7/26/2007

UM CATOLICISMO MAIS INTELIGENTE

Oi!!!

Gente, acho que vou ter que mandar o computador pruma revisão, porque ele tá fazendo um barulho meio estranho. Então, se eu ficar uns dias sem aparecer, é só por causa disso, tá?
Eu ia mandar esse post aqui amanhã. Mas, como acho que vai ter esse problema, vai hoje mesmo.
Bom, como a maioria de vocês devem ter visto, no último dia 10, o Vaticano divulgou em público um documento estabelecendo que a Igreja Católica Romana é a única comunidade cristã que possui referência moral e religiosa pra ser considerada uma igreja. De acordo com isso, as outras igrejas podem ser chamadas no máximo de “comunidades”, mas não de “igrejas”, e podem até se esforçar pra ter valores cristãos de moral e religião, mas esses valores só podem ser encontrados de forma plena na Igreja Católica Romana.
A única outra igreja que foi considerada quase igual à Católica Romana, mas mesmo assim vista como muito deficiente se comparada a ela, é a Igreja Católica Ortodoxa.
Então, pra quem não sabe bem que igreja é essa (já que ela realmente não é muito comum aqui no Brasil), hoje vamos dar uma olhada nesse outro ramo do Catolicismo... Eu não diria que ele é melhor nem pior do que o Catolicismo Romano. Mas que ele é mais inteligente, alguns de vocês vão concordar que não há dúvidas.
Mas de onde veio esse outro Catolicismo? Bom, no início do século IV, o Imperador Constantinus I reconheceu o Cristianismo como religião oficial do Império Romano. Mas, no final desse mesmo século, o império foi dividido em 2 partes, uma ocidental e outra oriental, e cada uma governada por um imperador diferente.
Depois disso, o Império Romano do Ocidente continuou tendo Roma como capital e sendo governado por imperadores que eram diretamente influenciados pelos bispos de Roma, ou seja, os papas. E os papas passavam a ter cada vez mais poder político...
Mas o Império Romano do Oriente, que passaria a ter Constantinopla como capital, era governado por imperadores que reconheciam cada vez menos a autoridade política e religiosa dos papas, até devido às influências que iam recebendo de outros povos. E os bispos de Constantinopla também foram acompanhando esse afastamento de Roma...
Conclusão: ao longo dos séculos, o Cristianismo que existia no Oriente foi ficando cada vez mais diferente daquele que existia no Ocidente. Mas a separação definitiva foi no ano 1054, quando o Leo IX, Bispo de Roma, excomungou o Mikael Keroularios, Bispo de Constantinopla, e todos os seguidores dele. E esses, não se sentindo mais obrigados a seguir o Leo IX, reconheceram o Mikael Keroularios definitivamente como Patriarca de Constantinopla e chefe da igreja deles.A partir daí, a Igreja Católica se dividiu em 2 partes: a Igreja Católica Romana, que reconhecia o papa como chefe; e a Igreja Católica Ortodoxa, que reconhecia o Patriarca de Constantinopla como chefe. E é assim até hoje.


Na verdade, o nome todo da instituição é Igreja Católica Apostólica Ortodoxa. Mas no Brasil ela foi apelidada de Igreja Ortodoxa. E os próprios membros, que são os católicos apostólicos ortodoxos, por aqui costumam ser chamados de “cristãos ortodoxos” ou “católicos ortodoxos”.
A Igreja Ortodoxa tá dividida em vários patriarcados diferentes, cada patriarcado é dirigido por um patriarca diferente e cada patriarca é independente de todos os outros, podendo administrar o patriarcado dele de acordo com a forma como ele interpreta as passagens bíblicas.
O Patriarca de Constantinopla (que hoje costuma ser chamado de Patriarca Ecumênico de Constantinopla) continua sendo o Sumo Sacerdote da Igreja Ortodoxa. Mas hoje a autoridade dele é muito mais simbólica do que verdadeira. As decisões dele tão longe de serem infalíveis ou inquestionáveis e o máximo que geralmente se permite que ele faça é reunir os outros patriarcas e mediar alguma discordância que apareça entre eles.
Quem ocupa esse posto atualmente é o Patriarca Bartholomew I.
Cada patriarcado também tá dividido em paróquias, com os seus respectivos padres ortodoxos. E esses padres podem se casar e ter filhos. Mas, geralmente, o casamento só é permitido 1 vez e antes da ordenação. A maioria dos patriarcados exigem o celibato só dos padres que já ficaram viúvos.
Problemas internos que apareçam num patriarcado devem ser resolvidos pelo próprio patriarca, que pode destituir qualquer sacerdote daquele patriarcado. Mas os próprios membros do patriarcado podem se reunir pra destituir o patriarca, se acharem que devem.
Os católicos ortodoxos acreditam que o único chefe que a igreja deles pode ter é o próprio Jesus Cristo. Portanto, ter um sacerdote de autoridade infalível e inquestionável, que reina sobre todos os membros de todos os patriarcados da igreja e que permite ou proíbe por si só tudo o que eles podem ou não fazer, seria sacrilégio.
Tá aí o motivo do título desse post: o Catolicismo Ortodoxo é mais inteligente do que o Catolicismo Romano. Afinal, o que é que a gente vê nesse último? Submissão absoluta a uma autoridade única, que é o papa.
O papa, por ser considerado igual a Jesus, tem autoridade infalível e inquestionável pra permitir ou proibir quaisquer atos, palavras ou pensamentos a todos os católicos romanos do Mundo. SE VOCÊ É UM CATÓLICO ROMANO, você pode até usar o seu livre arbítrio pra discordar das decisões do papa. Mas aí você já tá com um pé no Inferno. Então, de acordo com os sacerdotes da sua igreja, não faça uso desse direito. Esqueça que você tem livre arbítrio e deixe a sua igreja pensar por você.
Aliás, como todo mundo sabe, esses mesmos sacerdotes católicos romanos tão proibidos de se casar e de fazer sexo. E se sentirem alguma coisa que passe perto de ser um desejo sexual, eles têm que se arrepender, se penitenciar e se considerar os piores dos seres humanos. Se não, já tão com um pé no Inferno.
Depois dessa, me digam: qual das 2 igrejas católicas é mais inteligente?
Agora, vocês devem tá querendo saber qual é a opinião que a Igreja Ortodoxa tem sobre os homossexuais, né? Bom, a explicação oficial é aquela das igrejas conservadoras em geral: o contato sexual entre pessoas do mesmo sexo é condenável, mas a pessoa que pratica esses atos não pode ser condenada. É claro que essa idéia vai se tornar mais ou menos intensa de um patriarcado ortodoxo pro outro, assim como alguns padres ortodoxos vão aceitar os gays e outros não vão. Então, se um gay que é católico ortodoxo se sente vítima de preconceito num determinado patriarcado, talvez baste passar a se dedicar a outro. E vai continuar sendo católico ortodoxo, mas vai deixar de comungar com as opiniões daquele patriarca específico. Coisa que não dá pra fazer no Catolicismo Romano...
A Igreja Católica Romana tá dividida também em vários grupos. Mas todos esses grupos devem submissão ao papa. Portanto, se você é um católico romano, não adianta você passar, por exemplo, de um grupo conservador prum grupo progressista dessa igreja, porque você continua sendo um súdito do papa, não importa a qual grupo dessa igreja você pertença. Ou seja, até aí o negócio é mais inteligente no Catolicismo Ortodoxo.
E vamos sempre lembrar que, se você gosta de seguir uma religião que condena você ao Inferno, considera você inferior a quem tem outro tipo de sexualidade e agride você de todas as formas que ela pode, continue nessa religião. Haja masoquismo, né? Mas o livre arbítrio é seu.
Por outro lado, se por ser gay, você não se sente bem acolhido não sua religião, seja ela qual for, tem várias outras que vão acolher você melhor: o Budismo, o Candomblé, o Hinduísmo, o Judaísmo (nos seus grupos progressistas), a Wicca, o Xintoísmo... Enfim, não se deixe pisar por pessoas que não têm o direito de pisar em você.
Nos 2 casos, a escolha é só sua!

Si te gusta ser miembro de una religión que te condena al Infierno, te ve como un ser inferior y te ataca siempre que puede, pienso que tú serás feliz como un católico (romano o ortodoxo). Si lo quieres...
Pero si tú quieres ser bienvenido siendo todavía un homosexual en una religión, hay otras religiones que pueden hacerlo posible: el Budismo, el Candomblé, el Hinduismo, la Wicca, el Shinto, el Judaismo (hablando aquí de sus grupos progresistas)...
En los 2 casos, la decisión es solo tuya.

C’è bisogno di ricordare che, se ti piace essere membro di una religione che ti vuole vedere nell’Inferno per essere omosessuale, che ti vede come una cosa inferiore e che ti attacca sempre, penso che tu sarai felice come un cattolico (romano o ortodosso). Se lo vuoi...
Ma se tu preferisci essere benvenuto in una religione essendo ancora un omosessuale, ci sono delle religioni che possono farlo possibile: il Buddhismo, il Candomblé, l’Induismo, la Wicca, lo Scintoismo, il Giudaismo (parlando qui dei suoi gruppi progressisti)...
Nelle 2 situazioni, la scelta è tua.

Don’t forget something. If you like being a member of a religion which sentences you to Hell, sees you as an inferior being, and attacks you all the time, you can be a (roman or othodox) catholic. That’s your choice.
But if you want to feel welcome as a gay person in a religion, there are many other religions which can do it possible: Buddhism, Candomblé, Hinduism, Wicca, Shinto, Judaism (talking about its progressive groups)...
Anyway, in both cases, that’s your choice.


Bom, até a próxima, que talvez demore um pouquinho.rs

7/24/2007

UMA AVENTURA (TALVEZ) VERDADEIRA

Oi!!!

Vamos falar hoje sobre mais um personagem histórico gay: o André Maturette. Só que, dessa vez, vai ser meio... diferente. É que basicamente tudo o que se sabe sobre esse personagem foi registrado no livro Papillon, escrito pelo Henri Charrière (apelidado pelos amigos de Papillon). E esse livro, apesar de ter sido lançado pelo autor como a autobiografia dele, tem várias partes contestadas por vários historiadores, que acham muito improvável que a mesma pessoa tenha vivido todas as aventuras descritas no livro e passado por todos os lugares mencionados ali, apesar das situações parecerem bem reais. Em outras palavras, se pensa que tudo o que é contado no livro pode muito bem ter sido inspirado em fatos reais, mas fatos dos quais o autor ouviu falar, e não viveu pessoalmente. Então, não dá pra saber direito o que é ‘lenda’ e o que é verdade em relação aos personagens mostrados ali (e isso inclui o André). Bom, vamos em frente...A origem do André não é muito clara. Mas ele parece ter sido um menino pobre da França, nascido em 1915, época em que a Guiana Francesa ainda era usada como terra de degredo: um cidadão francês que cometia um crime na Europa era preso e mandado pra América do Sul, pra cumprir uma pena de trabalhos forçados na Guiana Francesa.

Mas a grande maioria era só falsamente acusada de ter feito alguma coisa. O próprio Papillon foi condenado ao degredo pela falsa acusação do assassinato de um cafetão.
Mas enfim: era lá que ficavam o Presídio de St-Laurent du Maroni (às margens do Rio Maroni) e o Arquipélago da Salvação, formado pela Ilha Royale, pela Ilha de São José e pela Ilha do Diabo (apelidadas de “Devoradoras de Homens”, devido aos métodos de prisão e tortura que eram aplicados ali), pra onde a maioria dos condenados eram mandados.


Bom, quando tinha 17 anos, na companhia de um colega de 16, o André participou do assassinato (provavelmente em conseqüência de um assalto) de um motorista de táxi... Nunca se soube qual dos 2 matou o homem, já que, no julgamento, eles assumiram, cada um, a autoria total do crime, inocentando um ao outro. De qualquer forma, os 2 deveriam ser condenados à morte pelo crime, mas tiveram a condenação mudada pra degredo, devido a serem menores.
Assim, o André foi mandado pra Guiana Francesa com 18 anos. E lá, ele passava o tempo tentando seduzir os guardas e os condenados mais velhos.
Em 1933, quando o Papillon traçou o 1º plano de fuga, ele pretendia sair direto da enfermaria do presídio, onde tava internado (e dali já era pra ir pras ilhas), junto com o amigo Joanes Clousiot (que tinha sido condenado pela falsa acusação do roubo de uma bicicleta). Mas, como eles eram vigiados por um carcereiro todas as noites, isso ficava impraticável. Assim, o Papillon propôs ao André que desse um jeito de manter o carcereiro ‘ocupado’ por uns dias, em troca de fugir com eles.
O André aceitou e passou a ir com o carcereiro pro banheiro da enfermaria por uns minutos toda noite, até que o cara confiasse completamente nele. E na noite combinada, assim que o carcereiro saiu do banheiro, o Papillon deu-lhe uma porrada na nuca, desmaiando ele. E os 3, como tava combinado, fugiram juntos da enfermaria, passando rápido pelos vigias.Quando eles pularam o muro do presídio, tavam lá 2 caras, contratados pelo Papillon, esperando eles com um barco (o plano era fugir dali pelo Mar e chegar à Colômbia, o que era um longo caminho).


A fuga não foi difícil, mas o Joanes quebrou a perna quando pulou o muro... De qualquer forma, ele, o André e o Papillon ficaram escondidos numa enseada fechada do rio, pensando em esperar até a história da fuga deles esfriar no presídio.
Os 2 ajudantes deixaram uma velha canoa com eles e ficaram de voltar uns dias depois, pra levar o que faltasse... Só que eles não apareceram mais.
Poucos dias depois, os 3 encontraram um caçador que, examinando a canoa que eles tinham lá, disse que eles não tinham condição nenhuma de sair pelo Mar com aquilo. E aconselhou eles a irem até a Ilha dos Pombos, onde podiam comprar um barco dos bons.
Essa ilha era uma colônia de prisioneiros leprosos, que eram mantidos lá pra não contaminar ninguém no presídio. E os 3 conseguiram o barco de que precisavam sem problemas, até por terem sido muito bem recebidos na ilha, ganhando até presentes, armas e mesmo uma doação em dinheiro dos habitantes.
Dessa ilha, os 3 saíram pela foz do Maroni, entraram no Mar e navegaram até Trinidad, onde foram calorosamente acolhidos pela Família Bowen. E enquanto a perna do Joanes era tratada, o André e o Papillon receberam total liberdade pra circular pela ilha, se divertindo muito, por sinal. Mas, ao contrário do que parece, isso não era um desatino da Lei de Trinidad. É que se dava um prazo de 1 mês pros foragidos de outros países se refazerem em Trinidad. Depois disso, tinham que deixar a ilha.
Antes de partirem, as autoridades locais pediram a eles que levassem 3 outros fugitivos franceses que tavam lá, identificados apenas como Dufils, Kergueret e Leblond. E o Papillon, que era reconhecido como líder do grupo, aceitou.
De Trinidad, os 6 navegaram até Curaçau, onde foram presos depois de um desentendimento com os primeiros habitantes que encontraram lá. Mas o Papillon ganhou a simpatia do Monsenhor Irénée de Bruyne, que, muito influente junto às autoridades de Curaçau, intercedeu pelos 6, permitindo que eles fossem soltos e seguissem viagem.
Chegando no litoral da Colômbia, o Dufils, o Kergueret e o Leblond pediram pra ser deixados ali. E o André, o Papillon e o Joanes seguiram em frente. Mas logo foram interceptados a barco por policiais colombianos, que levaram eles presos pra Rio Hacha, onde eles reencontraram os outros 3, que também tinham sido capturados logo depois do desembarque.
Não muito tempo depois disso, o Papillon conseguiu fugir desse presídio junto com um prisioneiro colombiano. E o André e os outros 4 foram transferidos pra outro presídio, em Santa Marta.
Passados 7 meses da fuga do Papillon, ele foi recapturado e recolocado junto com os 5 amigos, que, mais tarde, foram transferidos pra outro presídio, em Barranquilla. E lá, depois de algumas tentativas fracassadas de fuga, os 6 foram entregues às autoridades francesas, que levaram todos de volta pra Guiana Francesa.
Lá chegando, eles foram condenados, cada um, a 2 anos de reclusão na Ilha de São José, pela tentativa de fuga. Os reclusos recebiam 3 pequenas refeições por dia e eram colocados em celas individuais e sem iluminação, onde eram vigiados por 24 horas seguidas. E eram terminantemente proibidos de falar qualquer coisa, a não ser que algum vigia ou oficial perguntasse alguma coisa a eles. Os que desobedeciam essa regra eram amordaçados e presos numa camisa-de-força na própria cela.
Cumpridos os 2 anos (de 1935 a 1937), eles foram tirados das celas. E apesar de tá muito debilitado, o André conseguiu sobreviver. O Papillon, que tinha recebido vários contrabandos de comida mais saudável mandada pelos amigos dele, tava em condições bem melhores. Mas o Joanes não resistiu e morreu. Os outros 3 amigos da fuga deles não são mais mencionados.
Sendo mandados pra Ilha Royale, apesar do Papillon continuar infinitamente pensando em fugir, o André não quis mais saber disso. Ele conseguiu o cargo de enfermeiro-assistente na própria enfermaria onde foi tratado depois de sair da reclusão. E ficou por lá mesmo.
Mas ele e o Papillon continuaram mantendo contato. E os outros presos chegaram até a pensar que eles eram amantes. Aliás, a última informação que o livro dá sobre o André é quando aparecem alguns presos que, interessados nele, perguntam ao Papillon se eles tão juntos, no que o Papillon confirma que nunca transou com ele.
Provavelmente o André continuou ali até morrer ou até o presídio ser desativado, em 1951.
O André é chamado simplesmente de “Maturette” basicamente durante o livro todo. E em outro livro assinado pelo Papillon, Banco, ele fala de um outro “Maturette”, mas não parece ser o mesmo personagem (esse é hétero rs).O livro inspirou um filme com o mesmo nome, protagonizado pelo Steve McQueen, em 1973 (ano em que o Papillon morreu).


Mas o roteiro do filme acaba se afastando bastante do texto do livro. Inclusive, o André morre no filme, coisa que não acontece no livro.
O ator que interpreta o André no filme se chama Robert Deman.

Oggi parleremo un po’ di André Maturette, un altro personaggio gay dei tempi passati. Ma questa volta sarà un po’ diverso, perché quasi tutto quello che si sa di lui è detto nel libro Papillon, di Henri Charrière. E nonostante questo sia visto come l’autobiografia di Henri, c’è chi dice che è una storia impossibile di esser stata vissuta per una persona sola. Si crede che Henri abbia conosciuto le storie di altre persone e scritto il libro mettendole tutte insieme, come se fossero la storia della sua vita. Così, non si sa chiaramente quello che è vero e quello che non lo è in questo libro. Comunque sia...
Non si sa chiaramente quando, dove e come André è nato. Ma si crede che sia stato in Francia, come un bambino povero, nel 1915, quando la Guyana Francese era ancora usata come una prigione francese. Ma la parte più grande di chi ci andava non aveva fatto veramente niente.
Nella Guyana Francese c’erano la Prigione di St-Laurent du Maroni ed anche le 3 Isole du Salut (l’Isola Royale, l’Isola di San Giuseppe e l’Isola del Diavolo), dove la tortura dei prigionieri era costante.
Quando André aveva 17 anni, lui ed un amico di 16 sono stati presenti quando un uomo che guidava un taxi è stato assassinato... Nessuno ha mai saputo chi ha assassinato l’uomo, perché ognuno dei 2 ragazzi ha detto che l’assassino era lui e l’amico era innocente. Così, i 2 dovevano avere la pena di morte. Ma questo non è sucesso perché avevano meno di 18 anni. E la loro pena è stata cambiata ad esilio.
André è arrivato nella Guiana Francese quando aveva 18 anni. E prima della sua avventura insieme a Henri, passava il suo tempo cercando sesso coi poliziotti e coi prigionieri più vecchi.

En 1933, cuando Papillon pensó de escaparse por la primera vez de la Guayana Francesa, estaba en la enfermería del Presidio de St-Laurent du Maroni, junto a su amigo Joanes Clousiot. Pero había un centinela que se quedaba junto a ellos todas las noches. Así, Papillon dijo a André Maturette para seducir el hombre por algunos días, y podría escaparse con ellos. Y André se iba con el centinela para el cuarto de baño todas las noches hasta el hombre empezar a confiar completamente en él. Hasta que, en la noche combinada, Papillon golpeó el centinela en la cabeza cuando él salió del cuarto de baño y se escapó junto a André y Joanes.
No fue difícil escapar, pero Joanes rompió su pierna cuando saltó el muro del presidio.
Junto al presidio se quedaba el Río Maroni, donde 2 hombres contratados por Papillon los esperaban con un barco (Papillon pensaba de dejar la Guayana Francesa para irse a Colombia con sus 2 amigos).
Los 2 ayudantes de Papillon los dejaran en una pequeña playa del río, con una vieja canoa, diciendoles que se quedasen allá hasta que su fuga fuera un poco olvidada en el presidio. Y ellos 2 regresarían después... Pero no regresaron más.
Pocos día después, los 3 se avistaron con un cazador que les dijo para ir a una isla de leprosos próxima de allá para comprar un barco nuevo y mejor: la canoa que ellos tenían allí sería simplemente aniquilada en el Mar.
Ellos fueron muy bienvenidos en la isla, compraron su barco nuevo y hasta mismo tuvieron presentes de los habitantes. Y después de dejar el Maroni y entrar en el Mar, fueron primero para Trinidad, donde la Familia Bowen los recibió muy bien. Por la Ley, ellos podían quedarse allá por 1 més, pero después tenían que irse. Y cuando se fueron, las autoridades de Trinidad les pidieron para llevar 3 otros franceses con ellos: Dufils, Kergueret y Leblond.
Después de eso, estuvieron en Curaçau, desde donde, después de algunos problemas, continuaron su viaje para Colombia.
Dufils, Kergueret y Leblond fueron dejados en una pequeña playa de Colombia y, pocos después, André, Papillon y Joanes fueron presos por agentes de policía en una lancha y llevados para Rio Hacha, donde estaban los otros 3 (que habían sido presos también).
Papillon pudo escaparse de nuevo, mientras André y los otros 4 fueron llevados para Santa Marta, donde, después de 7 meses, fueron puestos junto a Papillon, que había sido preso de nuevo.
Los 6 fueron llevados para Barranquilla, donde fueron entregues a las autoridades francesas.

After have been arrested in Colombia, André, Papillon and Joanes were extraditated back to French Guiana. And they were sent to Saint Joseph Island, where they were put in individual cells without electrical energy for 2 years. They had only 3 light meals a day and were forbidden to speak anything. And 2 policemen watched them 24 hours a day.
They lived in these conditions from 1935 to 1937. André was really weak after that, but he could survive. Papillon was much stronger than him, because he had received many nutritious pieces of food from his friends in his cell as a contraband. But Joanes died in sick conditions.
Then, they were sent to Royale Island. And Papillon continued with his intentions to escape. But André really gave up. He was able to get a kind of a job as a nurse at the infirmary where he had stayed after having left the cell. And what happened to him after that is unknown.
Anyway, many prisoners thought he and Papillon were lovers. By the way, the last time André is mentioned in
Papillon is when some prisoners who want him sexually ask Papillon if he’s dating André. And he answered he isn’t and he’s never been.
Probably, André continued in Royale Island to his death or to the end of the prison, in 1951.
André is often called “Maturette” for all the book. And Papillon wrote another book called
Banco which has another character called Maturette. But this one is a hetero.
When Papillon died, in 1973, there was a movie based on his 1st book, which was also called
Papillon.
Steve McQueen starred this movie. But it goes very far from what happens in the book. The story is really different. By the way, André dies in the movie, and it doesn’t happen in the book.
Anyway, he was played by Robert Deman.


Até mais!

7/23/2007

UM POSSÍVEL FUTURO PRÍNCIPE

Oi!!!

Bom início de semana!Já que, no mês passado, eu fiz um post sobre o Príncipe Soberano Albert II, de Mônaco, hoje a gente vai dar uma olhada no sobrinho dele, o futuro diplomata (e talvez futuro príncipe soberano) Andrea Albert Pierre Casiraghi.

Ele nasceu em 08 de Junho de 1984, em Mônaco. E era o 1º filho da Princesa Caroline Grimaldi e do empresário Stefano Casiraghi.
Em 1986, o Andrea ganhou uma irmã, a Charlotte. E no ano seguinte, ele ganhou um irmão, o Pierre Rainier.
Em 03 de Outubro de 1990, o pai dele morreu num acidente, durante uma corrida de barcos, em Mônaco (muitos dizem que o acidente foi provocado por inimigos mafiosos dele, que danificaram o barco antes da corrida). E dizem que alguns membros da Família Principesca até comemoraram a morte dele, já que ninguém ali parecia ir muito com a cara dele!
Bom, o Andrea estudou na International School of Paris.
Em Janeiro de 1999, a Caroline se casou com o Príncipe Ernst August von Hanover, herdeiro do Trono de Hanover. E 6 meses depois, o Andrea ganhou outra irmã, a Alexandra, nascida desse casamento.
O Andrea fala Alemão, Francês, Inglês e Italiano. E pra manter a forma, ele também pratica vários esportes, como corrida, equitação, esqui e futebol.
Ele é considerado um dos jovens milionários mais bonitos do Mundo.Aliás, vocês não acham que ele se parece um pouco com o Kaíke Carrieri?


Bom, pela atual Lei de Sucessão do Trono de Mônaco (que, como a gente viu no mês passado, costuma ser bem inconstante), se o Albert II morrer ou abdicar sem filhos nascidos de um casamento oficial, a Caroline passa a ser a Princesa Soberana de Mônaco.
No caso da abdicação, se o Albert II se casar e tiver um filho depois de abdicar, esse filho dele fica como herdeiro da Caroline. E aí, quando a Caroline morrer ou abdicar, o filho do Albert II passa a ser o novo Príncipe Soberano de Mônaco. Mas se ele nunca tiver filhos nascidos de um casamento oficial (e parece que é isso que vai acontecer, né?), aí os filhos da Caroline, também nascidos de casamentos oficiais, passam a ter direitos sobre o Trono de Mônaco. Seguindo aquela linha: em 1º lugar, por ordem de sexo (os homens antes das mulheres); em 2º, por ordem de idade (os mais velhos antes dos mais jovens). O Andrea é o filho homem mais velho da Caroline. Portanto, ele é o herdeiro do trono depois dela.
Assim, como já tá mais ou menos claro que ele vai ser um dos próximos ocupantes do Trono de Mônaco, desde o ano passado ele já tem feito visitas oficiais a outros países, representando a Família Principesca.
Apesar disso, vocês sabem que o Andrea ainda não é príncipe? Pelo menos, não oficialmente. Ele nunca recebeu esse título! E parece que isso só vai acontecer depois que a mãe já tiver como princesa soberana.
Atualmente, ele tá se formando em Artes Visuais e Relações Internacionais pela American University of Paris.
No tempo livre, o Andrea gosta de tocar guitarra.

Buona settimana!
Nel mese scorso, io ho parlato qui del Principe Sovrano di Monaco, Alberto II. Così, oggi parlerò un po’ di suo nipote, il futuro diplomatico (ed anche forse futuro principe sovrano) Andrea Casiraghi.
Lui è nato nel 8 Giugno del 1984, come Andrea Albert Pierre Casiraghi, il primo figlio di Carolina Grimaldi e Stefano Casiraghi.
Sua sorella Charlotte è nata nel 1986. E suo fratello Pierre Rainier è nato nel 1987.
Nel 3 Ottobre del 1990, suo padre è morto in un’incidente colla sua motobarca, quando era ad una competizone. C’è chi dice che dei mebri della Famiglia Principesca sono diventati molto felici colla morte di Stefano, perché pochi veramente gli volevono bene.

Andrea estudió en la International School of Paris.
En Enero de 1999, su madre, la Princesa Carolina, se casó con el Príncipe Ernesto Hannover, con quien, 6 meses después, tuvo la hermana más jóven de Andrea, Alejandra.
Andrea habla Alemán, Francés, Inglés y Italiano. Y practica muchos deportes (carrera, equitación, esquí, fútbol...) para mantener un buen cuerpo.
Dicho sea de paso, él y Kaíke Carrieri son muy parecidos, ¿verdad?
Andrea es visto como uno de los jóvenes millonarios más bellos del Mundo.

Talking about the Throne of Monaco, if Sovereign Prince Albert II die or abdicate without any child born from a legitimate marriage, his sister Caroline’ll be the new Sovereign Princess of Monaco. So, probably Caroline’s children will have rights over the throne after her (all of them are born from legitimate marriages). But they’ll have to obey 2 conditions to get this throne: the 1st, males come before females; the 2nd, the older ones come before the younger ones.
Andrea is Caroline’s oldest male child. So, he’s her heir. Since last year, he’s been in social events in other countries to represent the Princely Family. As a matter of fact, he’s not a prince yet. He’ll probably have this title only when his mother become the sovereign princess.
Nowadays, he’s at the American University of Paris, as a student of International Politics and Visual Arts.
In his free time, Andrea likes playing guitar.
Até a próxima!

7/21/2007

VOLKER BECK, O GRANDE

Oi!!!
Hoje a gente vai dar uma olhada num político alemão que já entrou pra História da Luta Pelos Direitos GLBT como um dos seus maiores representantes. Tô falando do Volker Beck.

Ele nasceu em 12 de Dezembro de 1960, em Baden-Württermberg.
Até 1968, a homossexualidade era considerada crime na Alemanha, devido à influência nazista. E a partir daí, pelo menos juridicamente, esse tipo de perseguição acabou. Mas é claro que as coisas não mudaram de um segundo pro outro. De qualquer forma, a adolescência e o início da juventude do Volker foram nesse período de transição, né? Ou, pelo menos, no início dele.
Desde os anos 80 o Volker tem participado de manifestações públicas pelos direitos dos casais do mesmo sexo.
Por mais de 10 anos ele foi um dos representantes principais do LSVD, a principal organização alemã defensora dos direitos GLBT, quando sempre se manifestou pela legalização da união civil entre pessoas do mesmo sexo.
Desde 1992, o Volker vive junto com o empresário francês Jacques Teyssier. E desde 1994, ele foi um membro do Bündnis 90/Die Grünen, um partido político alemão.
Em 2001, em grande parte graças às manifestações públicas do Volker, foi legalizada a união civil entre pessoas do mesmo sexo na Alemanha, com exatamente os mesmos direitos e deveres que existem numa união civil hétero.
Devido a isso, ele foi apelidado de “Pai do Ato de Parceria Registrada Alemã”.
Em 27 de Maio do ano passado, ele teve numa parada gay em Moscou. E quando tava dando uma entrevista, ele foi cercado e agredido a socos por alguns neonazistas. Mas o Volker não se intimidou com isso. E ele se defendeu sozinho, porque a polícia russa, apesar de tá presente e assistindo a tudo, não fez nada na hora!
Sem baixar a cabeça, 1 ano depois o Volker tava em Moscou de novo, na prefeitura, buscando o reconhecimento dos parlamentares russos por leis progressistas. Ele foi agredido de novo, levando dessa vez uma chuva de ovos. Mas também não baixou a cabeça aí.
Atualmente, ele tá empenhado em erguer um monumento no centro de Berlim em homenagem às vítimas homossexuais e bissexuais do nazismo.
O Volker assumidamente entrou na política por ser gay e pra defender os direitos dos gays, lésbicas e bissexuais no Mundo inteiro. Mas além de lutar por essas causas, ele também se manifesta sempre a favor de leis progressistas e a favor dos Direitos Humanos em geral.
Em função disso, ele já recebeu vários prêmios e reconhecimentos públicos não só dos grupos GLBT, mas também de grupos pacifistas em geral.Graças a isso, é claro que o Volker ganhou todos os inimigos possíveis em grupos conservadores. Mais uma prova de que ele tá no caminho certo, né? Afinal, quando os conservadores radicais ficam todos contra a gente, geralmente isso significa que a gente tá no caminho certo.


Hoy hablaremos un poco de un político alemán que es una de las personas más importantes en la busca por los derechos LGBT en todo el Mundo: Volker Beck.
El nació el 12 de Diciembre de 1960, en Baden-Württermberg.
Hasta 1968, la homosexualidad era un crimen en Alemania. Así, la juventud de Volker fue en el tiempo del cambio. O, por lo menos, del comienzo del cambio.
Desde los años 80, él está en manifestaciones públicas luchando por los derechos de los homosexuales.
Por más de 10 años, Volker fue uno de los miembros principales del LSVD, y siempre siendo a favor de la unión civil entre personas del mismo sexo.
Desde 1992, él vive con su novio Jacques Teyssier. Y desde 1994, Volker es un miembro del Bündnis 90/Die Grünen.

Nel 2001, l’unione civile delle persone dello stesso sesso è stata legalizzata in Germania, cogli stessi diritti delle unioni civili delle persone di sessi diversi. E grazie in molto a Volker.
Per questo, lui è chiamato “Il Padre dell’Atto dell’Associazione Registrata Tedesca”.
Nel 27 Maggio del 2006, Volker ha ricevuto un’aggressione di dei nazisti a Mosca, mentre partecipava di una manifestazione gay. La polizia russa non ha fatto niente e lui è difeso da solo. Ma questo non l’ha fatto intimidirsi. E lui era di nuovo in Russia 1 anno dopo questo. Ha ricevuto un’altra aggressione, ma anche questo non l’ha fatto cedere.
Adesso lui vuole fare un monumento in centro di Berlino in onore degli omosessuali e bisessuali morti per i nazisti.

Volker says in public he became a politician just because, as a gay man, he has to do his best to defend the LGBT rights in the World. But of course this was not his only reason to do that. Volker is also a very strong defender of the progressive laws and Human Rights.
Because of that, of course he has received many awards. Not only LGBT awards, but also pacifist awards.
Of course, about 99% of the conservative people in the World absolutely hate Volker. But it shows he’s on the best way. Don’t forget: if most of the conservative people are against you, it usually means you are right!


Bom fim de semana e até a próxima!

7/18/2007

LÁ VEM O DIA DO AMIGO

Oi!!!

Bom, 20 de Julho é o Dia do Amigo. Então, já que esse dia tá chegando aí, vou fazer um post hoje sobre esse sentimento tão importante que une as pessoas.

Uma amizade é uma relação importante. Entre outras coisas porque é um dos poucos tipos de relação que é a própria pessoa quem escolhe. Quase todos os outros tipos de relação não é a pessoa quem escolhe, né? A pessoa não escolhe quem vão ser os pais dela, não escolhe quem vão ser os filhos dela (a não ser que ela adote), não escolhe quem vão ser os irmãos dela, não escolhe quem vão ser os vizinhos dela (pelo menos, na grande maioria das vezes), não escolhe quem vão ser os colegas de trabalho dela (também na grande maioria das vezes)... Se ela gosta dessas pessoas ou não, aí já é outra história. Não é isso que eu tô discutindo aqui. Tô apenas lembrando que não é ela quem escolhe ter essas pessoas na vida dela.
Mas enfim: quase todas as outras relações que nós temos na vida são simplesmente impostas. Elas não são escolhidas por nós... Mas as amizades são! Não é você que escolhe nada disso que eu mencionei acima, mas é você que escolhe quem vão ser os seus amigos.
Outra coisa importante de se lembrar é que nos outros tipos de relação quase sempre vai existir algum tipo de hierarquia: uma pessoa vai ficar (ou tentar ficar) acima da outra, numa relação de superior e inferior. Numa amizade não tem como existir isso porque a amizade é uma relação entre 2 semelhantes, e não entre um superior e um inferior.
Tem gente que diz que a maior barreira pra existência de uma amizade é a diferença de idade. Que fica muito difícil uma pessoa ter uma amizade verdadeira com uma pessoa bem mais velha ou bem mais jovem do que ela. E a explicação seria que as 2 pessoas não vão se tratar de igual pra igual exatamente por causa da diferença de idade... Olhem, pelo que eu posso perceber, não é bem assim. É uma situação até parecida com essa, mas não é bem assim.
É muito difícil você fazer uma amizade verdadeira com uma pessoa que tem filhos da mesma idade que você. Ou próximo da sua idade, até uns 4 ou 5 anos mais velho do que você. Porque ESSA pessoa não vai tratar você de igual pra igual. Ela sempre vai olhar pra você de cima pra baixo, como se ela fosse um ser de sabedoria infinita e como se você fosse uma coisa que ainda tá aprendendo a ser gente. Ela não desce do pedestal dela pra se colocar no mesmo nível que você e tratar você de igual pra igual.
Isso acontece porque, de forma direta ou indireta, ela compara você ao filho dela, já que vocês têm a mesma idade (ou quase). E aí ela acha que pode fazer as mesmas cobranças a você que faz ao filho dela, que ela pode falar com você da mesma forma que fala com o filho dela... Enfim, que ela pode tratar você da mesma forma que trata o filho dela. E não pode, né? Você não é filho dela!
Além disso, essa pessoa tem quase sempre aquele impulso de usar você pra se redimir das falhas e dos fracassos que ela cometeu com o filho dela. Tem quase sempre aquela idéia de que, já que ela não conseguiu convencer o filho dela a fazer isso, aquilo e aquilo outro, então ela tenta obrigar você a fazer isso, aquilo e aquilo outro.
Mas enfim: dá pra ter uma relação de igual pra igual com uma criatura assim? É claro que não. E se não dá pra ter uma relação de igual pra igual, não dá pra ter uma amizade verdadeira.
A única coisa que dá pra ter com essa pessoa é uma relação de paternidade mal resolvida ou de maternidade mal resolvida. E tem gente que até procura por isso, né? Vocês sabem que tem gente que adora colecionar pais extras e mães extras pela vida a fora. Bom, pra quem gosta disso, não tenho nada contra. Só que isso não é amizade.
Já sei que alguém vai dizer:

“Ah! Mas o fulano e a beltrana têm filhos da minha idade e não me tratam assim!”

Pois é! O fulano e a beltrana tão entre as exceções. Porque é claro que existem exceções. Mas a regra geral é o que eu descrevi aqui. E isso é independente da idade que você tem! Se você já tem 60 anos e conhece uma pessoa de 80, e essa pessoa de 80 tem um filho de 60 (ou próximo de 60), ela vai tratar você da mesmíssima forma que eu descrevi acima.
Pra quem pensa que eu tô dizendo tudo isso aqui sem conhecimento de causa, eu quero dizer que eu não vi isso acontecer 2 ou 3 vezes, mas sim dezenas de vezes e com pessoas diferentes.
É muito mais fácil você fazer amizade com pessoas que são muito mais velhas do que você e que não têm filhos. Ou então que têm filhos de outras faixas etárias mais distantes da sua.
Por outro lado, se você encontrou uma pessoa que oferece a você uma amizade verdadeira, e você consegue oferecer o mesmo a ela (mas amizade verdadeira, e não relações neuróticas como a que eu descrevi acima), segure essa amizade perto de você. Desde que você e essa pessoa façam cada um a sua parte, insista e não desista nunca dessa amizade. Um dia você vai ver como foi importante tanto pra você quanto pra essa pessoa manter essa amizade.

Sabemos que 20 de Julio (el próximo Viernes) es el Día del Amigo, ¿verdad? Así, hablaré un poco hoy de la amistad.
Es una relación importante, entre otras cosas porque es un de los únicos tipos de relación en que la propia persona escoge junto a quién estará. En cási todos los otros tipos de relación no es así. No es la propia persona quien elige sus padres, sus hijos o sus hermanos. Y en la mayor parte de las veces tampoco elige sus compañeros de trabajo o sus vecinos. No es la propia persona que quiere o no quiere esas otras personas en su vida. Ellas simplemente están allá. Son relaciones impuestas. Pero las amistades no lo son: es la propia persona quién elige sus verdaderos amigos.
También es importante recordar que cási todos los otros tipos de relación tienen algun tipo de jerarquía: una de las personas es superior a la outra, o hace lo posible para serlo. Y eso no puede haber en una amistad, porqué una amistad es una relación entre personas iguales. Si no es así, no es una amistad verdadera.

Some people say it’s almost impossible to be a friend of a person who’s much older or much younger than you. It’s because both won’t see each other with the same dignity due to their different ages... Well, I can see almost this situation. But not really this situation.
We really can see it’s very difficult to be a friend of a person who has a child of your generation. A child with the same age of yours of at most 4 or 5 years older than you. The parent of this child will never see you as a human being like him, but as an inferior creature who’s trying to be a person. He’ll talk to you like a god talking to a mortal.
It happens because this person’ll always compare you to his child. And he’ll think it’s his right speaking to you as he speaks to his child or treating you as he treats his child. And he MAY NOT. You ARE NOT his child.
By the way, this pernson often has the tendency to use you to redeem himself from the mistakes he did to his child. For example, if he hasn’t been able to convince his child to do something, he’ll try to obliged you to do the same thing.
Of course there are exceptions. But in most of the cases, it’s like that.


Sapiamo che non è possibile avere una relazione di amicizia con una persona che si vede come superiore a te, perché un’amicizia vera è una relazione fra persone uguali.
Per questo, di solito non è possibile avere un’amicizia vera con una persona che ha un figlio della tua stessa età (è quasi certo che si vedrà come superiore a te). Con questa persona tu puoi avere una relazione un po’ pazza di paternità o maternità. E c’è anche chi cerca questo tipo di relazione. Ma questo non è un’amicizia.
E niente cambia se tu sei una persona più giovane o più vecchia: se tu hai 60 anni e conosci qualche persona con 80 che ha un figlio anche con 60, questa persona anche si vedrà come superiore a te e ti vedrà come un bambino stupido.
Io ho già visto questa situazione per molte e molte volte e con persone diverse.
Lo so che qualcuno dirà:

“Lui (o lei) ha un figlio della mia età e non si vede come superiore a me.”

Chiaramente ci sono delle eccezioni. Ma la parte più grande delle volte ancora si vede quello che ho detto sopra, vero?
È più facile essere amico d’una persona molto più vecchia ma che non ha figli o che ha figli di altre età.
Per altro, se tu hai già trovato una persona che ti dà l’amicizia vera e tu gli dà lo stesso, c’è bisogno di prendere questa persona insieme a te. Per sempre, se questo sarà possibile. Un giorno tu vedrai come è stato importante farlo.


Até a próxima!

7/17/2007

O 13º IMPERADOR

Oi!!!
Hoje a gente vai dar uma olhada em mais um personagem histórico gay. Esse foi o 13º Imperador de Roma e considerado por muitos historiadores como o maior de todos os soberanos que o Império Romano já teve. Tô falando do Imperador Traianus.

Ele nasceu no Sul da atual Espanha, em 18 de Setembro do ano 53, ou seja, 20 anos depois do suposto ano da morte de Jesus.
O pai dele era o poderoso senador e general Marcus Ulpius Traianus. E o menino recebeu exatamente o mesmo nome do pai.
Quem governava o Império Romano quando o filho Marcus Ulpius nasceu era o Imperador Claudius I, que seria assassinado no ano seguinte pela esposa, a Imperatriz Agripina. E essa entregaria o trono ao filho dela, o Nero.
Na adolescência, o filho Marcus Ulpius entrou pro Exército Romano e serviu em diferentes regiões do império, enquanto, na capital, a coisa tava braba... No ano 68, depois de um governo turbulento, o Nero foi deposto e se suicidou logo depois. E o Servius Suplicius Galba, ex-Governador da Península Ibérica, que tinha sido eleito novo imperador pelo senado, assumiu o poder. Mas em Janeiro do ano seguinte, depois de uma revolta dos generais, esse imperador também teve o fim dele, sendo substituído pelo Marcus Salvius Otho, um antigo amante do Nero.
Esse Marcus Salvius só seria imperador até Abril, quando viu as tropas romanas reconhecerem o General Aulus Vitellius Germanicus como novo imperador. E aí ele se suicidou.
O reinado do Aulus foi um período de extrema tirania: esse imperador cometeu atos de grande crueldade, muitas vezes por pura diversão e sadismo. E em Dezembro do mesmo ano, depois de uma revolta generalizada, ele foi morto a pedradas pelo próprio povo romano, furioso com as atitudes dele e instigado por um cônsul. A carcaça que sobrou do imperador foi arrastada até o Rio Tibre e jogada lá, sem nenhum funeral. E o tal cônsul foi reconhecido como novo imperador, o Titus Flavius Vespasianus I, apelidado de Imperador Vespasianus. Ou seja, em 14 anos, 6 imperadores passaram pelo Trono de Roma, cada um derrubando o imperador que já tava lá antes!
No final do ano 76, o pai Marcus Ulpius foi feito Governador da Síria. E o filho Marcus Ulpius, com 23 anos, se mudou pra lá, onde foi um tribunus, uma espécie de sub-governador.
Mais ou menos por essa época (não se sabe bem a data), o filho Marcus Ulpius se casou com uma filósofa chamada Pompeia Plotina Piso. Mas, aparentemente, o que sempre existiu entre eles foi uma relação de amizade.
Nenhum filho nasceu desse casamento, que, provavelmente, nem consumado foi. Mas eles passaram a criar um primo distante do Marcus Ulpius, o pré-adolescente Publius Aelius Hadrianus, que tinha ficado órfão.
No ano 91, tendo recebido o título de cônsul, o filho Marcus Ulpius se mudou pra Roma. Naquele ano, quem tava no trono era o Titus Flavius Domitianus, um dos filhos do Imperador Vespasianus e apelidado de Imperador Domitianus.
Esse novo imperador vivia eternamente irritado e tinha uma personalidade intratável. E cumprindo as determinações dele, o Marcus Ulpius foi realizar expedições de conquista no Rio Reno, colocando toda a margem esquerda sob o domínio de Roma.
No ano 96, o Imperador Domitianus foi assassinado numa emboscada preparada por inimigos políticos dele. E em Setembro do mesmo ano, o Cônsul Marcus Cocceius Nerva foi eleito o novo Imperador de Roma. Aí começou o período do Império Romano que foi apelidado de “Era dos Bons Imperadores”, que foi uma época de imperadores relativamente mais pacíficos e, sem dúvida, mais preocupados com o progresso do império do que os imperadores anteriores.
Como novo soberano, o Marcus Cocceius, que já tinha uns 65 anos e uma saúde meio abalada, concedeu liberdade de culto aos cristãos (mas continuou adorando os deuses romanos), retirou a ordem de exílio contra todos que tinham sido expulsos de Roma e até se envolveu com algumas ações de caridade.
Como era 100% gay, o Marcus Cocceius nunca se casou nem teve filhos. Consequentemente, não tinha herdeiros. Assim, pra conseguir a simpatia das tropas, ele decidiu adotar um dos generais do império como filho. E o Marcus Ulpius foi o escolhido. Tendo recebido um dos nomes do pai adotivo, ele passou a se chamar Marcus Ulpius Nerva Traianus.
Com a morte do Marcus Cocceius, em Janeiro do ano 98, o Marcus Ulpius, pouco depois de completar 44 anos, se tornou o Imperador Marcus Ulpius Nerva Traianus I, de Roma. Ou, como ficaria conhecido, o Imperador Traianus.
Apesar de já ser o soberano de um império gigantesco. Ele pensou em adquirir mais territórios orientais. Assim, ele atacou as regiões que hoje pertencem à Hungria e à Romênia, levando pra Roma um grande número de escravos e riquezas daquelas regiões.
O Traianus foi o último grande imperador conquistador que ocupou o Trono de Roma. Mas, apesar disso, ele gastou valores tão exorbitantes nessas expedições que mesmo as riquezas conquistadas não cobririam.
Mas algumas parcerias e sociedades que ele desenvolveu com governantes vizinhos não foram feitas através de guerras, e sim através de sedução. Há registros de que ele levou alguns reis e príncipes pra cama e, com extrema sensibilidade, convenceu eles a tomar as atitudes políticas que ele queria. Hum! Interessante, né? Ele sabia das coisas!rsrsrsFoi durante o reinado do Traianus que o Império Romano chegou à sua extensão máxima: toda a área verde que vocês tão vendo nesse mapa pertencia a ele.


Em Roma, o Traianus favoreceu o desenvolvimento da agricultura, instituiu cotas de alimentação destinadas especificamente a crianças e, principalmente, foi o responsável pela realização de grandes obras arquitetônicas.
Na área religiosa, ele continuou adorando os deuses romanos. Quanto aos judeus e aos cristãos, ele não tomou nenhuma atitude extremamente importante, nem contra eles nem a favor deles.
Na vida pessoal, até onde se sabe, o Traianus passava todo o tempo livre bebendo vinho e se esfregando com rapazes novinhos. Mas uma coisa que se costuma relatar é que, apesar de beber muito, ele nunca ficava bêbado! Talvez exatamente por tá acostumado a beber, né?
Quanto aos rapazes do harém do Traianus, não há registros de nenhum que tenha sido maltratado por ele. Eles só tinham que se esforçar pra dar conta do apetite sexual insaciável dele!rsrs
Em 113, ele partiu com um exército numa campanha pra conquistar o Império Parta.
Terminada essa guerra, com a saúde debilitada e muito abatido por causa da luta, o Traianus iniciou a viagem de volta a Roma, na companhia da esposa Pompeia, no ano 117. Mas ele passou mal durante a viagem e foi recolhido em 08 de Agosto, morrendo no dia seguinte, faltando 1 mês pra completar 64 anos.
Durante os 19 anos do reinado dele, Roma evoluiu muito mais do que nas mãos de vários outros governantes que ela teve antes e depois daquela época.
De acordo com a Pompeia, a última pessoa que chegou a conversar com ele, o Traianus reconheceu o filho adotivo Publius Aelius Hadrianus como herdeiro. E esse passou a ser o novo Imperador de Roma. Mas isso já é outra história...

Today, we’ll talk a little about a gay monarch who lived 20 centuries ago. He was Trajan, the 13th Roman Emperor. And some historians see him as the Greatest Roman Monarch.
He was born in the South of modern Spain, on September 18th, in 53.
His father was Marcus Ulpius Traianus.
Claudius I was the Roman Emperor when Trajan was born. And this monarch would be killed by his wife, Empress Agrippina, who’d give the Roman Throne to Nero, her son.
Trajan joined the Roman Army when he was still a teen. And he would be in different regions of the Roman Empire. At the same time, Rome was a complete chaos: in 68, after having been forced to abdicate, Nero would suicide.
Servius Suplicius Galba became the new emperor. But he had his end some months later. And Marcus Salvius Otho, a Nero’s lover, replaced him as the new monarch.
After a few months, he killed himself when General Aulus Vitellius Germanicus became the new emperor.
Aulus was a terrible tyrant with a really evil and sadistic personality. And after a little revolution, the people of Rome killed him and threw his dead body into the Tiber.
Titus Flavius Vespasian became the emperor after his death. It means 6 men became Roman emperors in 14 years. And each one was his predecessor’s usurper.

Nel 76, il padre di Traiano è diventato il Governatore di Siria. E Traiano, ai suoi 23 anni, ci è andato per essere un tribunus.
Più o meno in quest’epoca, lui ha sposato la filosofa Pompeia Plotina Piso, con chi ha avuto (si crede) solo una relazione di amicizia.
Loro non hanno avuto figli o figlie. Ma hanno adottato Publio Elio Adriano, un cugino di Traiano.
Nel 91, Traiano è tornato a Roma, quando Tito Flavio Domiziano era l’imperatore. E lui ha voluto Traiano nel Reno, per farlo un territorio di Roma. E Traiano l’ha fatto veramente!
L’imperatore è stato assassinato nel 96. E Marco Cocceio Nerva l’ha sostituito.
In questo momento, comincia l’epoca chiamata “Era dei Buoni Imperatori”. Perché i prossimi 5 imperatori dopo Domiziano sarebbero più pacifici e più progressisti che gli altri tutti quanti.
Come il nuovo sovrano, Marco Cocceio ha permesso il culto cristiano (ma lui stesso dava culto ai dei romani), ha permesso il ritorno di quei che avevano avuto l’estradizione da Roma ed ha fatto anche dei tipi di carità.
Marco Cocceio era 100% gay. E per questo non aveva nessun erede naturale. Così, lui ha adottato Traiano e l’ha fatto il suo erede.
Marco Cocceio è morto nel 98. E Traiano, ai suoi 44 anni, è diventato l’Imperatore di Roma.

Trajano quería nuevos territorios orientales para el Imperio Romano. Y las actuales Hungría y Rumania fueron sus metas. Muchos esclavos de Roma eran de allá.
El fue el último gran emperador conquistador romano. Y tuvo algunos problemas económicos por cuenta de eso.
Pero algunas conquistas suyas no fueron hechas por guerras, y si por seducción. Algunos reyes y príncipes estuvieron en sus aposentos y Trajano, con mucha sensibilidad y habilidad, los convencía a hacer lo que él quería. El sabía hacer las cosas, ¿verdad?rs
Gracias a todas las conquistas de Trajano, el Imperio Romano tuvo su máxima extensión (como uds pueden ver en el mapa arriba).
En Roma, sus principales obras fueron a favor de la arquitectura.
Trajano continuó como adorador de los dioses romanos, pero no hizo nada muy importante contra (ní a favor) de los cristianos y judíos.
En su vida personal, le gustaban el vino y los muchachos jóvenes. Las 2 cosas en gran cantidad.rs Pero no tuvo nunca problemas por cuenta de eso.
En 113, Trajano se fue junto al Ejército Romano contra el Imperio Parta, para conquistarlo. Y después de eso, su salud no estuvo nada bien. Cuando regresaba a Roma en 117, junto a su esposa Pompeia, él tuvo problemas de salud y se murió el 8 de Agosto, cási con 64 años.
El fue el señor de Roma y sus territorios por 19 años, cuando el imperio tuvo uno de sus mejores períodos de evolución.
Pompeia fue la última persona a realmente hablar con Trajano. Y ella dijo que él quería Publio Elio Adriano como su heredero. Y él fue el nuevo Emperador de Roma entonces. Pero eso es otra historia...


Até a próxima!

7/15/2007

E NA FINLÂNDIA...

Oi!!!

Bom início de semana!
Em comemoração ao dia de hoje, não se esqueçam de dar uma olhada no post embaixo desse aqui, tá?rs
Bom, hoje a gente vai falar um pouquinho sobre um apresentador, ator e dançarino finlandês que é gay assumido: o Jani Toivola.

Ele nasceu em Länsi-Suomen Iääni, em 1977. E é filho de pai queniano e mãe finlandesa. Ou seja, ele é meio africano e meio escandinavo.
Se mudando pra New York no final dos anos 90, o Jani estudou no HB Acting Studio, de 1999 a 2002.
O 1º trabalho de mais destaque dele foi no filme Kuilu Mielessä, em 2003.
O 1º trabalho do Jani na televisão foi na 2ª temporada do seriado Käenpesä, em 2005, com o personagem Samir Kibaki.
Nesse mesmo ano, ele teve no teatro, com a peça Hairspray.
Em 2006, ele teve em outro seriado: Ähläm Sähläm. Dessa vez, interpretando o personagem Heikki.
Nesse mesmo ano, o Jani deu vida ao personagem Ahmed Mattila, em Osasto 5, outro seriado.
Ainda em 2006, ele teve no teatro, com a peça Sorsastaja.
Agora, em 2007, o Jani tem aparecido mais como convidado em alguns programas da televisão finlandesa.
Atualmente, ele tá trabalhando como apresentador na TV The Voice, uma emissora musical da televisão finlandesa. Geralmente, é ele quem apresenta os novos lançamentos musicais.
Ele também apresenta o programa Idols, junto com a Ellen Jokikunnas.
O Jani já se apresentou em teatros como o Helsingin Kaupungin Teatteri e o Suomen Kansllisteatteri.
Sobre a vida pessoal dele, pouco se sabe, porque ele não fala muito sobre isso.
Bom, já que a gente tá falando na Finlândia, vou só dar uma palavrinha sobre os direitos dos homossexuais por lá. Aliás, isso é até curioso... Sabem que até 1971, 6 anos antes do Jani nascer, a homossexualidade era considerada crime leve na Finlândia?! Quem transasse com uma pessoa do mesmo sexo era condenado a 2 anos de prisão! Mas foi naquele ano que o contato sexual entre pessoas do mesmo sexo deixou de ser crime. Só que falar sobre o assunto em público continuava sendo ilegal. Ou seja, podia fazer, mas não podia dizer em público que tinha feito!rs
Só em 1995 é que a homofobia passou a ser considerada crime na Finlândia (é mais ou menos a mesma lei que tão querendo implantar aqui no Brasil, né?). E em 2001, foi legalizada a união civil entre pessoas do mesmo sexo por lá.
Assim como acontece na Suécia, vizinha da Finlândia, as coisas por lá costumam ser mais tranqüilas nesse sentido (falei sobre isso aqui quando fiz o post sobre o Rei Carl XVI, em Maio). Pelo menos na maioria das vezes, né?

Today, we’ll talk a little about the Finnish actor, dancer and showman who’s openly gay: Jani Toivola.
He was born in Länsi-Suomen Iääni, in 1977, to a Kenyan father and a Finnish mother. So, he’s half African and half Scandinavian.
Jani moved to New York in the late 90s. And he studied at HB Acting Studio, from 1999 to 2002.
His 1st more famous time as an actor was in
Kuilu Mielessä (2003). And his 1st time as a TV actor was in the 2nd season of the TV series Käenpesä
(2005). His character was Samir Kibaki.
At that time, Jani was also in the theater play
Hairspray.

En 2006, Jani estuvo en el serial
Ähläm Sähläm, como Heikki, y también en el serial Osasto 5,
como Ahmed Mattila.
En el mismo año, él estuvo en la pieza teatral
Sorsastaja.
Jani puede ser visto cási siempre en shows de la televisión finlandesa.
Hoy, él trabaja como presentador en la TV The Voice, presentando los nuevos cantantes y sus canciones. Y se puede verlo también en
Idols,
junto a Ellen Jokikunnas.
Jani estuvo ya en teatros como el Helsingin Kaupungin Teatteri y el Suomen Kansllisteatteri.
No se sabe mucho de su vida personal.

Parlando dei diritti dei gay in Finlandia, fino al 1971, le relazioni sessuali fra persone dello stesso sesso era un delitto: chi l’avesse fatto era in arresto per 2 anni! E quando questo è lasciato perdere, era ancora un delitto parlare di omosessualità in pubblico. Un gay o una lesbica poteva fare il sesso, ma non poteva ancora dirlo in pubblico.
Nel 1995, l’omofobia è diventata un delitto in Finlandia. E dal 2001 si può avere l’unione civile fra le persone dello stesso sesso, così come nella vicina Svezia (ho parlato di questo qui nel post del Re Carlo XVI, in Maggio).
Nella Scandinavia, quasi sempre, le cose sono un po’ più facile per gli omosessuali che in altre parti del Mondo, vero?
Até mais!

DIA DO HOMEM

Bom, como vocês viram nas datas comemorativas de Julho, hoje é o Dia do Homem. Então, pra comemorar, vamos dar uma olhada em 10 bons exemplares do gênero.
Divirtam-se! E parabéns pra nós, né?rs










Hoy es el Día de Los Hombres en Brasil!

Oggi è il Giorno degli Uomini in Brasile!

Today is the Men’s Day in Brazil!

7/13/2007

UM TIPO FÍSICO BEM COMUM

Oi!!!
Hoje a gente vai dar uma olhada no artista brasileiro que tem o tipo físico mais comum de todos, o ator, diretor e roteirista Pedro Cardoso.

Pedro Cardoso Martins Moreira nasceu aqui no Rio, em 31 de Dezembro de 1962.
Ele foi o 2º filho (entre outros 5) de um advogado rico. E a mãe dele é prima do nosso ex-presidente Fernando Henrique Cardoso.
Durante a infância, o Pedro gostava de jogar futebol e andar a cavalo. Mas apesar dessa dedicação inicial aos esportes, ele sempre seria magro e com jeito meio infantil.
O Pedro nunca gostou de estudar (aliás, ele mesmo reconhece que sempre foi um desastre como aluno). Então, o pai exigiu que ele fosse trabalhar. E na adolescência, ele trabalhou como office-boy na corretora de valores do avô, depois como entregador de pizza numa lanchonete e, por fim, foi ver o que conseguia no teatro, trabalhando como iluminador. Aí ele se interessou pela coisa e foi seguindo em frente.
Quando tinha condições de se sustentar, com 18 anos, ele decidiu sair de casa. E o pai achou bom ele ir viver a própria vida, já que era o que ele queria. Mas deixou claro que não ia ajudar ele em nada dali pra frente. E ele decidiu ir assim mesmo. No começo, foi difícil: ele chegou a ficar sem sequer telefone ou televisão em casa! Mas foi se virando do jeito que dava.
Em 1982, o Pedro conheceu o Felipe Pinheiro, um ator pouco mais velho do que ele e que se tornaria, na época, o melhor amigo dele.
Os 2 escreveram, dirigiram e atuaram juntos em várias peças de teatro. Todas seguindo o estilo Besteirol, ou seja, o humor pelo humor, sem se preocupar em transmitir mensagem nenhuma pro público.
O Pedro foi contratado pela Globo, em 1985. E não foi como ator, e sim como redator, pra escrever, junto com o Felipe, os textos da TV Pirata.
E foi o 1º emprego fixo do Pedro.
No final de 1989, nasceu a Luiza, a 1ª filha do Pedro com a atriz Maristela Provedel.
Em Junho de 1990, o Felipe e o Pedro foram entrevistados pelo Jô Soares. A entrevista tá no Youtube. Pra quem não viu, vou deixar o link aqui pro 1º bloco:

http://www.youtube.com/watch?v=8p6waDgF9ks

Tem mais 2 blocos da entrevista lá. É só clicar e assistir.
Bom, o 1º trabalho do Pedro como ator na Globo foi na série Anos Rebeldes, de 1992.
1993 foi o ano em que o Felipe chegou ao apogeu da carreira dele: reconhecido pelo grande público por interpretar o personagem Paulo Roberto, nos comerciais do Unibanco, ele foi convidado pra trabalhar na novela Olho No Olho, a 3ª dele na Globo. Mas no último fim de semana de Outubro, depois de dar uma festa, ele se fechou em casa e não entrou em contato com mais ninguém. Até que, na 2ª feira seguinte, quando a empregada chegou pra trabalhar, encontrou a porta do quarto dele trancada e chamou ajuda... Pouco depois, o corpo dele foi encontrado deitado na cama: com apenas 32 anos, ele tinha sido morto por um enfarte.
O Pedro ficou extremamente abalado com a morte do Felipe. E sempre que alguém tocava no assunto, na época, ele assumia uma fisionomia séria e ficava calado. Depois de 11 anos trabalhando junto com ele quase todo dia, e tendo perdido ele sem aviso e de um dia pro outro, foi difícil recolocar a cabeça no lugar.
Apesar de já ter feito vários trabalhos como ator na televisão, o Pedro só fez 1 novela até agora: Pátria Minha, em 1994. E ele reconhece que foi um grande impulso na carreira dele. Afinal, no Brasil, parece que fazer novela é um rito de passagem pra qualquer ator: o ator que nunca teve em novela nenhuma é visto meio de lado pelo público brasileiro, mesmo que já tenha feito vários outros trabalhos na televisão.
Nesse ponto, o Pedro diz que deve muito ao Dênis Carvalho e ao Gilberto Braga (o diretor e o autor de Pátria Minha).
Também em 1994, na época em que o Fernando Henrique era Ministro da Fazenda e se candidatou a Presidente do Brasil pela 1ª vez, o Pedro declarou em público que não votaria nele, mas sim no Lula. E ele diz que fez isso simplesmente porque queria ver o PT no poder e porque era preciso ter, pelo menos 1 vez, um presidente que tivesse vindo da classe mais pobre da população, o que nunca tinha acontecido no Brasil antes do Lula.
Mas o Pedro não teve nenhum problema de relacionamento com o Fernando Henrique por causa disso.
De 1995 a 1997, ele trabalhou como redator no seriado A Comédia da Vida Privada.
Também foi em 1997 que nasceu a Maria, a 2ª filha do Pedro com a Maristela.
Em Outubro de 1999, ele foi surpreendido por uma crise aguda de apendicite. Mas ele entrou na emergência do hospital, foi operado imediatamente e recebeu alta no dia seguinte.
Desde 2001, o Pedro tá no seriado A Grande Família, inspirado no seriado com o mesmo nome de 1975. O personagem dele é o Agostinho, que é, em termos, o vilão da história.
Apesar do grande passo que a carreira dele deu graças à Globo, ele reconhece que a hegemonia dessa emissora prejudica o desenvolvimento da teledramaturgia no Brasil.
Mesmo tendo sido no Rio a base toda da carreira teatral dele, o Pedro diz que gosta muito de trabalhar em São Paulo também, reconhecendo que a indústria teatral de lá é bem ativa. Até mais do que no Rio, pela própria quantidade de teatros paulistanos ser maior que a de teatros cariocas.
Ele se considera um ator de teatro, cinema e televisão. Mas reconhece que, no Brasil, o retorno financeiro de um ator tá mesmo é na televisão. Não adianta fingir que no teatro e no cinema o ator vai ser a mesma coisa em termos de dinheiro, porque não vai.
Numa entrevista à revista Isto É Gente, o Pedro lembrou que o dinheiro não tá onde você quer, mas simplesmente onde ele tá. E acabou. Você faz a opção de ir até onde ele tá ou não.
Ele teve até agora 25 trabalhos como ator na televisão e cinema e 5 como roteirista.
O Pedro gosta de levar a vida mais simples e mais popular possível. Algumas pessoas até se surpreendem quando encontram ele andando na rua, pegando ônibus, ficando em fila...
Ele gosta que o trabalho dele seja reconhecido. Mas só isso. Glamourização não é com ele!
Depois que se divorciou da Maristela, o Pedro se impressionou com a dificuldade que é dar conta do serviço doméstico. Ele diz que ter empregada doméstica é luxo. E, apesar dele ter uma, ele faz o que dá pra fazer do serviço doméstico. A mesma coisa em relação ao motorista: apesar de ter um, ele sempre vai buscar as filhas na escola quando dá.De todos os atores mais famosos do Brasil, o Pedro é considerado o que tem a aparência mais popular. O tipo físico dele é o de qualquer cara comum que você encontra em qualquer lugar. É ou não é?


Hoy hablaremos un poquito del actor, director y guionista brasileño Pedro Cardoso.
Pedro Cardoso Martins Moreira nació en Rio de Janeiro, el 31 de Diciembre de 1962, como uno de los 6 hijos de un matrimonio rico.
Cuando él era niño, le gustaban algunos deportes. Pero en verdad él sería siempre delgado y con una apariencia un poco infantil.
A Pedro no gustaba estudiar. Así, su padre lo hizo trabajar. Y después de haber sido office-boy y entregador de pizzas, él fue iluminador en un teatro. Y entonces conoció algunos actores.
Cuando tenía ya dinero para dejar su casa, con sus 18 años, él se fue a vivir solo. No tendría ní teléfono o televisión en su nueva casa, porqué su padre no lo ayudó con nada. Pero fue caminando así...
En 1982, Pedro conoció Felipe Pinheiro, un actor cási de la misma edad que él y que fue entonces su mejor amigo. Los 2 fueron actores, directores y autores de las mismas comedias teatrales del estilo Besteirol.
En 1985, Felipe y Pedro fueron autores del serial cómico
TV Pirata, de la estación TV Globo. Y ese fue el primer trabajo fijo de Pedro.
En 1989, nació Luiza, la primera hija de Pedro con la actriz Maristela Provedel.
En 1990, Felipe y Pedro tuvieron una entrevista por Jô Soares. Uds pueden clickar en el link arriba para verla (en Portugués) en el YouTube.

Pedro’s 1st time as an actor at Globo TV station was in the TV series
Anos Rebeldes (1992).
In 1993, he lost Felipe Pinheiro, his best friend and partner for 11 years. The 32-year-old Felipe was in
Olho No Olho (his 3rd soap at Globo), when he was killed by a heart attack in November.
Pedro became extremely schocked to Felipe’s death. Even because of the way which it happened. But he really would go ahead.
Even having been a TV actor for many times, Pedro’s been in only 1 soap to now:
Pátria Minha (1994). And he says it was a strong part of his TV career. Because, in Brazil, an actor who’s never been in a soap usually isn’t seen as a great actor (if he’s worked only in TV series or TV movies it doesn’t mean so much). In this way, Dênis Carvalho and Gilberto Braga (Pátria Minha’s director and writer) helped Pedro so much.
In 1994, Pedro’ cousin Fernando Henrique Cardoso ran for President of Brazil for the 1st time (and he would win). But Pedro didn’t vote for him. He voted for Lula, because he wanted to see somebody who was born as a poor person in Brazil’s presidence (and it had never happened to that time).
But Pedro didn’t have any personal problem to Fernando Henrique because of that.

Dal 1995 al 1997, Pedro ha lavorato come soggettista dello show
A Comédia da Vida Privada.
Nel 1997, è nata Maria, sua seconda figlia coll’attrice Maristela Provedel.
Nel 1999, Pedro ha avuto dei problemi di appendicite. Ma tutto è rimasto bene.
Dal 2001, lui è nella serie
A Grande Família. Il suo personaggio è il ‘cattivo’ Agostinho.
Pedro si vede come un attore di teatro, cinema e televisione. Ma lui dice che in Brasile qualche attore guadagna di più solo alla TV. Non si può pensare che sarà lo stesso al cinema od al teatro. I soldi non sono dove l’attore lo vuole, ma sì dove essi ci sono.
Pedro dice che lo sviluppo della TV brasiliana non è più grande grazie alla stazione TV Globo.
La sua carriera teatrale è sviluppata a Rio de Janeiro. Ma anche gli piace avere i suoi show teatrali a São Paulo.
Pedro ha avuto fino adesso 25 lavori come attore alla TV ed al cinema e 5 come soggettista.
Lui fà quello che può per avere la vita più semplice possibile.
Dopo aver divorziato da Maristela, Pedro ha capito che lavorare a casa è veramente difficile. Anche così, lui ha una colf, ma fà il possibile per lavorare anche lui a casa.
Fra gli attori brasiliani più conosciuti, lui è visto come il tipo più poppolare. Lui è come quella persona che si vede in qualche posto della società brasiliana.


Bom fim de semana e até a próxima!

7/11/2007

SÓ FALTOU ELE FICAR PELADO

Oi!!!

Gente, quando eu fiz a Enquete 6, em Fevereiro, percebi um certo interesse de quase todo mundo pelo Evaristo Costa. Pelo menos, quase todo mundo deixou claro na enquete que gostaria de ver ele pelado, né?rs
Bom, não tenho nenhuma foto do Evaristo pelado, mas vou falar um pouquinho sobre ele hoje.

Ele nasceu em São Paulo, em 30 de Setembro de 1976.
Como a família do Evaristo morava num sítio no interior de São José dos Campos, raramente ele tinha contato com outras pessoas além da própria família. E quando ele teve que ir pra escola (um colégio de freiras) pela 1ª vez, foi uma loucura: quando era deixado pela família junto com a professora e as outras crianças, ele gritava, chorava, esperneava, se jogava no chão... Precisou de um tempo pra ele se adaptar e entender que o Mundo não era só o sítio onde ele morava!
Apesar dessa personalidade super introspectiva e arredia, pelo que se conta, quando o Evaristo tinha uns 19, 20 anos, por aí, ele era visto de vez em quando em algumas boates GLBT lá das redondezas de São José dos Campos. Mas, ainda que isso seja verdade, tudo o que se diz é que ele era ‘visto’ por lá, o que não quer dizer muita coisa, né?
Eu já vi alguns comentários em 2 ou 3 blogs deixados por visitantes dizendo que ele é bissexual. Mas nunca soube de maiores detalhes sobre isso.
Em meados dos anos 90, o Evaristo se mudou pra Moji das Cruzes, pra fazer o curso de Jornalismo da Universidade de Braz Cubas.
Ao mesmo tempo em que fazia o curso universitário, ele começou a trabalhar numa produtora de uma emissora católica chamada Rede Vida (como tinha estudado num colégio de freiras, ele conhecia muita gente na comunidade católica local), até que, 2 anos depois, ele foi contratado pela TV Vanguarda, uma afiliada da Globo em São José dos Campos.
Quando já tava quase se formando na faculdade, em 1998, o Evaristo conseguiu o cargo de repórter naquela emissora.
No ano seguinte, ele foi transferido pra São Paulo, pra trabalhar como repórter no programa de culinária Mais Você, apresentado pela Ana Maria Braga.
Depois disso, ele começou a apresentar um quadro no SPTV que falava sobre novos empregos e estágios. E depois ele ainda passou pelo Globo Rural, pelo Bom Dia São Paulo e pelo Bom Dia Brasil.
Finalmente, em 2004, terminou o contrato do Carlos Nascimento, que apresentava o Jornal Hoje (e ele iria pro SBT). E como esse posto ficou vago, o Evaristo foi colocado nele: ele tem sido o apresentador do Jornal Hoje desde 2004.
Quando perguntam a ele como ele chegou a esse posto tão depressa, ele diz que um dos pontos mais importantes é sempre ser muito observador e curioso sobre a própria profissão, pra sempre saber onde tão as melhores oportunidades a serem agarradas. Mas o mais importante é demonstrar interesse em todos os pontos da profissão e nunca dizer que não gosta de fazer alguma coisa, porque você sempre perde oportunidades importantes quando diz isso.

Well, last February, when we had here the Enquete 6, I could see most of you guys would like to see Evaristo Costa naked, really?
Unhappily, I think there isn’t any naked pic of his in Internet. Anyway, I’ll talk a little about him today.
Evaristo was born in São Paulo, on September 30th, in 1976.
His family lived in a small farm in São José dos Campos. So, when he was a child, he rarely had contact to other people. And when he had to go to school, it was a kind of a little hurricane.rs But he would soon understand the World wasn’t only his farm.
Even having this so shy personality, Evaristo was said to be seen in many LGBT bars around São José dos Campos, when he was about 20.

Yo ya pude ver comentarios en algunos blogs gays diciendo que Evaristo es bisexual. Pero nadie dice nada mucho específico sobre eso.
En los años 90, Evaristo dejó São José dos Campos y se fue a vivir en Moji das Cruzes, para formarse en Periodismo en la Universidade de Braz Cubas.
El empezó a trabajar como productor, para la estación TV Rede Vida. Y 2 años después, él comenzó en la estación TV Vanguarda, que tiene una sociedad con la estación TV Globo.
En 1998, antes de haber todavía acabado el curso universitario, Evaristo empezó a trabajar como reportero de la Globo. Y poco después, se iría para São Paulo, para continuar con ese trabajo.

Dopo aver lasciato lo show
Mais Você, Evaristo ha lavorato come telecronista in altri show della stazione TV Globo: SPTV, Globo Rural, Bom Dia São Paulo e Bom Dia Brasil.
Nel 2004, è finito il contratto di Carlos Nascimento, il presentatore principale del Jornal Hoje (un telegiornale della Globo). E come Carlos ha lasciato la Globo ed è andato alla stazione TV SBT, Evaristo è stato scelto per la stazione TV per essere il nuovo presentatore del Jornal Hoje.
Delle persone vogliono sapere di Evaristo come lui è riuscito ad avere questo sviluppo così subito nella Globo. E lui risponde che c’è bisogno d’esser sempre osservatore e curioso quando si lavora, per sapere dove sono le migliori opportunità. Ma il più importante è che la persona abbia sempre un interesse molto grande per il suo lavoro e non dire mai: “Mi piace fare questo, ma non mi piace fare quello”. Molte opportunità diventano perdute per sempre se si dice questo.

Até a próxima!

7/09/2007

AH, O FUTURO...

Oi!!!

Tô encerrando hoje a série sobre o litoral carioca, tá? O último post tá abaixo desse aqui.Bom, hoje vamos dar uma olhada num dos atores considerados mais bonitos do Brasil e também um dos principais símbolos sexuais dos gays brasileiros, o Victor Wagner.

Ele nasceu no Rio Grande do Sul, em 30 de Junho de 1959.
O Victor era o mais velho de 3 irmãos. E a família dele era muito pobre.
O pai, que tinha problemas alcoólicos, foi embora de casa quando ele tinha 5 anos e perdeu contato quase completamente com a família a partir daí.
Depois de passar por algumas necessidades, a mãe do Victor se casou de novo, tendo mais 1 filho.
Apesar de gostar do padrasto, o Victor teve certas dificuldades de convivência com ele, por ver ele como alguém que tava tomando o lugar do pai ou alguma coisa assim. Mas hoje ele acha que, se fosse um pouquinho mais velho quando a mãe se casou de novo, teria sido diferente.
No início da adolescência, ele já começou a pensar em ser ator. Mas, devido às condições financeiras da família, todos viam isso mais como um sonho dele. Mesmo assim, ele decidiu que faria todo o possível pra conseguir...
Quando o Victor tinha 17 anos, o pai tentou uma reaproximação, mas aí já não dava mais, né? Ele morreria alguns anos depois disso, sem nunca ter tido uma boa relação com os filhos.
Bom, até os 20 anos, o Victor era virgem. Foi só com essa idade que ele teve a 1ª relação, numa reconciliação com a namorada depois de uma briga. E ele não tem problema em fazer uma revelação meio bombástica: ele broxou no meio da relação! A penetração começou direitinho, mas não chegou a completar.
A namorada não se incomodou nem um pouco com isso e, alguns dias depois, eles se encontraram e teve a 2ª vez dele, que ele considera uma das melhores da vida dele.
Pensando em conseguir uma vida melhor, o Victor se mudou pra São Paulo, onde fez um curso técnico de fisioterapia.
Tentando se enturmar no teatro, ele fez algumas peças infantis no início dos anos 90. E em 1991, ele conseguiu fazer uma ponta no filme francês L’Opération Corned-Beef, dirigido pelo Jean-Marie Poiré.
Em 1992, o Victor conheceu o diretor teatral Djalma Monte Batista, que convidou ele pra fazer um personagem na peça Calígula.
Em 1994, o Victor teve uma filha, chamada Bárbara, com uma namorada.
Logo depois, quando o Djalma começou a gravar Bocage-O Triunfo do Amor, ele convidou o Victor pra participar do filme, que só seria lançado mesmo em 1997.
Antes disso, o 1º trabalho de destaque dele foi em 1995, na novela Tocaia Grande, da extinta Rede Manchete (ele foi descoberto pelos produtores da novela no set de filmagem de Bocage).
O Victor admite que o personagem, que era cego, foi bem difícil de fazer prum ator iniciante na televisão.
Como a Manchete ficava aqui no Rio, ele teve que se mudar pra cá. Aliás, ele ficaria nessa emissora até a falência dela, em 1998. E sempre emendando uma novela na outra.
Com o fim de Tocaia Grande, o Victor entrou na novela seguinte, Xica da Silva, interpretando o contratador de diamantes João Fernandes de Oliveira (até hoje, o personagem principal da carreira dele).
Ele apareceu nu algumas vezes nessas 2 novelas. Mas nunca com nudez frontal. De qualquer forma, a bunda dele foi uma das bundas masculinas mais famosas da televisão brasileira no final dos anos 90.rs


Mas as cenas de nudez dessas novelas eram assumidamente usadas só pra chamar a atenção do público e ganhar audiência. A própria direção das novelas assumia isso.
O Victor conta que não tinha vergonha de ficar pelado na frente da equipe da novela. Mas morria de vergonha quando percebia que 2 ou 3 pessoas da equipe que tinham visto ele pelado ficavam cochichando alguma coisa entre elas depois.
Ele acha que, talvez por isso, ele nunca tenha ficado excitado de verdade em nenhuma dessas cenas, por mais provocantes que fossem.
Nessa época, é claro, o Victor recebeu propostas da G Magazine pra posar nu. Mas ele decidiu não aceitar... Naquela época, revista de homem pelado ainda era uma coisa muito recente no Brasil. Esse assunto tava no comecinho por aqui. Pouquíssimos, realmente, aceitariam.
Com o fim de Xica da Silva, que saiu de cena sob aplausos, em 1997, o Victor protagonizou a novela seguinte: Mandacaru. Mas essa novela, apesar de não ter se saído tão mal, não repetiu o sucesso de Xica da Silva.
Em 1998, nos seus últimos suspiros, a Manchete lançou a novela Brida, como sucessora de Mandacaru, e da qual o Victor também participou. Só que a emissora nem tinha mais condições de manter outra novela. E Brida foi tirada do ar de um dia pro outro sem nem terminar de ser gravada!
Pouco depois, a Manchete faliu e saiu do ar pra sempre.
No SBT, o Victor participou das novelas Pícara Sonhadora (2001) e Cristal (2006).
Além desses trabalhos de mais destaque ele fez vários outros na televisão e no cinema. Ao todo, foram 29, até hoje.
Em Março de 1999, quando tava pra fazer 40 anos, o Victor posou nu pra G Magazine pela 1ª vez.


A mãe dele achou meio estranho, mas também não se colocou contra.
E em Setembro de 2005, quando a G Magazine tava fazendo 8 anos, o Victor posou nu de novo, nessa edição de aniversário. Dessa vez, já com alguns cabelos brancos, mas com o corpo de 1, 78 m impressionantemente ainda tão em forma quanto antes!
Ele assume que, numa certa época da vida, ele era super vaidoso, malhava sem parar, se achava lindíssimo e tal. Mas hoje ele se acha apenas bonito e faz exercícios só o suficiente pra manter a forma. De qualquer jeito, se no futuro precisar de uma plástica ou alguma coisa assim, ele admite que vai fazer.
O Victor diz que nunca teve nenhuma experiência sexual com homens até hoje, mas não fala nada sobre o futuro.
Hum! Interessante, né? Aliás, vão aí umas dicas pros fãs dele: ele diz que prefere conquistar do que ser conquistado, que só dorme pelado quando tá calor, que a posição sexual preferida dele é de 4 e que ele adora quando as pessoas dão asas à imaginação quando pensam nele!

Oggi parleremo un po’ di uno degli attori più belli di Brasile, e che anche è visto come uno dei simboli sessuali principali dei gay brasiliani: Victor Wagner.
Lui è nato in Rio Grande do Sul, nel 30 Settembre del 1959.
Victor era il più vecchio di 3 fratelli in una famiglia molto povera.
Suo padre aveva dei problemi alcolici ed ha lasciato la famiglia quando Victor aveva 5 anni.
Dopo esser rimasta senza soldi, sua madre è sposata di nuovo ed ha avuto un altro figlio.
Victor voleva bene suo patrigno. Ma ha avuto dei problemi con lui in quell’epoca, perché non era riuscito a vederlo come un nuovo padre.
Quando era adolescente, Victor ha cominciato a pensare ad esser attore. Ma la famiglia vedeva questo come qualcosa impossibile.
Quando lui aveva 17 anni, suo padre ha fatto il possibile per tornare insieme ai figli. Ma era già troppo tardi...
Victor era vergine fino ai suoi 20 anni. E lui dice senza problemi che ha perduto l’erezione mentre aveva la prima relazione sessuale.
La sua ragazza non è stata arrabbiata con niente e, dopo alcuni giorni, loro hanno avuto la loro seconda relazione, che è stata, secondo Victor, una delle migliori della sua vita.
Dopo questo, lui è andato a vivere a São Paulo, per avere un corso di fisioterapia.
Allo stesso tempo, Victor è riuscito a cominciare la sua carriera d’attore teatrale. E nel 1991, lui è stato nel film francese
L’Opération Corned-Beef, di Jean-Marie Poiré.

In 1992, Victor met the theater director Djalma Monte Batista, who invited him to his new play,
Caligula.
Victor’d become a father 2 years later, when his daughter Bárbara was born.
After that, Djalma invited him to his new movie:
Bocage-O Triunfo do Amor (it would be released only in 1997).
Victor’s 1st time as a TV actor was in the soap
Tocaia Grande (1995), at Manchete TV station.
Of course, he had to movie from São Paulo to Rio de Janeiro, because Manchete was in Rio. And he would be in all the next soaps of that TV station to its end, in 1998.
In 1996, Victor was in
Xica da Silva, as the main male character.
He could be seen naked in some scenes of these both soaps. And his butt was very famous at that time.rs
Even the Manchete’s directors admited there was too much male and female nudity in these soaps only to have a large audience.
Victor didn’t have any problem to get naked with the soap crew looking at him. But sometimes he was ashamed when somebody of the crew started telling gossips about his nudity.
At that time, he was invited by
G Magazine to pose naked. But he didn’t accept then... Some years later, he would (as you guys can see above rs). But at that time, male frontal nudity magazines were in their very biginning in Brazil. Very few Brazilian famous men would think about that then. But nowadays it’s almost the opposite!rs

Victor tuvo su mayor personaje en la telenovela
Xica da Silva, de la estación TV Manchete, que acabó en 1997.
Después de eso, él estuvo en la telenovela
Mandacaru, también de la Manchete, que fue la sucesora de Xica da Silva. La sucesora de Mandacaru fue Brida, en 1998, donde Victor también estuvo.
Pero la Manchete tuvo su bancarrota poco tiempo después, y
Brida acabó sin terminar de ser filmada.
En la estación TV SBT, Victor estuvo en las telenovelas
Pícara Sonhadora, de 2001, y Cristal, de 2006.
El tuvo muchos otros trabajos en la televisión y en el cine como actor. En verdad, fueron 29 trabajos hasta hoy.
Todavía en Marzo de 1999, cási con sus 40 años, Victor estuvo desnudo por la primera vez en la
G Magazine, con su bello cuerpo de 1, 78 m.
En Septiembre de 2005, él estuvo de nuevo desnudo en la edición de 8 años de la
G Magazine.
Victor dice que, cuando era más jóven, era muy vanidoso, se ejercitaba siempre y se veía como un hombre muy, muy, muy hermoso. Hoy, él se ve como un hombre apenas bonito. Pero admite que, se será necesaria una cirugía plástica en el futuro, él la hará sin problemas.
Victor también dice que nunca tuvo relaciones con hombres hasta hoy. Pero afirma que todo es posible en el futuro.
Para quien está interesado, él dice que prefiere conquistar a ser conquistado, duerme desnudo cuando siente calor, le gusta agarrar la persona por detrás para el sexo y ama cuando imaginan cosas diferentes sobre él.

LITORAL CARIOCA 4

Bom, antes de encerrar essa série, eu tenho que lembrar uma coisinha importante aqui... Como nos 4 primeiros dias em que eu postei esse mês eu falei sobre sexo, não posso deixar de lembrar do uso da camisinha, que é indispensável pra quem pretende ter uma vida sexual ativa e manter a saúde também. Então, NÃO SE ESQUEÇA DE USAR!!!rsrsrs
Bom, é claro que se você é um católico romano praticante e fervoroso, membro daquela igreja que prefere ver você com uma doença incurável do que ver você usando camisinha, não use. Mas também não reclame das conseqüências depois. E não se esqueça de que essas conseqüências vão aparecer.
Aliás, entre as várias manifestações pelo uso da camisinha que eu vi recentemente, uma que achei interessante foi a do Grupo Nuances, realizada em Maio, em Porto Alegre. Pra quem não viu, vou deixar o link pra convocação que eles deixaram no YouTube antes da manifestação.

http://www.youtube.com/watch?v=VxFAe5WPUnQ

E agora, vamos ao encerramento, como eu já disse. Vamos dar uma olhada nas 3 lagoas mais famosas do litoral do Rio.Como, pra falar sobre as praias, eu fui na direção do Morro do Pontal, agora vou inverter a direção. Vindo do Morro do Pontal na direção da Zona Sul, a 1ª que a gente vê é a Lagoa de Marapendi.

LAGOA DE MARAPENDI
Como vocês podem ver, ela fica bem atrás da Praia da Barra da Tijuca. E acompanha essa praia quase toda, na verdade, deixando só aquele estreito entre ela e o Mar.
Logo depois dela, vem a Lagoa da Tijuca.

LAGOA DA TIJUCA
Essa fica um pouquinho mais afastada do Mar, mas também deságua no Mar. E infelizmente, é a lagoa mais poluída do Rio. Não que as outras não sejam poluídas. Mas essa é a que se encontra em pior estado de poluição.
E pra finalizar, a lagoa mais famosa do Rio, e que, curiosamente, fica bem afastada das outras. A Lagoa Rodrigo de Freitas.

LAGOA RODRIGO DE FREITAS

A meu ver, essa é a mais bonita de todas.
A foto que vocês tão vendo foi feita de um helicóptero que tava do lado do Cristo Redentor (uma das novas 7 maravilhas do Mundo).
Bom, os bairros que ficam em volta da lagoa são Ipanema, Leblon, Jardim Botânico, Humaitá e Lagoa. E aquelas ilhas que vocês tão vendo lááááá no Mar, em frente à Praia de Ipanema, é o Arquipélago das Cagarras.
Muito bem. Espero que vocês tenham gostado. E quem tiver pensando em vir pro Rio conhecer esses lugares pessoalmente vai gostar mais ainda.
Claro que eu não posso deixar de dar uns toques de segurança: evite passar perto de favelas, não vá sozinho e a pé a lugares que você ainda não conhece bem e fique bem atento a bandos de pivetes que tejam por perto, porque esses são bem mais perigosos do que assaltantes adultos. E tirando isso, o resto são os mesmos problemas que todas as capitais do Mundo têm.
E é isso, gente. Até a próxima!