5/27/2007

A SOCIEDADE COBRA É O CACETE!

Olá!!!

Antes de começar, quero dizer que esse vai ser o meu último post esse mês. É que agora eu vou ter provas na faculdade. Mas eu volto no dia 01 de Junho, com a enquete nova.
Bom, hoje eu vou tentar derrubar mais um mito homofóbico... Vamos lá:
Uma coisa que a gente ouve de vez em quando é que é difícil ser gay porque a sociedade cobra que a gente seja hétero... É mesmo, é?rs A sociedade cobra?! Ou seriam indivíduos específicos que cobram? Vamos ver isso mais de perto.
Pra começar, podemos pensar na própria infância. Eu sei que ser gay vai contra vários sonhos que a pessoa tinha desde criança... Mas algum ser humano (seja ele homossexual, bissexual ou heterossexual) conseguiu realizar todos os sonhos que tinha desde criança? Pensem nisso!
Também tem sempre a questão familiar: em 99% das vezes (ou até mais do que isso rs), não era isso que a família da pessoa queria pra ela. Acho que isso não é novidade pra ninguém, né? Mas algum ser humano (a mesma coisa, seja ele gay, bi ou hétero) consegue ser 100% do jeito que a família queria? Eu nunca vi! Então, nesse ponto, pelo menos, eu não diria que os gays são exceções.
Se você já refletiu sobre isso, já deu o 1º passo, que é começar a se livrar do preconceito que você tem contra você mesmo por ser gay. E que, às vezes, é muito mais forte do que o preconceito que os outros têm contra você. A gente vê inclusive que tem homossexuais que não suportam ser chamados de “gays”! Aí dizem frases do tipo:

“Eu não sou gay. Eu sinto tesão por homem, me relaciono com homem, mas não sou gay.”

Ou então, é assim:

“Eu sou gay, mas sou diferente das aberrações que tem por aí. Os outros gays são aberrações, mas eu sou diferente.”

Com certeza, vocês já ouviram frases desse tipo. E ditas por GAYS, né? Pois isso são frases de uma pessoa que tem preconceito contra ela mesma. E aí precisa se autoafirmar o tempo todo, precisa repetir o tempo todo pra ela mesma que ela é superior aos outros gays, pra poder enxergar algum valor nela mesma.
Mas a reclamação principal dos gays (ou, no mínimo, uma das principais) é que o fato de você ser gay dificulta muito a sua convivência com algumas pessoas héteros. Sim. Eu não só entendo como também concordo. E concordo absolutamente. Aliás, a convivência com certas pessoas (e aí tô falando de pessoas de todas as preferências sexuais) não fica só difícil: é impossível! Às vezes, não dá nem pra ficar no mesmo ambiente que a pessoa, né?
Mas olhem só: se é uma pessoa que tem tanto horror assim a nós, por que tanta necessidade em nós nos mantermos perto dessa pessoa?
Tem gente que abre o berreiro:

“Aaaaaah! O fulano não gosta de mim porque eu sou gay!!!”

Me dá vontade de perguntar: e daí, meu filho? Aliás, pelo que parece, você não tá perdendo muita coisa se se mantiver afastado dele! Se ele não quer saber de você, já provou que, assim como você não faz falta na vida dele, ele também não faz na sua. A não ser que você seja MUITO masoquista! Goste muito de lamber o rabo de quem faz mal a você.Se uma pessoa trata você mal, ela já provou também que pode ser substituída por gente 1 milhão de vezes melhor do que ela. É só olhar ao seu redor que você já encontra vários exemplos. Não necessariamente no mesmo lugar. Pode tá um aqui, outro ali, outro lá... Mas os exemplos de gente melhor vão aparecendo, sem dúvida.

Muita gente costuma achar que, pra ser feliz, é preciso ficar perto das pessoas de quem você gosta e que também gostam de você. Concordo. Mas isso só resolve metade do problema. Então, como é que se resolve a outra metade? Simples. Fazendo o oposto: ficando o mais afastado possível das pessoas de quem você não gosta e que também não gostam de você. Aí eu diria que você tem... 95% de chance de ser feliz.
Mas e quando são pessoas com quem a gente é obrigado a conviver? Às vezes até sob o mesmo teto, né? Bom, aí cada caso é um caso. É claro que, dentro do possível, a gente tem sempre que tentar buscar uma convivência pacífica com quem a gente convive. Não precisa beijar, abraçar, virar confidente nem se dar às mil maravilhas com a pessoa. Mas tentar conviver com ela de uma forma civilizada é sempre uma boa opção.
Só que, mesmo isso, nem sempre é possível, né? Porque algumas pessoas não deixam nem você começar a conversar com elas. Bom, aí você só tem 2 caminhos a seguir: ficar junto dessa pessoa aturando a forma como ela maltrata você e acabou; ou se afastar dela o quanto você puder. Mesmo que você tenha que passar por ela em alguns momentos do dia, quase sempre tem um jeito de ficar a maior parte do tempo longe dela, nem que seja no quarto do lado. E é claro, na 1ª oportunidade que você tiver, SUMA!!! Vá morar em outro lugar aonde ela não vá com freqüência ou mesmo aonde ela não vá nunca (claro que isso só depois de você já ter pensado muito nas conseqüências práticas e em como vai ser a sua vida dali pra frente, né?). E não pense que isso é nenhum tipo de ingratidão nem de egoísmo: se a pessoa não tá disposta DE JEITO NENHUM a aceitar você, então você também não tem que aceitar a forma como ela trata você. A não ser que você goste de posar de mártir, santo, anjo ou alguma coisa desse tipo.
Mas uma das coisas mais importantes é que nós, gays, também não podemos ficar nos fazendo de vítimas, não!
Sempre vai ter gente que VAI ser contra os gays? Com certeza. Mas sempre vai ter gente que NÃO VAI ser contra os gays? Com certeza também! Você sempre vai encontrar muita gente no seu caminho que rejeita você. Mas também sempre vai encontrar muita gente que aceita você.
Aí é que tem uma coisa importante pra ser lembrada: assim como você não tem a obrigação de lamber o rabo de quem trata você mal, você também não tem motivo pra ficar perto de quem não quer você por perto. Quando alguém deixa claro que não me quer por perto, eu simplesmente me afasto dele durante a maior parte do tempo, mesmo que seja alguém por quem eu tenha que passar de vez em quando, como eu disse acima rs.
Mas o que dá pra ver é que existem pessoas específicas que são contra nós. E VOCÊ mesmo, inclusive, pode ser contra você, como eu também já disse acima. Mas não dá pra dizer que a sociedade é contra nós, nem mesmo que a sociedade cobra uma coisa específica, porque “sociedade” é a totalidade dos vários grupos de pessoas com quem você convive.
É claro que em cada grupo social existe a tendência da maior parte das pessoas ali presentes de seguir um determinado estilo de vida. Então, você pode até dizer que existem grupos sociais (e não a sociedade toda) que cobram realmente um comportamento hétero da sua parte.
Assim, como a gente pode ver, o problema não é a sociedade, mas sim indivíduos específicos e grupos sociais específicos.
Os grupos sociais que não aceitam a gente são fáceis de identificar, né? Quanto aos indivíduos, uma dica que eu posso dar a todos é observar a pessoa antes de deixar que ela se aproxime. Veja como ela trata os gays em geral e preste atenção nas coisas que ela fala sobre esse assunto.
Tudo, tudo, tudo, sem exceção, tem vantagens e desvantagens. E ser gay também.
Bom, acho que agora o mito de que a SOCIEDADE cobra que você seja hétero já foi derrubado, né?

Some people say the society requires heterosexuality from you. But pay attention: it IS NOT the society. Some people require heterosexuality from you. And some people doesn’t mean all the society.

Algunas personas dicen que la sociedad exige que tú seas heterosexual. Pero atención: eso NO ES la sociedad. Algunas personas exigen que tú seas heterosexual. Y algunas personas no significa toda la sociedad.

Alcune persone dicono che la società vuole obbligarti ad essere eterosessuale. Ma attenzione: questo NON È la società. Alcune persone vogliono obbligarti ad essere eterosessuale. Ed alcune persone non significa tutta la società.


Bom, eu volto ainda essa semana. Até lá!

21 Comments:

Blogger RIC said...

Obrigado pelas dicas para reflexão, carioca! Algumas são «barretes» que sou obrigado a enfiar... Por isso é que este tipo de relacionamento é muito positivo: de repente, ao lermos um post, estamos a questionarmo-nos sobre «certezas» que afinal não o são, de todo!...

(Em «minha casa» decidi divulgar o meu sonho brasileiro: Parati! E soube-me muito bem!)

Uma muito boa semana e excelentes provas! :-)

8:20 PM  
Anonymous carioca said...

Oi, Ric.
Já passei lá no seu blog e vi o seu post sobre Parati. Muito bom!
Sobre esse post aqui, acho que ele vai fazer algumas dezenas de pessoas refletirem, né? Não porque fui eu que escrevi, não é isso. Mas pelos toques que eu lembrei sobre o tema, né?rs
Abração!

1:50 AM  
Blogger KAIKE said...

novamente vc me deixa sem comentarios...
ei cara.,..
tem msn,... me adds se tiver prinkaike@hotmail.com

2:49 PM  
Anonymous Lover said...

Fantástico como sempre e muito observador e concreto... abração e boa sorte pras suas provas... té breve, migão!

4:35 PM  
Blogger Mariposo-L said...

Carioca, sem comentarios ... concordo com tudo e assino embaixo !

Belo texto parabéns

7:42 PM  
Blogger RIC said...

... Volto só para dizer que foste «premiado»... Lembrei-me deste e doutros posts como este. Parabéns! :-)

12:44 AM  
Anonymous carioca said...

Kaíke→ Não tenho MSN, cara. Mas depois eu te passo o meu e-mail, tá?

Lover→ Ah, mas concreto eu sempre procuro ser!rs Nada pior do que uma pessoa que tenta convencer a gente a concordar com idéias sem lógica, né?rs
Abração!

Mariposo-L→ Obrigado!
Como eu disse pro Ric, acho que dá pra muita gente refletir sobre o que tá aí, né?

Ric→ Muito obrigado pela homenagem lá no seu blog, amigo! Como eu disse lá, espero tá cumprindo os meus objetivos: fazer disso aqui um Centro de Entretenimento e Cultura pra Gays & Bissexuais.
Grande abraço!

2:40 AM  
Blogger Blog do Jean said...

Olá carioca, blz?

Estava refletindo sobre seu texto no blog, sabe que concordo com vc? Afinal nós mesmos é que criamos o próprio preconceito contra nós, pensando e agindo dessa forma e consequentemente trazemos algo negativo pra nossa vida. Me faz lembrar de uma vizinha minha, ela é lésbica assumida, mora com a namorada e vive reclamando que é discriminada, eu explico, tem uma certa pessoa, seu vizinho, que diz ser o "amigo" hétero, que vive julgando ela, dizendo que a vida que ela leva é errada, mas por outro lado não se largam, estão sempre juntos, ou seja, ela mesma permite essa situação, não se dando o devido respeito.
Por essa e por outras coisas, o gay sofre, devemos nos valorizar, e quem quiser gostar goste, quem não quiser...

Beijos...

1:59 PM  
Blogger Jeremy said...

Concordo em parte e discoro quando vc diz que não é a sociedade. As coisas acontecem com certo indivíduos sim, inclusive os próprios gays, mas desconheço uma família que não tenha uma pessoa dentro da casa que seja contra, o que afeta toda a família e a família é a célula da sociedade, logo temos a própria sociedade contra os gays.
O que provoca a situação ser pior é o que você citou, pessoas que são gays e sempre querem ser diferentes dos outros gays... isso tem de muito e eu já convivi com tantos assim.
Tem muita intolerancia por aí, inclusive em paises da europa que achamos tão mais avançados.
Um amigo me contou que na Polônia o governo disse que quer todos os gays fora do país, acredita?
Assisti ontem a um vídeo da primeira parada gay da Sérvia e o que posso falar é que fiquei em choque, o mesmo para a parada gay da Rússia.

6:39 PM  
Blogger Oceanmar said...

Oi Carioca...complicado esse lance de preconceitos....acho que muitas vezes permitimos que ele exista através de atitudes questionáveis...sei lá....mas valeu a reflexão...bj ae

7:37 PM  
Blogger BlueBob said...

Carioca, boa argumentação. Concordo que nós mesmos alimentamos alguns preconceitos. Tomo o meu caso como exemplo. Antes não me aceitava. Qdo começei a me aceitar, dizia ser bissexual. Mas se eu tenho atração por homem, sou homossexual. É simples. Agora aceito isso. E vejo que é um processo de auto aceitação que muitos de nós temos que passar. Afinal, por anos reprimimos isso dentro de nós. Não iria ser em um estalo que aceitaríamos isso numa boa.

Bjs

12:19 AM  
Blogger Kaka said...

Esse meu amigo, só filosofando, né? hehe

Ainda não tinha analisado as coisas por este lado, não! Pensarei desta forma a partir de agora!

Fica tranquilo amigo, tô na correria tb!
Beijo!

1:23 AM  
Anonymous carioca said...

Jean→ Olha, é aquilo que eu disse: se deu pra haver uma convivência pacífica entre as 2 pessoas, tudo bem. Não sei se a convivência dessa sua vizinha com o amigo dela é tão pacífica assim. Mas, se for, e se os 2 se dão bem assim, o que é que a gente pode dizer, né?
Beijos.

Jeremy→ Mas você tá repetindo exatamente o que eu disse com outras palavras... Em todas as famílias (eu acho) no mínimo vai ter 1 pessoa que vai falar alguma coisa contra alguém ser gay. Mas isso não vai fazer necessariamente com que todos os membros da família armem uma guerra contra pessoa. Então, mesmo aí, é um indivíduo específico dentro da família que não tá aceitando. Não quer dizer que seja a família toda.
Outra coisa: mesmo que a família seja a base da sociedade, ela não é a sociedade toda. E cuidado com a plavra ´scoiedade`, porque, como eu expliquei, ´sociedade` significa todos os grupos de pessoas com quem você convive. E pode ser até que a maioria dos grupos com quem você convive cobrem um comportamento hétero da sua parte. Mas TODOS esses grupos não vão cobrar isso, não.

Oceanmar→ Nós mesmos deixamos várias portas abertas por onde o preconceito pode passar.
Beijo.

Bluebob→ Com certeza. Aliás, não conheço ninguém novinho, novinho que se aceite numa boa. A adolescência então eu acho que é a pior fase, porque tem muita cobrança das pessoas pra gente arranjar namorada e tal. Depois disso é que a gente começa a se aceitar, né? Mas cada um tem o seu tempo.
Beijos.

Kaká→ Estamos SEMPRE na correria, né?rsrsrs
Mas é isso. Tem coisas que a gente deve mesmo relfetir sobre certas fantasias que nós mesmos criamos, né?
Beijo, amigo.

3:40 AM  
Blogger Divorciado said...

Olá Carioca,
Nossa cara esses seus post's estão sempre me agradando muito, realmente é pra se refletir. No meu caso, por conta desses auto-preconceitos, me casei duas vezes e tenho filhos. Não que não goste dos meuus filhos, vc sabe, mas hj faria diferente, seria uma pessoa mais livre, com menos responsabilidades e um gay mais feliz.
Grande Abraço amigo

8:55 AM  
Blogger Ainda mais por dentro... said...

Polemico cara!!!
Você deveria ser professor, acredito que a sociedade precisa ter contato com suas reflexões. Devemos educar as novas gerações para agir e respeitas as diferenças.

1:41 PM  
Blogger Oceanmar said...

Carioca...obrigado por me visitar...como comentei com o bb...com tantos desafios e conquistas naquele texto...só podia ser ariano...março...bj ae

5:29 PM  
Anonymous carioca said...

Divorciado→ É. Eu nunca quis ter filhos exatamente pensando na questão daSSSSS respomsabilidadeSSSSS (escrevi assim porque são muitas, né?). Ter um filho é uma responsabilidade muito maior do que casar, né?
Grande abraço pra você também.

Ainda Mais Por Dentro→ Eu SOU professor.rs Mas nem todos os alunos vão ouvir essas reflexões. Mas é claro que, pra quem quer aprender e evoluir, a gente sempre tenta passar alguma coisa, né?
Valeu!

Oceanmar→ Eu nem sei o que é que as pessoas pensaram quando eu fiz o MEU post daquele desafio. Mas acho que não tiveram grandes choques, não.rs Pelo menos, ninguém se manifestou mal.

3:53 AM  
Blogger TresCatorce said...

Ey, amigo Caricoa,vos sabes q no hablo tu idioma, menos lo leo, pero igual paso por tu blog y suelo entrnerme con tus imagenes. Gracias por visitar el mio!!!

8:01 AM  
Blogger Carioca said...

Gracias a tí cuando vienes aquí.
Besos!

12:13 AM  
Blogger Luiz Pep said...

Acredito que não podemos negar totalmente que a sociedade não nos cobra, mas suas palavras mostram que por muitas vezes certos gays se fazem de coitadinhos, tipo assim "dá uma acordada"!

4:55 AM  
Anonymous carioca said...

Como eu disse, uma parte da sociedade cobra. E vai cobrar sempre!
Mas uma parte da sociedade não é a sociedade inteira.

3:04 AM  

Postar um comentário

<< Home