12/12/2006

UM REI DO BEM E UM CARDEAL DO MAL

Olá!!!

Como eu já tinha avisado, o post de hoje vai ser histórico.
Bom, pra quem não sabe o que aconteceu antes do que eu vou contar agora, dá uma olhada lá no post que eu fiz no Gringo-lindo no dia 31 de Agosto sobre o Rei Henri III, da França e da Polônia. Não que a história lá teja diretamente relacionada a essa aqui. Mas vamos dizer que dá pra entender um pouco melhor.
Então, como a gente sabe, o Rei Henri III de Valois foi mortalmente ferido por um monge católico no dia 01 de Agosto de 1589, reconhecendo o cunhado dele, o Rei de Navarra, que também se chamava Henri (de Bourbón), como o novo Rei da França. E no dia seguinte morria o Rei Henri III e assumia o poder o Rei Henri IV.
Esse rei era meio tarado, sabem? Só que ele era super hétero! Falando claramente, sem rodeios, ele era meio viciado em buceta!rsrsrs
Mas não é do Henri IV de Bourbón que eu vou falar aqui. E sim do filho dele, que se tornou o novo Rei da França e Navarra depois da morte dele, o Louis II e XIII de Bourbón.
(Esse quadro dele é do Philippe de Champaigne).
O Príncipe Louis de Bourbón nasceu em 27 de Setembro de 1601, em Fontainebleau, na França. E já foi logo reconhecido como herdeiro dos tronos da França e Navarra.
A mãe do Louis era a Rainha-consorte Maria de Médicis, com quem o Henri se casou depois de anular o casamento com a Margot de Valois.
Quando o Louis tava pra fazer 9 anos, no dia 14 de Maio de 1610, o pai dele foi assassinado por um fanático protestante. Nada que não fosse esperado, levando em conta os super choques entre católicos e protestantes que tinham acontecido nos governos dos reis anteriores, né? E olhem que enquanto o Henri IV governou a coisa tava até mais calma, pelo menos comparada ao que teve antes!
Mas o fato é que, com a morte de pai, o Louis (uma criança de 8 anos, como eu já disse) foi reconhecido como o novo rei: ele foi coroado ao mesmo tempo como “Louis XIII, Rei da França”, e “Louis II, Rei de Navarra”.
É claro que, com essa idade, ele ainda não podia governar nenhum dos 2 países. Então, a mãe dele assumiu o poder em nome dele, como regente. Aliás, uma das intenções principais dela era conquistar os territórios portugueses da América do Sul, ou seja, nós aqui!
Em 1612, a Maria conseguiu que invasores franceses fundassem aqui a cidade de São Luís, em homenagem ao rei-criança deles. Só que, em 1615, os portugueses conseguiram expulsar os franceses de lá, mantendo a cidade fundada por eles, como a gente sabe. Aliás, ela tá lá firme e forte até hoje como capital do Maranhão.
Bom, quando o Louis tinha 14 anos, por causa de uma aliança com a Espanha, a Maria obrigou o filho a se casar com uma princesa espanhola, a Ana de Habichtsburg, que tinha a mesma idade dele, que recebeu o título de rainha-consorte.
Mas o Louis nem prestava atenção na Ana. Ele tava interessado era no amante dele, o Charles d’Albert, Duque de Luynes (que por sinal era 23 anos mais velho do que ele).


(Esse desenho dele é do Balthazar de Moncornet).
Muito bem. Mais 2 anos depois, com 16, o Louis decidiu assumir o poder. Só que a Maria queria se manter no poder, e não entregar a ele.
Conclusão: o Louis mandou matar todos os políticos partidários da Maria. E isso acabou provocando uma guerra civil, bem parecida com as guerras de religião entre católicos e protestantes que tinham acontecido antes.
A situação só foi dominada quando o Louis tinha 20 anos, assumindo o poder de vez. Mas ele perdeu o Charles (aparentemente de pneumonia) nesse mesmo ano.
Bom, sobre o tipo de rei que o Louis foi, os historiadores dão versões diferentes: alguns falam dele como um rei que não tava nem aí pra nada, nem entendia muito de política e deixava os ministros tomarem as decisões no lugar dele; outros falam dele como um rei manipulador, que deixava os ministros pensarem que mandavam, mas vigiava cada passo deles através de vários espiões na corte.
Eu acredito mais nessa 2ª possibilidade.
O fato é que, com 22 anos, o Louis convocou pra ser o braço direito dele alguém que era... perigoso, pra usar um termo suave. E perigoso pra todos, sem exceção! Se tratava de alguém maquiavélico e perverso o suficiente pra passar por cima do que tivesse que passar pra conseguir o que fosse interessante pra ele. Essa criatura se chamava Armand Jean du Plessis. Mas ele ia se tornar conhecido por todos como Cardeal de Richelieu.
Assim que pôde, esse cardeal apresentou ao Louis o filho de um amigo dele, o jovem Henri Coiffier de Ruzé.


(Eu encontrei esse quadro como anônimo, então não sei a quem dar crédito).
A intenção do cardeal era fazer o Louis se tornar amante do rapaz, passando a exercer mais poder sobre o rei dessa forma.
Mas o Louis parecia dar mais importância aos outros amantes que ele tinha na corte.
Da esposa ele nem chegava perto. Aliás, o Cardeal de Richelieu tratou de tirar proveito dessa situação também... Tinha se mudado pra Paris um diplomata italiano (ou seja, um capacho do papa) chamado Giulio Mazarini, que o cardeal já tratou logo de aproximar da rainha-consorte. O objetivo era o mesmo: exercer poder sobre a Ana tendo feito ela se tornar amante do Giulio. E dessa vez ele conseguiu!
Bom, em 1638, depois de 23 anos de casada, foi que a Ana finalmente engravidou, dando a luz ao herdeiro do trono, com o mesmo nome do ‘pai’: Louis de Bourbón.
Eu escrevi ‘pai’ entra aspas porque os historiadores têm várias dúvidas de que o filho fosse do Louis, já que, provavelmente, eles nunca se tocaram. É muito mais provável que fosse filho do Giulio, né?
Em 1640, ela teve outro filho, o Philippe de Bourbón, que receberia o título de Duque de Orléans, e sobre quem os historiadores têm as mesmas dúvidas de paternidade.
Finalmente, nessa mesma época, quando o Louis já tinha uns 40 anos, o Henri (que tinha uns 20), conseguiu seduzir ele. E até recebeu dele o título de Marquês de Cinq-Mars.
Mas ao contrário do que do que o Cardeal de Richelieu esperava, o Henri começou a prevenir o Louis contra ele.
Sabendo disso, o cardeal decidiu se livrar do Henri: se aproveitando do fato dele ser simpatizante dos espanhóis, que na época tavam contra a França, o Cardeal de Richelieu acusou o Henri de conspirar contra a França a favor da Espanha. E depois de mandar prender o Henri, fez com que ele fosse decapitado, em Setembro de 1642.
É bom lembrar que esse foi apenas um dos vários e vários executados por se manifestarem de alguma forma contra o Cardeal de Richelieu, que apesar de tá afligido por várias doenças, parecia que ficava cada vez mais terrível. Inclusive, com a influência que ele tinha dentro da Igreja Católica, ele conseguiu que o Giulio fosse declarado cardeal, mesmo sem nunca ter sido padre (e apesar de se tornar cardeal, o Giulio continuou comendo a Ana).
O Cardeal de Richelieu morreu 3 meses depois, fazendo algumas centenas de franceses darem um suspiro de alívio. Aliás, por isso mesmo, o povo francês devia gostar tanto do Louis, pois, comparado ao cardeal, o rei era uma figura extremamente amável e benéfica. Mas nessa mesma época, ele também já tava na fase conclusiva de vida: o Louis contraiu a Doença de Crohn, vindo a morrer, depois de um período de convalescência, no dia 14 de Maio de 1643 (aniversário de 33 anos da morte do pai dele), faltando 4 meses pra completar 42 anos.
Antes de morrer, ele tinha ordenado que não queria cerimônia, pois não desejava que se gastasse dinheiro com coisas inúteis.
Esse ato foi muito bem visto pelo povo francês, que novamente louvou o seu rei.
Enquanto o Louis foi sepultado na Basílica de São Dênis, o filho mais velho ‘dele’ com a Ana era reconhecido como o novo Rei da França, Louis XIV de Bourbón.

Well, if you don’t know what happened before this post, take a look at Gringo-lindo. In the Archives list, click on Agosto 2006 and read August 31st post.
Anyway, Henry III de Valois was killed by a catholic monk. And his brother-in-law became the new King of France, as Henry IV de Bourbón.
This king had a kind of a pussy addiction! But we’ll not talk about him. We’ll talk about his son, King Louis II and XIII de Bourbón of Navarre and France.
Prince Louis de Bourbón was born on September 27th, in 1601. it was in Fontainebleau, France. And he was seen as the heir of France and Navarre.
His mother was Queen-consort Marie de Medici. She was Henry’s 2nd wife.
When Louis was about to be 9, his father was killed by a protestant. It was May 14th, in 1610. And Louis was crowned the new King of Navarre (as Louis II) and France (as Louis XIII).
He couldn’t rule any country at 8. So Marie ruled in his name as regent. And one of her main intentions was getting the Portuguese territories in South America.
In 1612, her conquerors managed to found São Luís, in name of their young king. But they were expelled by the Portuguese, in 1615. Anyway these ones kept the town. And nowadays its the capital of Maranhão.

Cuando Luis XIII tenía 14 años, él fue obligado por su madre a casarse con Ana de Habsburgo, una princesa de la corte española, que tenía la misma edad de su marido. Y ella tuvo el título de Reina-consorte de Francia.
Pero Luis estaba más interesado en su amante Charles d’Albert, Duque de Luynes (23 años más viejo que él), que en su joven esposa.
Después de otros 2 años, cuando tenía 16, Luis quiso tener el poder real para sí. Pero su madre María no quería darlo. Así, él decidió que los políticos a favor de María tenían que morir. Pero eso originó una guerra civil, que fue controlada solo cuando Luis tenía 20 años.
Charles se murió en el mismo año (tal vez de pulmonía).
No se sabe muy bien que tipo de rey fue Luis. Para algunos historiadores, él era un alienado que permitía que sus ministros gobernasen solos. Para otros, él era un estrategista que gobernaba utilizando espiones.
Yo creo que eso habia sido más posible.
Cuando tenía 22 años, Luis pasó a tener a su lado alguien muy peligroso. Era Armand Jean du Plessis, el Cardenal Richelieu.

Quando c’è stata la prima opportunità, il Cardinale Richelieu ha fatto il possibile per cominciare una relazione fra Luigi XIII e Henri Coiffier de Ruzé. L’intenzione del cardinale era dominare il re con questo nuovo amante. Ma niente è sucesso di prima.
Il cardinale ha fatto la stessa cosa con la Regina consorte Anna d’Asburgo, faccendo il possibile per farla amante di Giulio Mazarini, un diplomatico italiano e suddito del papa. E ci è riuscito.
Dopo 23 anni sposata, Anna ha partorito un bambino per la prima volta. Era il Principe Luigi de Bourbon, l’erede del Trono Francese.
Molti storici pensano che il figlio di Anna non sia stato di Luiggi, ma sì di Giulio.
Dopo 2 anni, lei ha avuto un altro bambino, Filippo de Bourbón, il Duca di Orléans. E c’è chi dice la stessa cosa della sua paternità.
Alla fine, in quest’epoca, Henri è riuscito ad essere amante di Luigi. E lui l’ha fatto Marchese di Cinque-Marzo. Ma lui ha avvertito Luigi contro il Cardinale Richelieu. E questo ha deciso di liberarsi di Henri (lui ci è riuscito nel Settembre del 1642, come l’ha fatto con molti altri dei suoi nemici).
Il cardinale era molto ammalato. Ma aveva la stessa personalità terribile che sempre ha avuto.
Lui ha fatto Giulio un nuovo cardinale. Ma lui continuava essendo amante di Anna.
Il Cardinale Richelieu è morto 3 mesi dopo la morte di Henri. Ed il popolo francese è diventato alleviato. Per loro il cardinale era il mostro ed il re era l’amato.
Ma anche Luigi era ammalato. Lui aveva il Morbo di Crohn. E sarebbe morto nel 14 di Maggio del 1643, 4 mesi prima del suo compleanno (42 anni).
Prima di morire, lui ha ordinato di non esserci cerimonia. Ed il suo corpo è stato portato a Saint-Denis.
Suo primo ‘figlio’ è diventato il nuovo Re di Francia. Era Luigi XIV de Bourbón.


Bom, eu queria dizer aos visitantes bissexuais aqui do blog que o próximo post, na 5ª feira, vai ser exatamente sobre bissexualidade. Então, claro que eu vou querer saber a opinião de todos aqui, mas vou querer saber principalmente a de vocês, tá?
Até lá!

12 Comments:

Blogger RIC said...

Esta história, eternizada (em parte) pelas aventuras dos três mosqueteiros, é tão tenebrosa quanto a dos Bórgia de Roma. Aquela gente era inacreditável!
Obrigado pelo teu trabalho!
Abraços!

3:28 AM  
Anonymous Carioca said...

Ric, eu diria que foi uma história que teve um personagem tenebroso, né? Com um Richelieu presente, qualquer história vira um filme de terror dos mais cascudos!!!rs
Abraço, amigo!

4:00 AM  
Blogger Boysoccer said...

Passando pra conferir e te deixar um bjo
como c tah carioca na paz ?
gde abç vio

Boy Soccer

6:59 AM  
Blogger Divorciado said...

Nossa fico impressionado com teu trabalho e pesquisa...Muito maneiro tudo isso aqui. Bjão.

7:54 AM  
Anonymous Carioca said...

Boy→ Passei lá no seu blog. Aliás, adorei as fotos!rsrsrs
Grande abraço pra você também!

Divorciado→ Acho muito importante lembrar os personagens históricos gays e bissexuais.
Que bom que você gostou!
Beijão também!

3:13 AM  
Blogger Léo Lima said...

Recomendo a leitura de AMOR EM TEMPOS SOMBRIOS. Trata de artistas [escritores, na maioria] que foram/são homossexuais e como isso refletiu/e nas obras deles

12:43 PM  
Blogger Rody said...

Cara vc é bem culto hem!?
hehe!
adoro ler essas coisas.
pois eh...então no proximo post eu deixo a minha opinião aqui!
blza?
bjoo.

1:00 PM  
Anonymous irineu said...

e franK?

5:10 PM  
Blogger Blog Adoro Cueca said...

Este comentário foi removido por um administrador do blog.

8:09 PM  
Blogger Blog Adoro Cueca said...

Oi querido, muito obrigada pelo seu comentário, achei vc uma gracinha, muito carinhoso.
Realmente este blog é bem mais simples q akele outro, sem tantas frescurinhas, mas que deixavam o blog mais bunitinho né? rsrs

Mas este aki está arrasando mesmo assim, com muita qualidade, informações, etc, se descobrir como posso conseguir um banner pro meu blog, me avise, que tal fazermos uma troca de links, o seu já vai estar lá na minha lista ok?

Um abração, sucesso!

www.adorocueca.blogspot.com

www.onlybabyface.blogspot.com

8:10 PM  
Blogger Mariposo-L said...

Pelo jeito a minha professora de historia não falou 'toda" a verdade sobre Henri Iv , ela opnião a parte mais legal ....

11:35 PM  
Anonymous Carioca said...

Léo→ Tá bom. Vou procurar esse livro.

Rody→ Gostei daquele post que você fez do Zeca Camargo lá no seu blog.rs
Beijo!

Irineu→ Só sei as mesmas coisas que antes... Bem que eu queria ter notícias pra dar Fazer o quê, né?

Adoro Cueca→ Tudo bem! E eu te aviso se souber de alguém que entenda disso.

Mariposo L→ Como eu disse, o Henri IV era hétero. Não acho isso muito interessante, não!KKKKKKKKKKKKKK!!!
Abraço!

3:01 AM  

Postar um comentário

<< Home