. Perhaps he’s one of a subgenre of bisexuals.
Now, I’d like to know what you guys think about that.


Hoy hablaré de una cosa que, por lo mínimo, puede ser vista de modos muy diferentes: hay muchos hombres que se dicen heterosexuales, pero les gusta muschísimo tener relaciones sexuales con una mujer y con otro hombre junto. En la mayor parte de las veces, él no hace nada con el otro tipo, mas ama verlo desnudo, excitado y follando.
Bueno, diré lo que yo pienso de eso: ese hombre no es un hetero. Si lo fuera, ¿como le gustaría tanto tener un hombre desnudo y excitado junto a él? Es posible que él nunca haya hecho nada sexual con otro hombre, pero si se queda excitado cuando ve un cuerpo masculino desnudo y en actitud sexual, pienso que no es posible llamarlo “hetero”. Por lo menos, él es bisexual.
Pero si él no ha hecho nada nunca directamente con otro hombre, tenemos que decir que no es un bisexual “verdadero”. Tal vez él sea de un subtipo de bisexuales.
Ahora me gustaría saber lo que uds piensan de eso.

Oggi parlerò di una cosa che può esser vista almeno come delle situazioni diverse. Ci sono molti uomini che si dicono eterosessuali, ma gli piace moltissimo fare il sesso con una donna e con un’altro uomo insieme. Nella parte più grande delle volte, lui non fa niente coll’altro tipo, ma ama vederlo nudo, eccitato e fottendo.
Bene, dirò quello che io penso di questo: l’uomo che lo fa non è un etero. Se lo fosse, come gli piacerebbe tanto avere un altro uomo nudo ed eccitato insieme a lui? È possibile che lui non abbia mai fatto niente sessuale con altro uomo, ma se diventa eccitato quando vede un corpo di maschio nudo e in una situazione sessuale, penso che non è possibile chiamarlo “etero”. Almeno, lui è bisessuale.
Ma se non ha mai fatto niente davvero con altro maschio, dobbiamo dire che lui non è un bisessuale “vero”. Forse lui sia qualcuno di un sottogenere di bisessuali.
Adesso mi piacerebbe sapere quello che voi pensate di questo.


Bom fim de semana e até a próxima!

10/08/2007

PROMISCUIDADE

Oi!!!

Hoje eu vou falar aqui sobre um assunto que muita gente, mas muita gente mesmo, associa à homossexualidade: a promiscuidade. E vale destacar que é muita gente de todas as preferências sexuais, e não só os héteros, que faz a associação de uma coisa à outra.
Existe uma espécie de visão pré-estabelecida dos homossexuais, que diz que todo homossexual é promíscuo.

Bom, não vou negar que existe um número bem grande de homossexuais promíscuos. Mas isso quer dizer que todos são?
Antes de responder a essa pergunta, pensem numa outra: será que só os homossexuais têm a tendência de ser promíscuos ou será que todos os homens (sejam eles homossexuais, heterossexuais ou bissexuais) têm essa tendência?
Não se esqueçam que a maioria esmagadora dos homens héteros tão bem longe de ser um modelo de fidelidade. E dizer que SÓ os homens gays são promíscuos é simplesmente querer fechar os olhos pra isso.

A conclusão à qual a gente pode chegar em relação a isso é que a maioria dos homens (sejam eles gays, héteros ou bis) têm uma tendência maior de ser promíscuos. Pelo menos um pouco mais do que a maioria das mulheres (sejam elas lésbicas, héteros ou bis também).
Aí surge uma outra pergunta: por que existe essa tendência de promiscuidade na maioria dos homens ao mesmo tempo em que essa tendência é um pouco menos comum na maioria das mulheres?
Vou até perguntar isso de uma forma um pouco mais objetiva:

POR QUE A MAIORIA DOS HOMENS SÃO TÃO SOLTOS E A MAIORIA DAS MULHERES SÃO TÃO GRUDENTAS?

Com certeza, todos vocês já perceberam que existe essa diferença, né? Lembrando sempre que existem todas as exceções possíveis de todos os lados. Mas eu tô falando aqui das maiorias, e não das exceções.
Bom, o que eu posso observar é o seguinte: a mulher passa por várias condições físicas que fazem com que ela tenha que DIVIDIR situações com outra pessoa...
Na própria relação sexual, a mulher demora a se excitar, geralmente demora a chegar ao orgasmo e não perde a excitação de um instante pro outro (nunca transei com mulher nenhuma, nem tô interessado, mas todo mundo que eu conheço que já transou faz questão de frisar que, depois do orgasmo, a mulher continua acesa, quer conversar sobre detalhes, quer discutir relação e tal): ela se prende de uma forma quase obsessiva à pessoa que tá com ela ali na hora.
Se uma mulher quiser gerar um filho, ela é obrigada a DIVIDIR o corpo dela com esse filho durante 9 meses. E pra alimentar o filho, ela vai fazer isso com o leite que sai dos seios dela, o que é outra forma de DIVIDIR o corpo com o filho, né?
A mulher, evidentemente, passa por essas condições físicas desde sempre. Desde o início da Humanidade. Então, acho que foi graças a isso e inspirado nisso que a mentalidade que foi se fixando nas culturas de todos os povos, ao longo dos séculos, é que a mulher, pra se sentir mulher ou pra ser considerada mulher, tem que DIVIDIR situações com alguém.
Vocês podem ver que pelo menos 90% das mulheres tentam fazer até o impossível pra grudar em alguém, de preferência em tempo integral. Mas, como não é possível grudar em alguém por 24 horas seguidas, qual é o tipo de comportamento que ela tem pra compensar isso? Quando ela reencontra a pessoa depois de algumas horas afastada, ela faz uma espécie de interrogatório, querendo saber como foi o dia da outra pessoa durante todo o tempo em que ela não teve presente.
Uma cena comum de se ver num casal hétero é, quando os 2 se encontram em casa de noite, ela querer saber de tudo o que se passou com ele desde a hora em que ele saiu de casa até a hora em que ele chegou, com aquele famoso “Como é que foi o seu dia, querido???”.
Outra cena comum de se ver num casal hétero é, mesmo que os 2 fiquem juntos durante a maior parte do dia, a mulher fazer ao homem aquelas 2 perguntas bem idiotas (lamento, mas são idiotas mesmo):

“O que é que você tá pensado???” e “O que é que você tá sentindo???”

São perguntas idiotas porque, mesmo que a outra pessoa responda com a mais pura verdade aquilo que ela tá pensando e sentindo, como é que você vai ter certeza do que ela tá pensando e sentindo? E mesmo que você tenha certeza, o que é que interessa saber o tempo todo o que é que a outra pessoa tá pensando e sentindo?
Já pra mulher, o homem nem precisa perguntar: ela sozinha já costuma chegar pra ele e fazer um discurso de 3 horas, falando tudo que ela tá pensado e tudo que ela tá sentindo.
O motivo disso: pra ela se sentir mulher, ela tem que DIVIDIR com ele tudo que passa pela cabeça dela, e espera que ele faça o mesmo.
É possível que a obsessão da maioria das mulheres em ter filhos também venha daí: um filho é alguém em quem, teoricamente, ela vai poder grudar pra sempre; e o grande sonho da vida de uma mulher (pelo menos na maioria das vezes) é grudar em alguém pra sempre. E é esse o comportamento que a gente vê claramente a maioria das mães terem, né? Elas tentam grudar nos filhos pra sempre e em tempo integral, tanto que elas geralmente se preocupam mais em infantilizar os filhos do que em preparar eles pro Mundo (assim elas criam uma dependência maior dos filhos em relação a elas).
Bom, tudo isso que eu mencionei aqui é comum com a maioria das mulheres. Mas é comum com a maioria dos homens? Claramente não, né? E por quê? Porque o homem não passa pelas condições físicas que eu disse que a mulher passa.
Na hora do contato sexual, ele se excita praticamente de um segundo pro outro, geralmente ele chega ao orgasmo em pouco tempo e ele perde a excitação também praticamente de um segundo pro outro (até mesmo numa masturbação, quando o orgasmo termina, a nossa excitação cai pra 0% na mesma hora, né?): mesmo que o homem teja interessadíssimo na pessoa que tá ali com ele na hora, é raro que tenha um grude tão grande quanto a mulher costuma ter.
Se um homem quiser gerar um filho, ele nunca vai dividir o corpo dele com esse filho por 9 meses. Nem vai amamentar esse filho com os próprios mamilos dele.
Então, nunca ficou na cultura de povo nenhum (pelo menos dos povos que eu tenha conhecimento) que um homem, pra se sentir homem ou pra ser considerado homem, tem que DIVIDIR situações com outra pessoa.
Então, acho que a maioria dos homens têm a tendência de ser mais promíscuos exatamente porque eles não se sentem obrigados a grudar em ninguém. E a promiscuidade, pelo menos teoricamente, não vai permitir a criação de vínculos muito profundos com ninguém.
Além disso, a idéia que a gente observa que foi criada na maioria das culturas é que o homem, pra ser visto como homem, não deve fazer o que uma mulher faria. Acho que todos nós, em alguns momentos da vida, já fomos aconselhados a não fazer alguma coisa porque aquilo era “coisa de mulher”, não é verdade? Muita gente já buzinou frases na nossa cabeça do tipo “Homem não chora! Quem chora é mulherzinha!” ou então “Mulher fazendo isso, tudo bem; mas homem fazendo isso fica ridículo!”. E a gente ouve isso de homens E mulheres durante a vida toda.
É claro que, até por uma questão de civilização, a gente luta contra essas idéias, não aceita isso sem contestar e tal. Mas são idéias que homens E mulheres tentam fixar na cabeça da gente, né?
Então, talvez a maioria dos homens também valorizem tanto os divertimentos superficiais, os relacionamentos superficiais e, consequentemente, a promiscuidade porque aí, dependendo do ponto de vista, eles não tão fazendo o que uma mulher faria.
Como resultado de tudo isso junto, a gente pode observar que a maioria dos homens têm o divertimento como objetivo principal, enquanto a maioria das mulheres têm o grude como objetivo principal.
Bom, acho que as causas básicas da promiscuidade masculina (entre homens de qualquer preferência sexual) ser mais comum do que a feminina seriam essas. Agora, eu gostaria de saber a opinião de vocês. Botem a boca no trombone!

Some people say every gay man has the tendency to be a promiscuous person. But how about a hetero man? Haven’t you ever seen lots and lots of promiscuous hetero men everywhere?

Algunas personas dicen que todo hombre gay tiene la tendencia de ser una persona promiscua. ¿Pero que dices de un hombre hetero? ¿Nunca viste los muchísimos y muchísimos hombres heteros promiscuos que hay en todas las partes?

Alcune persone dicono che ogni uomo gay ha la tendenza di esser una persona promiscua. Ma che dici di un uomo etero? Non hai mai visto i tantissimi e tantissimi uomini etero che vivono per la promiscuità e che ci sono in ogni parte?